4 razões para amar Jesus Cristo e ser eternamente grato a Ele

Você sabe o que é Expiação? Veja quatro maneiras pelas quais Jesus Cristo afeta a sua vida, agora e na eternidade.

Jesus Christ

Erika Strassburger

Para os cristãos, Jesus Cristo foi a pessoa mais importante que já nasceu na Terra. Ele é o filho literal de Deus com Maria. Não conhecemos o método utilizado por nosso Pai Celestial para fazer uma virgem levar um filho Seu, mas, com o avanço da ciência e a descoberta de várias técnicas de fertilização artificial, não é de se admirar que alguém com tanto poder pudesse fertilizar uma mulher que “nunca conheceu” homem algum. E ela se manteve virgem até o parto do Senhor.

Leia: Ciência e fé – 3 milagres bíblicos vistos sob perspectiva científica

Alguns grupos negam a divindade de Jesus, mas a grande maioria reconhece que Ele existiu. A própria história o reconhece. O tempo passou a ser tratado como antes e depois de Seu nascimento.

Mas qual é o nível de importância de Jesus para a humanidade?

Jesus Cristo e tudo o que Ele fez é de extrema importância para cada ser vivo sobre a terra, quiçá para a humanidade. O que Ele fez é essencial para nosso destino eterno, e ninguém mais o poderia ter feito.

Abaixo estão quatro maneiras pelas quais Sua vida e morte afetaram completamente a nossa vida:

Advertisement

1. Por meio de Sua Expiação infinita, Jesus Cristo pagou por nossos pecados e transgressões

Para compreender como funciona a Expiação, imagine que, sendo uma pessoa pobre, você deve dez milhões de Reais para alguém muito influente e impiedoso. Todos os dias, batem na sua porta exigindo que a dívida seja paga, caso contrário, você será morto. Então um homem imensamente misericordioso e altruísta aparece e quita a sua dívida. Ele lhe diz que você não precisa devolver-lhe tudo o que ele pagou, apenas uma parte, quantia esta que cabe perfeitamente no seu bolso.

Foi então que Cristo pagou a dívida que tínhamos com a justiça eterna. A justiça exigia o pagamento integral dos pecados de cada pessoa que nasceria na Terra. Como não teríamos condições de pagar por isso, nem que morrêssemos, foi necessário que um homem divino (filho de Deus) e sem pecado o fizesse. Lembrando que Cristo, por ser filho de Deus, também era e é um Deus.

Naquela noite, no Jardim Getsêmani, antes de ser capturado pelos soldados romanos, Cristo passou por uma dor mental e física tão intensa, tão terrível, que o fez suar sangue por todos os poros (Lucas 22:44) Foi naquele momento, e não na Cruz, que ele tomou sobre si os pecados da humanidade.

“Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Porém ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53:4-5)

Graças à Expiação de Jesus Cristo, podemos ser perdoados de nossos pecados e purificados, para um dia estarmos dignos de viver eternamente na presença de Deus.

Advertisement

E qual é a dívida que temos para com Ele?

Em troca de ter nos livrado das garras da justiça, e para estarmos aptos a viver com Ele e Deus, o Pai, no porvir, Ele pede apenas que nos arrependamos de nossos pecados, sejamos batizados, guardemos seus mandamentos e convênios, e sejamos perseverantes até o fim de nossos dias.

2. Sua Expiação pode curar também nossas dores e enfermidades

A escritura que mencionei acima mostra que a Expiação teve efeito não apenas sobre as nossas transgressões e iniquidades, mas também sobre nossas dores e enfermidades. Jesus experimentou cada tipo de dor existente, ele sabe exatamente como as pessoas se sentem quando estão doentes física, mental ou espiritualmente. Por conta disso, Ele é capaz de oferecer o consolo adequado por meio do Espírito Santo e a cura.

Quando falo de cura, não me refiro exatamente à cura da doença em si, embora milagres aconteçam. Refiro-me principalmente à cura de sequelas emocionais e espirituais que as doenças podem deixar.

Por exemplo, tenho uma amiga que convive com dores fortes e constantes causadas pela fibromialgia. Ela também tem depressão. Eu soube que ela tinha essas doenças muito tempo depois de conhecê-la, quando teve uma forte crise, pois ela é uma pessoa alto astral, está sempre brincando e sorrindo. Sinceramente, é difícil de acreditar que ela tenha essas doenças tão incapacitantes. Mas ela encontrou em Jesus Cristo a força para viver da melhor forma possível com essas dores. Ela decidiu não permitir que elas afetassem seu humor e a relação com as outras pessoas.

Imagino o esforço tremendo que minha amiga Osmana faz para manter-se de pé (física e mentalmente), o que ela certamente não conseguiria sem sua fé inabalável no poder curador de Cristo.

Advertisement

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (Mateus 11:28-30)

3. Graças a Ele, todos vamos ressuscitar – ter corpos físicos na eternidade

Assim como Ele ressuscitou no terceiro dia, nós um dia também iremos ressuscitar. Ou seja, teremos um corpo físico, perfeito e imortal.

“Mas agora Cristo ressuscitou dos mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Porque, assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também em Cristo todos serão vivificados. Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda.” (I Cor. 15:20-23)

A dádiva da ressurreição é universal, não importando se a pessoa creu em Cristo ou não, se foi boa ou não. Mas quem creu Nele e guardou Seus mandamentos irá ressuscitar primeiro. “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com um brado, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.” (I Tess. 4:16). “Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição”. (Apoc. 20:6)

Aqueles que levaram uma vida iníqua na terra irão ressuscitar somente no final do Milênio, período de mil anos que Cristo reinará nesta terra, antes de ela ser transformada em uma esfera imortal. “Mas os outros mortos não reviveram até que os mil anos se acabaram.” (Apoc. 20:5) Essas pessoas infelizmente não vão poder usufruir desse período maravilhoso, o Milênio, em que muitas e grandes obras serão executadas em prol da salvação da família humana.

Advertisement

4. Ele nos mostrou como agir em qualquer circunstância

Por meio de seus ensinamentos e exemplo, Jesus ensinou a amar, não julgar mal, perdoar, servir, obedecer, ser misericordioso, orar pelos inimigos, ser corajoso, compartilhar nossos bens, apegar-nos ao que é bom, rejeitar o mal etc. Enfim, Ele foi um exemplo perfeito de como agir em qualquer circunstância. “Portanto, que tipo de homens devereis ser? Em verdade vos digo que devereis ser como eu sou.”

Vale a pena qualquer esforço para recebermos tudo o que Cristo nos proporciona

São tantas as bênçãos, nesta Terra e na eternidade, que Cristo nos proporciona por meio de Sua Expiação, que se as conhecêssemos bem, daríamos tudo o que temos para recebê-las.

Estas são quatro razões importantes para você amar o Salvador e ser grato a Ele. Mas precisamos demonstrar esse amor e gratidão por meio de nossa obediência a Seus mandamentos. Só assim estaremos qualificados para receber tudo o que, através de Sua Expiação, ele proporciona para nós.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). E “nós o amamos porque ele nos amou primeiro.” (1João 4:19)

Leia: 13 profecias bíblicas sobre nossa época que já se cumpriram ou estão se cumprindo

Advertisement
Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger nasceu em Goiás, mas foi criada no Rio Grande do Sul. Tem bacharelado em Administração de Empresas, trabalha home office para uma empresa gaúcha. Nas horas vagas, faz um trabalho freelance para uma empresa americana. É cristã SUD e mãe de três lindos rapazes, o mais velho com Síndrome de Down.