Meu filho é muito impaciente, como posso ajudá-lo?

Se seu filho é impaciente, aqui estão algumas ótimas estratégias para ajudá-lo.

Emma E. Sánchez

Julia tem observado que seu filho é muito impaciente e às vezes parece até mesmo insolente.

Ela notou que a criança é um tanto impulsiva, especialmente quando tem que esperar a sua vez na fila ou quando ela ou o marido está ao telefone ou ocupado e ele pede sua atenção.

Maria começou a se preocupar muito e a se sentir incomodada com o comportamento do filho, a ponto de não ir mais às festas infantis para as quais eram convidados porque, por mais que falasse com o filho, ele não mudava.

Ao conversar com ela e ouvir suas preocupações, descobri que ela, assim como muitas mães jovens, estava se esquecendo de algo muito importante:

A paciência, como muitos outros comportamentos, deve ser aprendida e modelada pelos pais

Portanto, esta é a primeira regra:

Advertisement

Se quer ensinar paciência, você deve ser mais do que paciente, você também deve exercer autocontrole, responder de forma amigável e estar disposta a prestar atenção em seu filho.

A impaciência é inata, as crianças são impacientes. Portanto, ensiná-las a ser pacientes deve ser uma tarefa importante desde que são bem pequenas; caso contrário, você não terá apenas um filho impaciente, mas um adolescente atrevido e um adulto mal-educado.

Se você percebeu que o comportamento impaciente de seu filho está causando frustração ou problemas com outras crianças ou na escola, é hora de agir, e o primeiro passo é por sua conta.

Reveja como você reage a situações que a incomodam, que a deixam nervosa ou como anda tratando os outros. Por exemplo, pessoas no banheiro, servidores públicos ou algum subordinado. Então, você vai perceber que certamente há uma faceta em que você não foi tão gentil e nem tão paciente; e seu filho escuta, observa e aprende. Na verdade, esse exercício deve ser realizado com todos os adultos com quem a criança se relaciona, pois ela está aprendendo ou imitando comportamentos inadequados.

Depois de detectar os pontos em que você deve trabalhar para melhorar, vá em frente! E tenha sempre a seguinte pergunta em mente:

Advertisement

Como você gostaria que seu filho lidasse com a mesma situação quando for adulto?

Lembre-se: se quer um filho paciente, seja uma pessoa paciente. Agora, algumas recomendações gerais para colocar em prática com seus filhos:

Evite gritar em casa

Os gritos são uma manifestação de desespero, raiva ou impaciência, o mesmo que comunica frustração e desconforto. Se precisar de algo, vá até onde seus filhos ou marido estão, fale com suavidade e firmeza.

Vou dar um exemplo bem específico: você está ao telefone, seu filho está brincando e você grita com ele, “Cale a boca! Você não me deixa ouvir!”. Nesse caso, diga à pessoa na linha para esperar, vá até seu filho e peça para ele, por favor, fazer menos barulho.

Respeitem a vez de cada um falar em casa

Às vezes, quando estamos em família, é muito fácil conversar, ficarmos entusiasmado, e acabarmos não deixando os filhos falarem ou participar. Isso os deixa com raiva, frustrados e até mesmo desencadeia um momento constrangedor.

Pratiquem revezando-se na hora de falar, esperando pacientemente e deixando que quem estiver com a palavra termine logo de falar para que outro continue.

Advertisement

Pratiquem e vivam o costume de esperar a sua vez

Procure mudar a ordem, por exemplo, de servir a comida, para que não seja sempre primeiro o filho ou o pai. Que todos, em algum momento, sejam os primeiros ou os últimos. Assim, todos devem esperar e fazê-lo com paciência.

Atender às crianças

Muitas crianças se desesperam e ficam impacientes porque nunca recebem atenção dos pais. Simples assim. Isso não significa que você deva atendê-las imediatamente depois de falarem ou pedirem algo. Trata-se de falar com elas, ouvi-las, pedir-lhes um momento se você está ocupada, e atendê-las assim que desocupar.

É fazer com que a criança se sinta ouvida e cuidada. Se souber que vão lhe dar tempo e vão escutar, ela será paciente. Mas se sentir que isso nunca vai acontecer, ela irá gritar e exigir atenção da única maneira que sabe.

Preciso falar com você

As mães estão sempre ocupadas, e agora, muitas delas trabalham em casa. As coisas ficam mais estressantes com as crianças. Compartilho uma estratégia que funcionou muito bem para mim quando minhas filhas eram pequenas: em um momento em que todos estão calmos, você abraça cada um de seus filhos e explica que, como eles sabem, você está muito ocupada com o trabalho e com a casa, e que realmente quer ouvi-los e atendê-los. Por isso, quando precisarem de algo, eles dizem o que é e se é urgente, ou se podem falar um pouquinho quando você puder prestar atenção “com os olhos e ouvidos”. Ou seja, dedique-lhes um momento com toda a sua atenção, não apenas escutando-os enquanto continua trabalhando.

As crianças são muito compreensivas, entendem rapidamente. E é importante cumprir a sua palavra, pedir desculpa se cometer um erro e fazer sempre o que é certo.

Advertisement

Respire e seja paciente

Desenvolver a paciência não é algo que acontece da noite para o dia, leva muitos anos ou a vida inteira. Há pessoas maravilhosas que parecem ser muito pacientes e, quer saber? Quando tenho oportunidade de conversar com elas, quase sempre coincide de terem passado por alguma situação tão difícil e complicada, que as fez repensar sua vida e compreender que viverem aceleradas e sem dedicar tempo à família ou amigos não é vida.

Então, hoje é o melhor dia para mudar e melhorar a sua vida. Ao fazer isso, você verá como muda e melhora a de toda a sua família.

Traduzido e adaptado por Erika Strassburger, do original Mi hijo es muy impaciente, ¿cómo lo ayudo?

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.