Infarto ou crise de ansiedade? Você sabe diferenciar?

Dores no peito, mal-estar, cansaço, sudorese, falta de ar e extremidades frias me fizeram acreditar que eu estava tendo um infarto.

Stael Ferreira Pedrosa

Tive pai e mãe que sofreram infarto e este acabou sendo suas causas de morte. E por menos que eu queira, vvo em estado de alerta para qualquer sinal de ataque cardíaco. Algumas semanas atrás, após uma notícia relativa a meu irmão mais velho que precisava colocar 4 stents – que são próteses internas, como um tubo expansível, que é inserido dentro das artérias para restaurar a irrigação sanguínea e o recebimento de oxigênio no coração, reduzindo o risco de infarto – eu comecei a me sentir muito mal.

Dores no peito, mal-estar, cansaço, sudorese, falta de ar e extremidades frias me fizeram acreditar que eu estava tendo um infarto. Chamei calmamente meu filho e disse que eu não estava me sentindo muito bem e se ele poderia me acompanhar até a clínica médica perto de casa. Ele, muito amavelmente, acompanhou-me enquanto eu tentava encontrar uma maneira de lhe dizer que eu estava enfartando.

Preferi me calar, até passar por um médico. E ainda bem que fiz isso, pois todos os exames comprovaram que eu NÃO estava tendo um ataque cardíaco. Meu coração parecia mais saudável que nunca. A pressão arterial estava um pouco elevada, mas o eletrocardiograma estava ótimo, o exame de troponina, normal. Não havia problemas respiratórios que justificassem a falta de ar e a sudorese. Ao exame físico, devido às dores no peito, houve suspeita de gastrite, e realmente sofro de pangastrite erosiva. Na verdade, não era infarto, eu estava tendo uma CRISE DE ANSIEDADE, provavelmente desencadeada pela situação do meu irmão.

Como é o infarto?

O Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) ocorre devido a uma obstrução da artéria coronária, que se dá pela formação de uma placa de ateroma, ou mesmo um coágulo, que dificulta e diminui o fluxo sanguíneo cardíaco, causando um processo de necrose no tecido não irrigado, levando a lesões permanentes ou morte. Em palavras simples, há um entupimento de uma ou mais artérias, por placas de gordura que impedem que o sangue chegue a todas as partes do coração. Essa parte que não recebe o sangue também não recebe oxigênio e acaba necrosando.

Quais os sintomas do infarto?

Segundo especialistas, não existe um conjunto único de sintomas que caracterizam o infarto, sendo, inclusive que mulheres e homens apresentam sintomas diferentes na maioria das vezes.

Advertisement

Sintomas nos homens

Dor intensa no peito como se fosse em pontada, que pode irradiar para outros locais, como ombro, costas, braço e pescoço. Também são característicos a falta de ar e suor repentino, náusea, indigestão ou dor abdominal, tontura, tosse seca, palpitação, fraqueza e, em alguns casos, desmaio. Se não socorrido em tempo, o paciente morre.

Sintomas nas mulheres

Estes podem ser um pouco distinto, devido à fisiologia diferente. As mulheres têm o coração menor ,a frequência cardíaca é mais acelerada e as artérias mais finas, tendo, assim, maior tendência a apresentarem bloqueios nelas. O infarto feminino geralmente apresenta dores no estômago, sensação de aperto no peito e cansaço sem causa aparente. É chamado de infarto silencioso, já que não apresenta os sintomas citados antes; e a dor no peito, quando há, é menos intensa, levando também à morte quando não tratado a tempo.

O que é a ansiedade generalizada?

A TAG ou Transtorno de ansiedade generalizada tem como característica principal a preocupação exagerada sobre algo, geralmente um evento fixado no futuro, causando um humor negativo e sintomas corporais resultantes da tensão excessiva. Ela só se torna doentia quando o corpo reage excessivamente a um estímulo, de forma desproporcional, transformando uma reação adaptativa em uma reação desadaptativa, ou mesmo quando ela aparece relacionada a estímulos que normalmente não gerariam ansiedade, segundo a psicóloga Karina Nava.

Sintomas

São variados, sendo os mais comuns: preocupação excessiva, desproporcional ao fato, ritmo cardíaco acelerado, sudorese, palidez, extremidades frias, dores no peito ou estômago, em casos mais severos, enjoo, vômitos e sensação de morte.

Estes sintomas são, na maioria das vezes, confundidos com infarto, salvo a intensidade da dor no peito e pelo desmaio, que normalmente não ocorre na ansiedade.

Advertisement

O que fazer quando alguém apresenta tais sintomas

Não tente adivinhar

Se a pessoa já tem um histórico de ansiedade e crises graves, não pense em infarto imediatamente. O certo é fazer o que é recomendado por seu psiquiatra ou neurologista, seja um processo de relaxamento através de exercícios respiratórios ou uso de medicamento anteriormente prescrito, fique atento e observe a pessoa, veja se ela vai voltando ao normal. Se for infarto irá piorando.

Se há casos de infarto na família

Caso haja risco para infarto, tais como histórico familiar, problemas cardíacos, idade avançada, obesidade, hipertensão, diabetes, uso de drogas – especialmente cocaína, já que esta droga é responsável por 25% dos Infartos Agudos do Miocárdio (IAM) em pacientes entre 18 e 45 anos de idade e o risco é 24 vezes mais elevado nos primeiros 60 minutos após o consumo – o correto é procurar um pronto atendimento o mais rápido possível. Só um médico e exames poderão dar o correto diagnóstico.

Leia também: AVC: sinais de que vc pode ter um no futuro

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.