Como edificar a si mesmo e sua família diante dos desafios atuais

A crise sanitária atual, no mundo e no Brasil, é a mais desafiadora de nossas vidas e trouxe profundos impactos emocionais, educacionais, trabalhistas e econômicos.

Stael Ferreira Pedrosa

Pandemia! Todos estamos cansados de ouvir sobre isso, ler sobre isso e ter que conviver com os riscos, perdas e desafios desencadeados pela crise sanitária, todos os dias. Enquanto no mundo todo as curvas de contágio têm caído abruptamente, vivemos o pior momento da pandemia aqui no Brasil.

As pessoas já evitam ligar a TV e ouvir sobre números de mortos, de infectados, locais de maior incidência, crise econômica, desemprego, etc., não porque não se importam, mas porque estão cansadas, muitas vezes desalentadas e sem esperança.

Encontrar forças para enfrentar cada novo dia

Cada família tem seus desafios próprios, seja a perda de um ente querido, desemprego, problemas emocionais, etc. Talvez eu seja pessimista, mas não creio que existam famílias livres de quaisquer problemas. A crise atual veio se somar a esses problemas afetando todos os brasileiros, especialmente os mais pobres.

No entanto, não devemos nos deixar abater. Meu filho mais velho tem Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e a cada nova notícia, inclusive de nossa cidade estar na onda roxa, já é motivo para uma crise. Preciso encontrar forças para mim e para ele. Preciso edificar a mim e a ele. É uma tarefa árdua e cotidiana diante dos índices alarmantes da covid-19 no Brasil.

Gostaria de compartilhar algumas experiências que têm ajudado a mim e minha família e que talvez possa ajudar a sua. Não tenho a pretensão de prescrever uma receita que, como uma panaceia universal, ajude a todos. Mesmo porque são várias situações, impossível abarcar a todas em um único artigo. Não tenho tal poder, o que posso é simplesmente compartilhar o que faço e espero possa ajudar a você que está lendo.

Advertisement

Busco a minha força interna primeiramente na minha fé, na certeza de que uma força benéfica e onisciente está no controle de tudo. Que tudo o que acontece nos servirá de aprendizado e, ao fim, será para nosso bem, ainda que agora não vejamos e não compreendamos dessa maneira. Especialmente aquelas pessoas que perderam entes queridos, negócios, empregos e meio de sustento. Eu me solidarizo com estas pessoas, pois já passei por isso e sei o quanto é difícil. Por vezes é devastador.

Sabemos que, embora difícil, para nós, chefes de família, manter uma atitude positiva e de esperança será mais benéfico que entregar-se ao desespero. Tente os conselhos abaixo e veja se funciona para você e sua família.

1. Agarre-se a aquilo que acredita

A fé tem poder. Se você acredita em Jesus, Buda ou Maomé, agarre-se à sua crença. Leia as escrituras sagradas para você e sua família. Escolha passagens que tragam conforto e esperança. Ore a sós e com seus entes queridos e faça o que julgar necessário para alcançar as bênçãos para si e sua família. Abençoem-se uns aos outros.

2. Busque a serenidade interior

A oração traz paz, consolo e confiança num futuro melhor. Medite nas palavras e promessas oriundas de sua fé e também como meio de limpeza mental. Procure um lugar calmo (melhor depois que as crianças dormirem), sente-se confortavelmente, feche os olhos e fique algum tempo sem pensar em nada. Apenas concentre-se na sua respiração. Se algum pensamento vier, não resista, apenas o afaste e volte a se concentrar na respiração. Não tem um tempo certo para fazer isso, podem ser 10, 15, 30 minutos. Como for confortável para você.

Esse “descanso mental” renovará a sua mente e afetará sua saúde física de forma positiva, combatendo a ansiedade e depressão, aumentando as emoções positivas.

Advertisement

3. Busque informação científica

Quando tiver dúvidas sobre a situação da pandemia ou o que acontece ao seu redor, pesquise na internet em sites confiáveis e sérios. Evite os sensacionalistas ou que costumam veicular fake news e canais no Youtube que pintam a realidade de mais negra ainda que já está. É hora de buscar informações corretas e positividade. Sites confiáveis: aqueles que terminam em .gov.br, site da Organização Mundial de Saúde e o da Fundação Oswaldo Cruz.

4. Desenvolva atividades em família que tragam distração, conforto e alegria

Trabalho em sistema de home-office há vários anos, então, nesse aspecto, a rotina de casa não mudou muito, exceto o fato de os filhos estarem em casa o tempo todo. Sempre busquei ter tempo para estar em família, antes, quando eram pequenos, assistia a desenhos ou ia passear. Eles agora já são adultos, e antes da pandemia, adaptávamos nosso tempo para sairmos em passeios, atividades ao ar livre, culturais ou de entretenimento, ida aos cinemas ou shopping, etc. Coisas impossíveis agora.

Atualmente, fazemos sessão de cinema em casa com direito à pipoca, conversamos sobre assuntos relevantes, atualidades e ligados à fé. Compartilhamos nossos projetos de trabalho ou outros e nos mantemos conectados. Estamos planejando fazer exercícios no terraço antes que a “ferrugem” nos corroa.

5 Mantenha a esperança

Em suma, o que podem fazer por agora é cultivar uma atitude positiva e cheia de esperança, manterem-se unidos, amar e cuidar uns dos outros. Respeitem o tempo que o outro quiser ficar a sós, ou quando não quiser falar. Assim que puder, demonstre afeto novamente. Renovem-se, reinventem-se a cada dia. Tenham fé e esperança, logo sairemos dessa situação.

Embora o cenário seja caótico, notícias boas estão surgindo, a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) promete abastecer o país com mais de 100 milhões de doses de vacina até julho de 2021 e, até o fim do ano, mais 110 milhões. O negacionismo está perdendo terreno e, agora, mais de 80% da população deseja ser vacinada.

Advertisement

“Os seres humanos não nascem prontos para sempre no dia em que suas mães os trazem à luz, mas a vida os obriga a dar à luz a si mesmos repetidas vezes,”

Gabriel García Márquez

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.