Quem é você e o que fez com meu namorado?

A escolha entre julgar e se decepcionar ou aceitar e amar ainda mais fará toda a diferença ao longo do relacionamento do casal.


Michele Coronetti

O tempo do namoro é mágico. O casal passa a se conhecer e se apaixona ainda mais. Cada encontro um sonho, desejando um breve reencontro. E por mais que as pessoas aconselhem que o casal precisa abrir os olhos antes do casamento, a paixão os deixa completamente cegos.

Então chega o próximo passo. E o início do casamento é maravilhoso. Até que o efeito da paixão começa a diminuir e o casal começa a enxergar quem é seu príncipe ou princesa na realidade. E então o castelo começa a desmoronar.

Leia: Não é de admirar que vocês não se amem

Hábitos, vícios, fraquezas, humores, além das dificuldades da vida em uma nova família ficam evidentes. Atitudes nunca vistas no tempo de namoro incomodam ao cônjuge, e somadas às tarefas do lar, dificuldades financeiras e outros desafios, geram desapontamentos e tristezas. Tudo pode ficar muito pior quando amigos e parentes começam a dizer que ele mudou muito e que isso não dará certo.

A boa notícia é que o casal pode permanecer junto e vencer as decepções. E não é um desafio tão grande assim.

Conversar

O tempo é escasso e a vontade é ficar em silêncio para não gerar uma briga ou gritar para ele parar com isso. Porém, a comunicação no casamento é algo muito importante e sem ela o relacionamento pode desabar. Saber conversar mesmo quando o sentimento é muito negativo com respeito a outra pessoa é algo digno de nota. O autocontrole e o amor pelo companheiro precisam estar em dia. Acusações só distanciam ainda mais um do outro. Encontrar um momento, respirar fundo, segurar na mão dele e dizer o que sente sem alteração do tom de voz é perfeito para resolver os conflitos. Não importa se o problema é o cartão de crédito ou a toalha molhada em cima da cama, conversar com amor e paciência sempre é a melhor solução.

Leia: Atravessando o campo minado da comunicação no casamento

Advertisement

Sair juntos

Esse item não deve faltar nunca, mesmo se a situação financeira estiver precária. Há muito que se pode fazer, mas deixar de ter um tempo para namorar e rir juntos não deve ser deixado de lado, ao menos uma vez por semana. Casais que seguem este conselho são mais felizes e continuam apaixonados ao longo de muitos anos. Sabem que são importantes para seu parceiro e amam estes encontros, mesmo já conhecendo as falhas e hábitos não tão interessantes do cônjuge através da convivência.

Leia: 7 ideias para ter encontros adoráveis que farão a sua esposa sorrir

Decidir

Ao escolher o cônjuge com o coração, o cérebro não fica de fora. A decisão de permanecer com ele afetará todo o relacionamento. Pensamentos duvidosos e negativos prejudicam o modo de pensar a respeito do casamento e do cônjuge. Eles são refletidos imediatamente na forma de tratamento no dia a dia e ao longo do tempo. Quem decide permanecer no amor ainda que os desafios sejam intensos e as falhas do companheiro realmente incomodem, geralmente permanece mais feliz na união. Lutar para que o relacionamento seja preservado dos ataques externos e dos dissabores internos só trará benefícios pessoais e familiares.

Leia: Casamento – escolha viver a melhor parte

As pessoas mudam constantemente. Elas também revelam quem realmente são na convivência diária. A escolha entre julgar e se decepcionar ou aceitar e amar ainda mais fará toda a diferença ao longo do relacionamento do casal.

Leia também: Como eu voltei a amar meu marido

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.