Os especialistas recomendam: sem telefone celular até 12 anos e sem WhatsApp até 16

Há um tempo para tudo. Quando os anos passarem, você verá que perdeu os melhores anos com ele. Vamos fazer algo para recuperar nossos filhos, agora.

Emma E. Sánchez

Se este artigo chamou sua atenção, talvez isso signifique que você tem observado crianças pequenas com telefones celulares ao seu redor ou em sua própria casa, ou está em dúvida se compra ou não para dar de presente a seu filho ou a um membro da família. Mas as diferentes opiniões fizeram você procurar mais informações e deseja tomar uma decisão correta. Então, parabenizo você, porque dar um telefone celular a um menor é um presente “de dois gumes” e um deles, a propósito, muito perigoso.

De acordo com a Associação Americana de Pediatria (AAP), bebês e crianças pequenas não devem ser expostos a telas. Aqui, revisaremos alguns conceitos sobre o uso da tecnologia por menores, de acordo com especialistas.

Visualizar telas antes de 18 meses

Você já pensou quanto tempo uma criança pode passar assistindo algo em uma tela? Há casas onde, assim que acordam, ligam a TV ou até mais: a TV liga para que a família possa se levantar.

Depois, as crianças assistem à TV enquanto tomam café da manhã e brincam, ou assistem a um programa em um tablet no caminho para a escola; lá eles também podem ter tablets ou lousas inteligentes, mesmo desde a pré-escola. Eles voltam para casa novamente com um tablet nas mãos e assim por diante até que dormem “lendo” uma história no celular de sua mãe.

Dizem que uma criança com menos de 3 anos de idade pode chegar ver uma tela por até 6 horas por dia, o que é inédito!

Quanto mais uma criança passa na frente da tela, menos tempo gasta desenvolvendo habilidades motoras, deixando também de lado seu desenvolvimento social e emocional. Ter menos movimento físico também compromete sua saúde, pois crianças com essas características tendem a ganhar mais peso do que aquelas que saem para brincar.

Advertisement

Assistir a programas com conteúdo de alta qualidade (em todos os sentidos) entre 18 e 24 meses

Desde os 18 meses de idade, é quase impossível para um pequeno não assistir à televisão, é realmente necessário um grande compromisso dos pais para conseguir isso. É difícil, mas pode ser feito. No entanto, se estiver desistindo, lembre-se dessas duas regras: não mais que 30 minutos por dia na frente da tela e, acima de tudo, que o que seu filho vê seja de alta qualidade.

Imagine o seguinte: seu bebê está no melhor momento de aprendizado de toda a sua vida, o que colocar na sua frente, ele guardará sem filtro na mente e no coração. Sabendo disso, o que você gostaria que ele aprendesse? Violência? Palavrões? Comportamentos vulgares para imitá-los? Certamente que não. Então, faça com que o que chegar a seu filho seja o melhor, aquilo que você deseje que ele leve consigo por toda a vida.

Canção de ninar de sua mãe, contos clássicos, música, versos tradicionais, jogos de raciocínio, você pode até começar a ensiná-lo a ler.

Assista a programas com conteúdo de alta qualidade, no máximo uma hora por dia, entre 2 e 5 anos

Nesta fase da vida, muda apenas a quantidade de tempo que uma criança deve passar na frente de uma tela, a qualidade do conteúdo não muda. Evite programas indesejados, lembre-se:  não é porque é popular que significa que seja correto.

A partir de 6 anos, equilibra atividades

Arte, esportes, escola, dever de casa, tempo livre para brincar, tempo para a família, dever de casa, atividades sociais, recreativas e até religiosas devem ser equilibrados pela saúde emocional da criança e da família, de maneira geral.

Advertisement

Esperar até os 12 anos para ter um telefone celular

E um modelo simples, fácil e, de preferência, que não se conecte à internet. Sim, claro. Não caia na armadilha, nenhuma criança na educação primária precisa desse dispositivo. Se usá-lo, é para se comunicar com os pais por ocasião de um passeio da escola ou com os amigos, mas nada além disso. O propósito do aparelho é ficar em comunicação, nada mais.

Não caia na armadilha de que ele precisa para a lição de casa, descubra se isso é verdade diretamente os seus professores. Você pode definir metas para ter um, mas, por nenhuma razão é prudente fornecer o modelo mais recente, isso é terrível! Nessa idade, as crianças não sabem o valor das coisas, não trabalharam para isso e será muito fácil perder ou serem roubadas.

É desnecessário repetir que o uso excessivo de dispositivos digitais nessas idades pode causar distúrbios cognitivos, como déficit de atenção, problemas de memória, distração, aumento da impulsividade, falta de autocontrole, ansiedade, excesso de peso e problemas de comportamento ou socialização

Aguarde até 16 para usar o WhatsApp

A adolescência é o estágio mais crítico para os meninos, porque é aí que começam os problemas com vício ou dependência de dispositivos, cyberbullying, bulling, sexting ou grooming, todas essas ações terríveis e dolorosas que podem destruir qualquer adolescente.

O acesso a esse tipo de plataforma de comunicação abre um espaço infinito de possibilidades para entrar em contato ou ser contatado por qualquer pessoa, incluindo pedófilos e assediadores.

Advertisement

Se antes dessa idade seu filho precisar estar em alguma plataforma como essa para “lições de casa”, ofereça seu número.

Se os meninos já usam esse tipo de aplicativo, é um requisito você ficar verificando com frequência, a privacidade deve ser conquistada, essa é a regra.

Converse com seus filhos sobre “os desafios”, o roubo de informações e todos os perigos que estão correndo, ensine-os a serem cautelosos, a não compartilhar fotos inapropriadas porque é crime, e não aceitá-las. Nada que é removido é apagado da Internet, sempre fica lá.

Explique a eles as conseqüências de suas ações e decisões

Alguns pais abrem o Web WhatsApp no computador, logando com a conta do filho, para, a partir daí, monitorarem as conversas.

A senha da Internet pode ser compartilhada, dependendo de eles terminarem o trabalho ou atingirem seus objetivos, você é o adulto, o responsável e apto para tomar as melhores decisões para seus filhos.

Advertisement

Ter idade legal para usar as diferentes redes sociais

E finalmente chegará o dia em que só podemos confiar no que lhes ensinamos e deixá-los fazer a coisa certa, tomar decisões e assumir suas conseqüências. Há coisas que estão fora do nosso alcance para evitar, só podemos ensinar e educar, e depois aprender a confiar.

Quando essa idade chegar, não seja o elo fraco que permite, encobre ou o encoraja a fazer coisas inapropriadas para a idade deles. Há um tempo para tudo, não há pressa.

E o último grande conselho:

Seja o exemplo e a referência que seus filhos precisam. Se você vive com os olhos grudados na tela, não terá moral para exigir o oposto de ninguém de sua casa.

Traduzido e adaptado por Erika Strassburger, do original Los expertos recomiendan: sin celular hasta los 12 años y sin WhatsApp hasta los 16 

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.