Se quiser curar suas feridas, escreva uma história, eu lhe digo como fazê-lo

As feridas do seu passado podem ser curadas hoje. Posso ajudar?

Emma E. Sánchez

Há muitos anos, ouvi esta frase: “Se conhecêssemos a história de cada pessoa, seguramente as amaríamos”, e à medida que o tempo passa, mais confirmo isso.

Cada um de nós tem uma história que explica de onde viemos, quem somos e por que somos o que somos. As histórias dão sentido à nossa experiência e à nossa vida.

Essa história de nossa vida é formada de muitas passagens, experiências vividas, situações e momentos privados ou até segredos que ninguém mais conhece, mas que, para nós, marcaram nossas vidas porque nos feriram ou porque ainda hoje nos causam dor e não conseguimos superar.

Nossa história secreta

Muitas pessoas podem ter vivido, em algum momento da vida, alguma situação que saiu de suas mãos ou que simplesmente não tinham poder para controlar; seja porque eram muito pequenas ou porque simplesmente não puderam fazê-lo. No entanto, ao longo dos anos elas perceberam que essas “situações” são feridas da infância que cobram um preço muito alto na vida adulta.

Você é o escritor de sua história

Quando uma pessoa percebe que há algo em seu passado que está impedindo-a de desfrutar a vida ou de simplesmente ser feliz, ela tem a grande oportunidade de fazer algo importante por si mesma.

Advertisement

Não há outra pessoa que saiba tanto sobre sua vida quanto você mesmo e, portanto, ninguém tem o poder de transformá-la como você.

Assumir o controle da própria vida

Uma das melhores maneiras de tomar consciência do que ocorreu e o que é nossa vida é escrevê-la.

A escrita é uma maneira de vivenciar uma catarse muito profunda e de fazê-lo com muita honestidade. O processo se torna libertador daquelas ataduras que causaram danos durante tanto tempo.

A terapia narrativa

É assim que se define esse tipo de terapia, onde a própria pessoa, acompanhada por um terapeuta, escreve sua história fazendo uma análise reflexiva do episódio ou etapa de vida que tenha decidido abordar.

O terapeuta ajuda a pessoa a ver as coisas de uma perspectiva livre de preconceitos, críticas, culpa ou ideias falsas. Fazer isto ajuda-a a “fechar capítulos”, despedir-se de quem não pôde fazê-lo, perdoar, buscar o perdão e recebê-lo e finalmente dar sentido ao que nunca pareceu ter algum.

Advertisement

Vamos tentar de novo?

Agora vou dar-lhe uma série de pequenos passos, muito simples e breves, que você deverá ir desenvolvendo quando terminar de ler este artigo. Vai demorar um pouco de tempo, não dá para fazer tudo em um só dia. O exercício pode levar um mês mais ou menos se você fizer conscientemente.

Talvez você pense que poderá terminar tudo se dedicar uma ou duas tardes, mas não é o caso. O exercício requer que deixe “fermentando” algumas ideias e memórias durante alguns dias para que uma reflexão profunda. Então, não há pressa, é com calma, em seu ritmo e a seu tempo.

A única regra é terminar o exercício.

Você gosta da ideia?

Então vamos começar! Faça os passos em ordem, não se adiante nem os salte.

As tarefas e os trabalhos

Primeira tarefa: Encontre um caderno, folhas de papel, canetas de que você goste. Pode ser algo que já tem por aí ou pode ir comprar um caderno bem bonito que goste e com o qual se sinta muito cômodo.

Advertisement

Segundo passo: O lugar, o dia e a hora. Defina um lugar tranquilo e privado onde você possa estar confortável. Pode ser a sua cama, uma escrivaninha, a sala de jantar, seu escritório, um banco num parque próximo. Pense em um lugar onde possa ficar por algumas horas e escrever com calma.

Terceiro passo: Onde você quer começar? É o seu livro, a sua história, então podemos começar de onde você quiser. Se não é fácil para você começar, posso fazer algumas perguntas que podem motivá-lo a iniciar dando resposta a estas perguntas:

Vou supor que seu nome seja Maria, Ok? Então eu diria:

Poderia me dizer, por favor, quem é a Maria?

Qual é a maior dor na vida da Maria?

Advertisement

O que você mais se lembra com felicidade da sua infância?

E começamos a escrever

Conforme você se organizou, terá uma hora exclusiva para você, pode escrever mais tempo, mas nunca menos do que se propôs.

Esse exercício pode ser feito uma ou duas vezes por semana. Depois que começar, as palavras começarão a brotar, não se preocupe em ficar revisando a ortografia ou a forma, só escreva e não pare.

Poderá reler o que escreveu, riscar e corrigir, mas não deverá tomar muito tempo com isso, mas em escrever.

Isso deve ser feito durante duas semanas, o que significa que você poderia ter pelo menos quatro sessões de escrita com pouca correção.

Advertisement

Semana 3: leitura em voz alta

Nessa semana suas duas sessões de trabalho consistirão em ler seus escritos em voz alta e corrigir aquilo que você não gosta, ou escrever com mais detalhes algumas coisas.

Vamos procurar reconhecer aquelas coisas que você fez bem ou muito bem na história, aquilo que você realizou. Não importa se foi algo pequeno, o importante é que seja uma conquista para você, um acerto, algo que fez muito bem.

Depois vem a lista de coisas onde você errou, onde magoou, onde lhe magoaram. Tente fazer a sua lista com detalhes.

Quando as lágrimas aparecem

Deixe que essas lágrimas surjam, deixa-as correr, não importa se já tinha chorado por isso, e com muito mais razão se não tinha.

Semana 4: Vamos escrever uma história

Depois de esvaziar toda a história, de reconhecer o que estava certo e em que falhou, agora vamos olhar para o quê? Para que serviu isso que você viveu, quem era antes do incidente e quem foi depois?

Advertisement

Agora vem a tarefa mais linda de todas: como contaria esta história para a Maria quando ela era uma menina?

Vamos reescrever esta história num lindo conto que qualquer criança possa ouvir e ficar quieta ou fazer perguntas.

Esta é a nossa história de encerramento. Se não quiser escrever, peço-lhe que grave no seu celular e que a ouça, e que volte a gravar até ter a história mais clara e bonita, para aquela linda menina que começou a sua vida.

O presente:

Agora em diga, há alguém da sua família ou amigos que precisa ouvir essa história?

Talvez seja sua mãe, um de seus filhos, seu marido, uma amiga… Repito, há alguém que precisa ler ou ouvir essa história? Está disposta a dá-la de presente?

Advertisement

Eu adoraria ler sua história, mande-a por favor! Será um prazer lê-la.

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa do original Si deseas sanar tus heridas, escribe un cuento, yo te digo cómo hacerlo

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.