Uma coisa que com certeza lhe tornará um melhor pai

Ser um pai implica algumas características essenciais, mas existe algo que é realmente importante para ajudar um homem a tornar-se um pai melhor.


João Martins

Um escritor, Solomon Jones, explicou as suas experiências como pai divorciado, que partilha a custódia da filha, como sendo uma “mistura desajustada entre o amor e a distância, da saudade e da mágoa”. Ele explica que um pai que vive separado de um filho “será reduzido a pouco mais do que uma voz no telefone, uma companhia para o fim de semana, ou um nome num cheque”.

Jones conclui que este processo é penoso porque o amor e a paternidade é “demonstrada através da proteção, apoio e suporte que são difíceis de providenciar sem a presença. A paternidade funciona melhor quando está unida com a maternidade e selada pelo casamento”. O que torna um pai bom em um pai melhor é a união com a mãe, num casamento saudável, forte e cheio de amor.

Leia: 6 características de um pai exemplar

Um estudo realizado por um instituto americano (National Fatherhood Initiative)concluiu que 81% dos pais concordam que “os homens tornam-se melhores pais se estiverem casados com as mães de seus filhos”. David Blankenhorn, presidente do Instituto para os Valores Americanos, explicou a relação entre a paternidade e o casamento mostrando que, historicamente, “a paternidade está seguramente baseada em duas fundações: coabitação com os filhos e a aliança parental com a mãe dos filhos”.

Ele adiciona que isto é mais provável acontecer dentro de um casamento do que fora. Um outro estudo, realizado por investigadores da universidade de Maryland e de Oklahoma, nos Estados Unidos da América, conclui que “o casamento por si só confere uma vantagem, em termos de envolvimento do pai, superiores às características natas do pai, algo que a biologia não confere”.

Segundo uma investigadora desse estudo, “pais que apenas vivem juntos, mesmo que sejam os pais biológicos dos filhos, não investem a mesma quantidade de tempo com as crianças, e são menos calorosos e amorosos, quando comparados com pais biológicos casados”.Relações de pais que apenas vivem juntos são menos seguras do que um casamento.

Uma pesquisa mostra que crianças que nascem de pais na faixa etária dos 20-30 anos, que apenas vivem junto, têm “três vezes mais hipóteses de viver uma separação parental do que crianças que nascem no seio de um casamento.

Advertisement

Ser um bom pai também está ligado à qualidade da relação entre o pai e a mãe das crianças. A mãe, como a principal cuidadora e protetora dos filhos, tem um papel importante no papel do homem como pai. Ela pode interferir na relação entre pai e filho simplesmente negando respeito ao pai, menosprezando o empenho do pai ou até dificultando a proximidade entre o pai e filho.

Leia: 10 lições que aprendi com o meu pai

Quando a relação entre pai e mãe é saudável então a proximidade entre pai e filho irá aumentar e os laços tornar-se-ão mais fortes. Um estudo de 2008 mostrou que a “combinação de uma união parental forte aliada ao apoio e encorajamento do parceiro, desenvolve as características de um pai competente”.

Resumindo, os homens geralmente tornam-se mais envolvidos como pais se eles estiverem casados com a mãe de seus filhos. A ligação entre um casamento saudável e amoroso e a responsabilidade parental é de notar. Não só os pais são essenciais para o bem-estar dos filhos como, também, o casamento é importante para a paternidade.

Leia: Dia dos Pais: 9 qualidades de um bom pai

Toma un momento para compartir …

João Martins

João Martins é um biofísico com uma paixão pelo ensino e busca de conhecimento. Podem enviar uma mensagem ou seguir no Facebook: https://www.facebook.com/joao.martins.1401 ou no google+ https://plus.google.com/u/0/+JoaoMartinsJPM/posts