Marcos Mion homenageia filho autista: ‘Não precisamos de cura’

As coisas que ele falou emocionou a todos.


Renata Finholdt

Filhos são sempre uma grande bênção e uma fonte inesgotável de aprendizado para seus pais. Quando os filhos chegam em nossas vidas ficamos temerosos em sermos bons pais, ensinarmos para eles valores e princípios corretos, estarmos presentes e darmos todo o amor e carinho que eles merecem.

Algumas pessoas ainda são escolhidas para serem pais de crianças especiais, crianças essas que trazem muito mais ensinamentos a seus pais, são as crianças autistas.

Recentemente o apresentador Marcos Mion, pai de Romeo, autista, emocionou a internet com uma linda declaração a seu filho em uma rede social.

Em sua mensagem ele exclama: Viva a genética autista! Escreve ainda que o mundo seria muito mais “puro, bondoso, verdadeiro e honesto” caso a genética autista evoluísse.

Ao contrário do que muitos pais possam sentir, Marcos Mion se sente muito feliz por ter sido escolhido pai de Romeo, um filho autista.

O autismo, também conhecido como Transtorno do Espectro Autista, é um distúrbio neurológico associado a defeitos congênitos. Ele acomete mais meninos do que meninas, segundo estudos, e seus sinais aparecem de forma gradual ao longo da infância da criança.

Basicamente o autismo afeta o processamento das informações pelo cérebro e causa com isso comprometimento da interação social e um comportamento restritivo e até repetitivo, como o agitar das mãos ou balançar do corpo.

Advertisement

A criança, adolescente ou adulto autista também pode manter o interesse restrito em algum objeto, brinquedo ou programa de TV. Podem demonstrar comportamentos de automutilação.

O acompanhamento para um autista consiste em estímulos ao aprendizado e ao convívio social e principalmente em ajudar a família a lidar com esse transtorno. Neste sentido, Marcos Mion mostrou-se muito preparado. Segundo o apresentador, viver ao lado de Romeo tem sido um privilégio ao qual faz com que ele se sinta iluminado pelo filho, além de saber que todos aqueles que o cercam também tenham esse mesmo sentimento.

A inclusão de uma criança autista começa dentro das paredes de seu próprio lar e a forma como seus familiares lidam com o transtorno afeta diretamente o desenvolvimento da criança. Uma criança ou adolescente autista não precisa, e nem deve, viver isoladamente do mundo, e cabe primeiramente à família proporcionar essa interação com a sociedade.

A busca por informações e apoio é algo importante para apoio dos familiares a fim de saberem lidar com a criança da melhor forma possível e entenderem seu papel neste processo.

Marcos Mion é um grande exemplo para outros pais de crianças autistas. E viva a genética autista!

Toma un momento para compartir …

Renata Finholdt

Renata Finholdt é formada na área de Recursos Humanos com enfâse em treinamentos.