Os irmãos se odeiam? 5 passos para solucionar os problemas

Muitos problemas entre irmãos podem ser amenizados e até evitados se os pais atentarem-se a 5 passos essenciais que devem ser desenvolvidos no lar.


Roberta Preto

Eu nasci em uma família com poucos recursos financeiros, mas, ricos em valores, virtudes e educação. Meus pais sempre foram firmes para nos corrigir quando preciso e, mesmo agora, após 34 anos de nascida, tanto eu quanto meus irmãos, não só respeitamos como também seguimos tudo o que nos foi ensinado por nossos pais.

Quando eu e meus irmãos éramos mais adolescentes, brigávamos o tempo todo e sempre havia disputas, porém, bastava meus pais olharem que sabíamos que nossas ações iam contra aquilo que eles esforçavam para nos ensinar.

Há uma frase que nossos pais sempre nos diziam quando estávamos brigando: “Não sejam tolos, vocês devem cuidar um do outro, porque quando não estivermos mais nesta vida, vocês terão apenas vocês mesmos para manter viva a nossa família, portanto, não se percam um do outro.”

Graças a esta educação oferecida por nossos pais eu e meus irmãos, apesar de todas as diferenças, sempre mantemos contato e sabemos que temos uns aos outros.

Observe os 5 passos para solucionar as brigas dos filhos no lar:

1. Assumam o controle

A estabilidade e a paz no lar são essenciais para se ter harmonia e felicidade, no entanto, quando os filhos assumem o controle da casa, passando por cima dos pais, ousando ditar suas próprias regras, é certo que essa família está a ponto de se desmoronar.

Os pais devem assumir o controle da família, acabar com os caprichos e manhas dos filhos e, acima de tudo, pôr um ponto final nas brigas deles, através correção moderada.

Advertisement

2. Assumam sua autoridade

Os pais são e devem permanecer como autoridades maiores no lar, não para impor regras ou usar de abuso com sua autoridade, mas sim, ensinar, organizar, corrigir e pôr limites nos filhos.

Se os irmãos não se respeitam e não demonstram bondade pelos seus, dificilmente terão isso pelos outros na vida adulta, pois esses atributos costumam desenvolver no lar e, principalmente na infância. É dever do pai e da mãe preparar os filhos na infância para viver em sociedade através dos ensinamentos estabelecidos no lar. E tudo isso pode ser construído por pais sábios, ensinando os filhos com amor, responsabilidade, bondade e firmeza.

3. Sejam o bom exemplo

Presenciei pais rígidos e completamente descontrolados com suas próprias emoções na frente da família e, mesmo com essas atitudes imaturas, desejavam que os filhos se respeitassem entre si.

Se pai e mãe esperam que os filhos tornem-se mais pacientes e bondosos entre si, então esses pais deveriam avaliar o próprio comportamento.

Lembrem-se que a tendência é que pais irados produzirão filhos irritados e agressivos, pois se vocês desejam ensiná-los a serem gentis com seus irmãos é preciso primeiro que vocês tenham controle sobre suas próprias emoções, porque mais que palavras, filhos precisam de bons exemplos.

4. Ame-os por igual

Ouvi muitos relatos e presenciei situações em que os próprios pais ativavam sem perceber a ira dos filhos um pelo outro, tudo porque havia o filho “preferido”. Isso nunca deveria existir dentro de um lar.

Os pais devem amar os filhos na mesma proporção, claro que há momentos em que é preciso fazer atividades salutares com eles separadamente para estar atentos às necessidades pessoais de cada filho, entretanto, jamais deve haver ausência dos pais com nenhum filho.

O valor da família nasce na infância dos filhos e perdura na vida adulta deles. Os filhos devem aprender a lei do amor no lar pelo exemplo dos pais, e esses pais devem ensinar a importância dos irmãos serem unidos, prestativos e gentis uns com os outros.

5. Sejam justos

Sim, os pais precisam ser juntos com os filhos para evitar que o ódio cresça dentro de seus corações, é preciso pais justos que saibam repartir as obrigações dos lares com toda família.

Todos nós precisamos ter responsabilidades para crescimento pessoal, porém, o que for cobrado de um, também precisa ser cobrado do outro, como os afazeres domésticos. Pais! Por favor, sem essa de que o menino não deve fazer serviços domésticos e que é dever da filha essas obrigações. Ambos devem ajudar.

Advertisement

Lembrem-se: O que for oferecido para um, o outro também precisará receber, como um presente. Se vocês não puderem dar para os dois, não dê para nenhum.

Toma un momento para compartir …

Roberta Preto

Roberta Preto, 33. Formada como tradutora e intérprete, escritora, mãe. Apaixonada pela vida, em uma eterna busca por conhecimento. Espero que minhas palavras possam ser uma luz na vida das pessoas. Sonho em ajudar a humanidade a tornar-se livre da escravidão da ignorância.