5 razões porque a ansiedade com o futuro pode destruir seu presente

 Viver no passado traz depressão e viver no futuro traz ansiedade. E ambas destroem seu presente

Stael Ferreira Pedrosa

Há alguns anos, minha psicóloga me disse algo que afetou de maneira profunda e definitiva o meu modo de ver a vida e os acontecimentos no mundo. Não foi nada grandioso, nem um segredo que mudará sua vida para sempre. Mas, para mim, naquele momento, foi o divisor de águas que precisava para ter uma nova maneira de viver. Ela me disse:

“90% dos nossos medos jamais se tornam realidade”.

Comecei a fazer uma retrospectiva mental ao chegar em casa e percebi que era verdade. Nessa época, eu tinha dois filhos pequenos e vivia muito atribulada. Devido ao medo de que algo muito ruim pudesse acontecer com eles, comecei a ter verdadeiras paranoias, que acabaram por me levar aos profissionais de saúde. Eu me baseava no passado de algumas pessoas que sofreram tragédias familiares para projetar o medo do futuro em relação aos meus filhos.

Era um medo paralisante, que me impedia de sair de casa ou me afastar deles, ainda que por pouco tempo. Sentia calafrios, sensação de desmaio, suores frios entre outros. Fui diagnosticada com Depressão e Transtorno de Ansiedade Generalizada e precisei tomar medicamentos. Também tive que fazer acompanhamento psicológico.

Naquela tarde em que ouvi a frase da psicóloga, pude perceber que meus medos mais antigos, talvez desde a infância, realmente, jamais se realizaram. Tinha medo de ser abandonada por meus pais, de que minha irmã mais nova fosse perseguida e morta, enfim… Um tormento de ansiedade que me acompanhava desde sempre. Nessa época, já com mais de 35 anos de idade, consegui encontrar um meio de afastar o medo e me entregar à vida e seus caminhos com confiança.

Advertisement

Não me tornei a pessoa mais destemida do mundo, mas posso dizer que isso aliviou muito, tanto a depressão quanto a ansiedade, e me tornou uma pessoa mais equilibrada em minhas emoções.

Para você, que possa estar sofrendo com este problema – especialmente em tempos tão difíceis quanto os que vivemos agora – saiba que 90% dos seus medos jamais se tornarão realidade. Podem vir tempos difíceis, é verdade, durante ou após a pandemia, mas temos certamente o arcabouço necessário para lidar com os problemas, desde que busquemos a serenidade interna e a comunicação com nossa divindade.

Por isso, aqui estão 5 razões porque a ansiedade destrói seu presente e como evitar que isso aconteça:

1 Ao viver no futuro, você se torna ausente no seu presente

Isso porque qualquer atividade que você poderia realizar com sua família acaba por parecer vazia, e você não consegue estar integralmente presente, porque tem a cabeça cheia de preocupações e medo. Não vivendo (de verdade) nem em um lugar, nem no outro.

2 Você não consegue traçar planos e metas

A impressão que temos quando somos tomados pela ansiedade e medo do futuro é que não é possível planejar, não vale a pena traçar metas. Não há nada de bom a se alcançar. Então desistimos de tentar, perdemos as forças necessárias para sonhar.

Advertisement

3 A saúde física é afetada pela insegurança e medo

Somatizações começam a acontecer. O coração dispara, surgem as dores mais diversas, problemas de pele e outros que acabam por piorar a situação, baixam sua imunidade e o colocam em risco de contaminar-se com doenças mais sérias, por isso, acalmar-se é fundamental. Relaxe, respire fundo, medite, tudo isso ajuda.

4 A saúde mental se torna cada vez mais debilitada

Com as dificuldades mentais e emocionais trazidas pela ansiedade, a pessoa afetada não consegue seguir em frente com suas tarefas ou suas relações. A pessoa se sente travada e incapaz de assumir e cumprir compromissos. Para o médico Antônio Geraldo da Silva, diretor da Associação Brasileira de Psiquiatria, “Isso lesa a autonomia e prejudica a realização de atividades simples e corriqueiras”.

5 Afeta sua socialização e qualidade de vida

Nesse ponto, sair de casa torna-se um sofrimento, ir a festas e ou reuniões, um martírio. Atrasa-se entregas de trabalhos e desgasta-se buscando desculpas. Exercitar-se é enfadonho, produzir é um tormento, aí vem a protelação, a culpa, mais ansiedade e a qualidade de vida cai vertiginosamente.

O que fazer

Não sendo profissional de saúde, posso apenas compartilhar a minha experiência de que é possível vencer tudo isso a partir do momento que nos conscientizamos que nossos medos, ou pelo menos 90% deles, são infundados. São criações de nossa própria ansiedade e falta de fé no futuro. Um conselho importante para quem sofre com esse problema é jamais se culpar por ser assim, não é culpa sua, é uma doença mental que precisa de ajuda médica e psicoterápica para ser vencida. No entanto, o primeiro passo é nosso – precisamos desejar vencer esses problemas e buscar uma maior qualidade de vida.

Se não fizermos isso, não só viveremos num futuro imaginário, sempre negro, quanto não usufruiremos e mesmo destruiremos o momento presente com preocupações e angústias.

Advertisement
Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.