Viver previdente: Preparação para tempos difíceis

De uma hora para outra tudo pode mudar. O desemprego, falecimento de um familiar ou doença podem trazer um desespero econômico. Mas, se a família estiver preparada, será mais fácil passar pelos momentos difíceis.


Caroline Canazart

Desemprego, preços altos e dinheiro curto. Hoje a maioria da população precisa de muito malabarismo para manter o orçamento em dia. De acordo com o Serasa, até o início de março de 2016, 60 milhões de brasileiros estavam inadimplentes, isto é, não conseguiram honrar com as contas e elas continuaram penduradas na geladeira – acumulando-se.

O assunto mais comentado nas rodas de bate-papo do país é a crise que assola o Brasil. Também pudera, com quase 10 milhões de desempregados – quase o dobro da média da América Latina – não há quem não tenha medo de ser o próximo a entrar para a estatística – liberada também em março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas o que pode ser feito de diferente para que os tempos difíceis não entrem com tanta força nos lares brasileiros?

Para muitos o problema pode ser a atual crise, mas outros fatores também levam a um momento de desespero financeiro, como a morte de um familiar ou uma doença. Alguns passos podem ser tomados para controlar ou amenizar a dificuldade. Mas, para isso, é preciso haver um preparo antes que a crise familiar se estabeleça.

1. Economize uma parte de seu salário

Você pode começar com 10% dele ou ir aumentando gradativamente até chegar à décima parte ou mais. Você pode fazer uma meta de curto, médio ou longo prazo. Por exemplo, quanto você precisaria ter para viver por seis meses sem renda?

2. Faça uma planilha com todos os gastos mensais

Dessa forma, você poderá perceber onde seu dinheiro está indo e onde fará os cortes, principalmente nos gastos supérfluos.

Leia mais: A necessidade de preparar um orçamento familiar

3. Planeje um orçamento e viva dentro dele

Gaste apenas o que ficou estipulado e fuja de atrasos, multas e do cartão de crédito. Evite dívidas. Se pretender comprar um carro ou uma casa, por exemplo, observe se terá o suficiente para passar o mês. Geralmente o juro embutido nas parcelas não costuma ser o melhor amigo de quem quer poupar.

4. Comece um armazenamento doméstico

Lembra da dispensa da vovó que tinha comida guardada para muito tempo? É mais ou menos esse o princípio. Em tempos de vacas magras é a salvação para muitas famílias que não precisam gastar dinheiro na compra de alimentos. Hoje em dia existem técnicas simples que podem auxiliar o armazenamento de grãos por dois anos ou mais. Veja aqui como fazer. E aqui o passo a passo de como armazenar água potável.

Advertisement

Leia mais: Dicas criativas para o armazenamento doméstico

A prevenção é o melhor remédio para qualquer problema. Mas, se você está no meio de um descontrole financeiro, desempregado e quer iniciar uma vida econômica previdente, de acordo com especialistas, você deverá:

  • Cortar todos os gastos a mais;

  • Não fazer novas dívidas;

  • Conversar sinceramente com a família e todos sacrificarem-se diminuindo o consumo;

  • Não pedir imediatamente um empréstimo;

  • Se estiver recebendo seguro-desemprego, não se acomodar;

  • Continuar a busca por uma nova colocação no mercado de trabalho ou iniciar a busca pelo próprio negócio.

Depois de estabilizar a economia da casa, o passo seguinte é iniciar a forma preventiva de viver e ensinar cada membro da família a poupar.

Leia também: Vale a pena economizar se ganho pouco?

Toma un momento para compartir …

Caroline Canazart

Caroline é uma jornalista catarinense que optou por ser mãe em tempo integral depois do nascimento dos filhos. Ama escrever e ainda acredita que pode mudar o mundo com isso.