Há um jeito certo de fazer um bebê arrotar?

Colocar seu filho para arrotar é um ato mecânico que se repete após cada mamada. Veja aqui alguns detalhes que podem impedí-lo de ter dores e cólicas por causa do ar retido em seu estômago.


Fernanda Ferrari Trida

Fazer o bebê arrotar após cada mamada é um procedimento tão natural para as mães que, não creio que alguma delas já tenha parado para pensar no porquê dessa necessidade e em qual a maneira ideal para fazê-la. Simplesmente colocamos nosso filho para arrotar e pronto. Sendo assim, neste artigo, vou contar à você algumas curiosidades acerca do assunto para que seu bebê possa arrotar corretamente e não sofrer com dores e cólicas.

1. O que é o arroto (eructação)?

O arroto é um processo normal para o bebê. Por seu sistema digestivo ainda não estar totalmente desenvolvido, junto com o leite das mamadas, o bebê pode engolir ar. Se a criança utiliza mamadeira ela tende a engolir mais ar do que o faria se estivesse sendo amamentada no peito pois o bico da mamadeira não é tão anatômico quanto o peito, facilitando a deglutição do ar.

Como o ar é mais leve que o leite, ele se deposita na porção superior do estômago, próximo ao esôfago. Por isso, imediatamente após a mamada, o bebê deve ser colocado em posição vertical durante alguns minutos, para facilitar a liberação deste ar (que se ficasse retido poderia provocar dor gástrica e cólicas intestinais).

2. As clássicas batidinhas nas costas são uma boa idéia?

Até hoje não vi uma mãe sequer que não dê tapinhas nas costas do bebê, por acreditar que só assim seu filho vai arrotar. Mas isso não é verdade. O bebê vai arrotar independentemente do que a mãe faça.

Quanto à utilidade dos tapinhas nas costas, há duas correntes de pediatras. Uma delas diz ser válido fazer isso, pois otimiza o processo (leva menos tempo para o bebê arrotar). A outra corrente diz que esse procedimento não deve ser feito, principalmente se o bebê sofre com refluxo patológico (este tipo de refluxo ocorre quando o bebê regurgita após as mamadas; já o fisiológico é aquele em que não há regurgitação constante).

A explicação destes médicos é a seguinte: na passagem do esôfago para o estômago existe uma estrutura muscular chamada cárdia. Sua função é impedir que o alimento do estômago retorne ao esôfago (refluxo). Assim, como tudo no bebê, esta musculatura ainda não está suficientemente desenvolvida, e, portanto, não atua como impeditivo para o refluxo.

Colocar o bebê na posição vertical após a mamada evita que o leite retorne, mas dar tapinhas em suas costas pode ser prejudicial, porque o leite que acaba de ser tomado e está no estômago sendo digerido sofre um efeito de turbilhonamento, e como o cárdia ainda é imaturo, gera refluxo e lançamento de ácido estomacal para o esôfago.

Advertisement

3. Chacoalhar o bebê para arrotar é correto?

Uma vez que o bebê esteja em posição vertical no seu colo e com a barriga contra seu peito, deixe que a gravidade atue. Como disse anteriormente, o ar é mais leve que o leite e tende a sair através da eructação sem que precisemos fazer qualquer manobra para ajudar. Chacoalhar o bebê logo após a mamada só vai fazê-lo regurgitar.

4. Mas… e se o bebê não arrotar?

Se ele não arrotar depois de alguma mamada não se preocupe. Provavelmente, ele não engoliu ar enquanto se alimentava. Isso ocorre com mais frequência quando a criança mama no peito, pois a boca do bebê se encaixa perfeitamente no bico do seio da mãe, não dando tanta margem para a deglutição de ar.

Fontes:

Filhos – da gravidez aos 2 anos de idade

, da Sociedade Brasileira de Pediatria, Ed. Manole, 2010.

Tratado de Fisiologia Médica

, de Guyton & Hall, Ed. Guanabara Koogan, 2002.

Robbins – Patologia Estrutural e Funcional

, de Cotran, Kumar & Collins, Ed. Guanabara Koogan, 2000.

O que esperar quando você está esperando

, de Murkoff, Eisenberg & Hathaway, Ed. Record, 2009.

Refluxo Gastroesofágico Relacionado com Patologias dos Ouvidos, Nariz e Gaganta das Crianças, de Thierry van den Abbeele.

Fonoaudiologia X Alimentação do Bebê, de Rita de Cássia Vasconcelos de Albuquerque.

Toma un momento para compartir …

Fernanda Ferrari Trida

Fernanda Trida é jornalista, médica veterinária, dona de casa, esposa, mãe de Marcela, com três anos, e de João, com um ano de idade.