Uso inadequado de melatonina diminui expectativa de vida

Uso inadequado de melatonina diminui expectativa de vida.

Stael Ferreira Pedrosa

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente pelo nosso organismo, e é responsável pela indução e qualidade do sono, bem como pela regulação circadiana, ou seja, do sono à noite e da vigília durante o dia. Além disso, atua no metabolismo regulando as etapas do balanço energético, desde a ingestão alimentar até o fluxo da energia estocada para ser utilizada.

Chamada de hormônio do sono, a melatonina é indicada a pacientes com alguns tipos de distúrbio de sono. Também existem pesquisas (poucas) mostrando o uso da melatonina como coadjuvante no tratamento de diabetes e obesidade.

Tudo isso tem feito a melatonina em sua forma sintética e vendida como suplemento alimentar – o que ela não é – ser vista como uma espécie de panaceia universal que serve para todos os males. Isso é um equívoco, segundo o médico e professor da USP José Cipolla Neto, que em entrevista à rádio da USP, afirma que o uso inadequado da melatonina traz riscos à saúde dos usuários.

Os riscos

Como é um medicamento que ainda não é visto dessa forma pela vigilância sanitária, já que não é registrada como tal, a melatonina pode ser comercializada livremente e tem muita gente tomando a substância até para adquirir massa muscular e melhorar o desempenho físico; um risco de acordo com o Dr. Cipolla Neto, que alerta: o uso indevido e regular pode, em um primeiro momento, desorganizar o organismo e causar sonolência em período diurno, “bagunçando” o ciclo circadiano, levando inclusive à depressão. Em último caso, a expectativa de vida da pessoa também é afetada.

O hormônio só pode ser indicado por um médico, com ajuste de dose, concentração e horários para cada paciente. Caso não seja assim, o uso inadequado poderá causar efeitos colaterais como resistência insulínica, intolerância à glicose, hipotensão, hipotermia, redução da ingestão alimentar e consequentemente desbalanço energético, além da já citada desorganização do ciclo circadiano.

Advertisement

Para que a melatonina pode ser indicada

A melatonina pode ajudar muito na qualidade de vida e bem-estar de pacientes com distúrbios específicos do sono, ou que apresentem o ciclo circadiano desajustado. Porém, com controle médico.

  • Doenças neurológicas – com distúrbios específicos do sono – para corrigir o perfil de produção de melatonina endógena

  • Diabetes – coadjuvante no tratamento

  • Hormônio regulador da ritmicidade circadiana em viagens transmeridianas (mudança de fuso horário)

  • Recém-nascido em sofrimento fetal

    Advertisement
  • Cirurgias e metástases tumorais

  • Fase atrasada de sono – pessoas que dormem tarde e acordam tarde

  • Sono do idoso – com a idade a produção de melatonina diminui

  • Indivíduos cegos que não conseguem regular o ciclo circadiano por não seguirem o claro-escuro do dia e da noite

Para que não se indica melatonina

  • Perda de peso – pelo menos não como principal agente emagrecedor, mas como coadjuvante

    Advertisement
  • Ganho de massa muscular ou desempenho em exercícios – o efeito certamente será danoso, pois as pessoas que tomam para este fim o fazem durante o dia, e melatonina jamais pode ser usada durante o dia.

  • Como suplemento alimentar

  • Qualquer distúrbio do sono

A automedicação é sempre um risco. Existem milhares de casos de efeitos colaterais inesperados e desastrosos, por isso, jamais use substâncias ou suplementos alimentares (até mesmo suplementos vitamínicos podem apresentar efeitos indesejados) que não tenham sido prescritos por um profissional de saúde com competência para isso.

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.