FASE DA AFIRMAÇÃO: O ‘terrible fours’. Aprenda a controlar suas reações em 5 passos

Conheça as possíveis soluções de especialistas que podem acalmar seu filho que está passando por essa fase (por volta dos 4 aos 5 anos de idade).


Cibele Carvalho

Para as mamães e os papais de plantão que estão vivendo as crises de ataques das crianças de dois anos, a chamada adolescência do bebê, e acham que não há nada mais terrível do que isso no comportamento dos seus filhos, tenho algo a lhes declarar: PREPAREM-SE!!!!!

Haha! Pura inocência ainda, porque o excesso de desafios e total imposição de ideais chega por volta dos 4 anos, podem acreditar.

Segundo o Professor e Psicólogo Infantil Leonardo Pestillo de Oliveira, o que mais influencia o desenvolvimento do ser humano na infância, bem como sua personalidade, certamente é o ambiente em que essa criança está se desenvolvendo.

De acordo com o especialista, várias teorias psicológicas já indicam que a educação da criança, sua formação e seu comportamento irá depender de dois fatores básicos: interação com os pais e a influência do meio em que vive.

Dessa forma, percebemos se comprovar aquilo que como pais (mãe e pai) normalmente já sabemos, nosso comportamento, nossos defeitos, nosso exemplo, influencia direta e totalmente no desenvolvimento e comportamento dos nossos filhos.

Por isso, retirei estas dicas de alguns especialistas no assunto, com a ajuda de alguns pais que já passaram por essa fase do terrible fours, sobre como VOCÊ e EU, mãe e pai, devemos agir para acalmar nossos pequenos nessa fase:

1º PASSO: Minhas respostas negativas. Trabalhando o EU!

Uma das coisas mais importantes que como pais precisamos APRENDER nessa fase da vida dos nossos filhos, se é que ainda não aprendemos, agora pode ser uma boa hora para começar, precisamos aprender a controlar-se, exercer autocontrole das nossas emoções.

Advertisement

Quanto mais intolerantes nos manifestamos, mais perdemos nosso equilíbrio emocional, que é crucial nessas ocasiões.

Segundo a Psicopedagoga Isa Minatel, nossos filhos por volta dos 4 anos passam a se tornar seres pensantes, e com identidade e opiniões próprias já formadas, como pais precisamos começar desde a infância a saber dialogar com eles.

Assim, conforme ensina a especialista em seus diversos vídeos no Youtube, ficar dizendo NÃO o tempo todo é pior e prejudicial, precisamos descobrir como resolver as situações, como contornar os pedidos.

2º PASSO: Irritação não se deve dar atenção!

Ainda de acordo com as técnicas trazidas por Isa Minatel, como é de conhecimento de nós adultos, não somos obrigados a conversar com alguém quando esse alguém encontra-se irritado com a gente, podemos e precisamos aprender a esperar e permitir que nossos filhos se irritem, deixar que sofram, chorem por alguns minutos, e declarar-lhes que: “Não conversamos com a pessoa quando essa está irritada, brava ou nervosa”.

Podemos levar a criança para uma reflexão, utilizar o famoso pote da calma, deixar ela quieta e trasbordar em suas emoções, após ela se acalmar, então prosseguimos com uma conversa e com explicações.

3º PASSO: Repetir a mesma correção pode ser a solução

Muitas vezes nós pais achamos que porque em uma ocasião aquela maneira de agir não resolveu o problema, já devemos deixar de aplicá-la, pois não irá funcionar, mas precisamos lembrar que todos os seres humanos, todos mesmo, até mesmo as crianças, aprendem por repetição.

Então, se você colocou algumas regras, castigos, formas de lidar, continue, faça o mesmo método por diversos dias, prossiga em sua educação, até que pelo menos após passado uma semana não tenha mudanças, só então pense em outro método.

Algo que ajuda nessa fase dos 4 anos é o quadro de METAS e TAREFAS, ou como é conhecido Quadro do Incentivo, crie e personalize um para seu filho(a) e utilize-o diariamente com as regrinhas que mais estiver precisando trabalhar.

4º PASSO: O amor precisa continuar ou até mesmo aumentar

Segundo teorias cognitivas de comportamento trazidas pelo famoso psicólogo Jean Piaget, o indivíduo, a criança, age nessa fase de acordo com os seus interesses, acha que tudo e todos podem e devem fazer suas vontades.

Obviamente, como pais, professores e cuidadores, não podemos deixar que achem que isso é verdade, os limites precisam ser criados, estabelecidos e impostos nessa fase, mas talvez mais importante do que limitar nossos filhos, seja continuar ou até mesmo aumentar a porção de amor que diariamente lhes oferecemos. Pelo fato de serem mais independentes, não quer dizer que não precisam mais ser amados, beijados, cuidados, ter tempo e atenção a eles é extremamente crucial nessa fase de desenvolvimento.

Advertisement

5º PASSO: Para fazer as pazes um abraço sempre é a melhor opção!

Essa regrinha partiu da minha experiência como mãe de uma menina em fase de afirmação (4 anos), em um desses dias de difícil aceitação das correções, ela não sabia ao certo que roupa queria usar, ficou bem nervosa, estressada, e chorava sem parar, não era hora de bronca ou explicações, não precisava disso, tudo que ela precisava era de uma mãe controlada, uma mãe calma, que está aprendendo a lidar com suas emoções, e especialmente nessa hora, ela precisava que eu exercesse meu amor, simplesmente a aconcheguei em meu colo, lhe abracei com carinho e ternura, e lhe repeti várias vezes no ouvido com calma e paciência, é só uma roupa filha, é só uma roupa, tudo vai ficar bem!

Ela conseguiu sair de casa com bem menos estresse, e ficou no carro o trajeto todo calma e tranquila.

O amor ainda é a cura para todas as feridas de nossas vidas, um amor materno e paterno pode e já faz milagres na vida de nossos filhos, exerça o amor, aprenda a controlar as suas emoções primeiro e controlará com segurança e sabedoria todas as diversas possíveis reações de seus filhos.

Toma un momento para compartir …

Cibele Carvalho

Bacharel em Direito, Mediadora e Conciliadora de Família, realiza palestras para noivos e recém-casados sobre relacionamentos, especialista em Psicologia Jurídica, esposa, mãe e genealogista.