O que é e como agir perante a Síndrome de Alienação Parental

Informações sobre a Síndrome de Alienação Parental que possa fazer com que pais e familiares avaliem o quanto essas ações podem gerar males psicológicos ? s crianças e adolescentes.


Suely Buriasco

A Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner em 1985 para a situação em que os genitores ou familiares tentam romper os laços afetivos com o outro genitor. Figura à SAP a tentativa de afastar o filho de um de seus genitores por palavras e ações que aterrorizam a criança.

Vingança

Os casos mais frequentes de Alienação Parental acontecem como consequência da separação do casal na qual um ou ambos os cônjuges mantêm sentimentos e emoções destrutivas em relação ao outro. Então o filho é utilizado como instrumento da agressividade direcionada ao parceiro. A falta de discernimento desencadeia uma tendência forte para a vingança, fazendo com que os genitores tentem incansavelmente desmoralizar e desacreditar o outro perante os filhos.

Efeitos

Esse tipo de vivência traz efeitos psicológicos extremamente negativos para os filhos, podendo destacar:

  • Depressão, ansiedade e pânico, podendo chegar ao suicídio.

  • O envolvimento em vícios como cigarro, drogas e álcool.

  • Comportamento agressivo, inconsequente e exagerado.

  • Baixa autoestima.

    Advertisement
  • Dificuldade de manter uma relação estável.

Atitude

Se como genitor ou familiar você percebe que a criança ou adolescente está vivenciando a situação de ser privada de um bom relacionamento familiar, tome uma atitude o quanto antes. Algumas ações são importantes:

  • Se você é pai ou mãe busque compreender seu filho e proteja-o de discussões ou situações tensas com o outro genitor.

  • Converse com seu filho e assuma uma postura equilibrada, solicitando o mesmo dele em relação ao genitor desequilibrado.

  • Diga a ele o quanto o ama e esclareça que o fim do casamento não significa que você não quer estar perto dele. Saliente e demonstre seu afeto.

  • Se você é um familiar próximo pode tentar mediar essa situação junto ao cônjuge colérico, tente evidenciar o sofrimento do filho para sensibilizá-lo.

  • Infelizmente, é difícil que esse tipo de comportamento se transforme sozinho, assim, caso a situação continue, é importante buscar e incentivar auxílio profissional para tratar o problema.

Direito

Toda criança e adolescente têm direito ao desenvolvimento saudável, ao convívio familiar e a participação de ambos os genitores em sua vida. É preciso que os pais e todos os familiares se conscientizem que a separação dos genitores já é bastante sofrida para os filhos e, portanto, deveriam poupá-los ao máximo. Nenhum filho se sente bem diante de comentários degradantes sobre um de seus pais, mesmo que configure verdade. Excluir um dos genitores da vida do filho é imputar-lhe maior sofrimento.

Pai e mãe, os filhos precisam de ambos; não lhes neguem esse direito!

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.