Exercitar-se depois do confinamento, por onde começar?

Quer começar a treinar, mas não sabe por onde começar? Prepare seus tênis e anote estas dicas.

Emma E. Sánchez

Pouco a pouco o confinamento vai terminando ao redor do mundo, e pouco a pouco a indústria, o comércio e o setor educativo vão se reintegrando à conhecida “nova normalidade”. O mesmo acontece com as pessoas, vamos nos integrando às nossas atividades habituais e, dentro delas, logo poderemos voltar às nossas rotinas esportivas ou de exercício fora de casa.

Esta semana, minha família e eu completamos 100 dias de confinamento e só saímos para atender o indispensável, sabemos que fomos muito afortunados em poder fazê-lo. Mas, como a todos, a situação econômica nos aperta, desejamos voltar a nossos trabalhos e também, no meu caso, sair para correr, mas como voltar depois de tanto tempo?

Vamos examinar alguns pontos importantes antes de colocar os tênis e sair para exercitar, certo?

A grande lição do montanhista

Iván Vallejo, um montanhista equatoriano, publicou um interessante vídeo sobre a estatística de fatalidade na descida, devido ao número de montanhistas que chegam ao cume e morrem na descida.

De uma maneira muito simples, Ivan explica em seu vídeo como muitos montanhistas – alguns deles seus companheiros – depois de muito esforço e disciplina, conseguiram chegar ao topo de montanhas tão altas como o K2, e depois, após conseguir uma vitória dessa magnitude, morrem na descida, ou no que pareceria a parte mais fácil de tão incrível façanha.

Advertisement

Usando esta história, façamos uma analogia: Se muitos de nós têm “conseguido a grande façanha” de permanecer em casa por mais de três meses e ter sacrificado muito para consegui-lo, podemos correr o mesmo risco de morte na descida que aqueles montanhistas, pois é tão grande nossa felicidade e desejo de voltar à vida, que nos desbocamos por sair correndo a visitar familiares, fazer compras e ir direto aos exercícios para tentar recuperar o tempo perdido.

Nessa louca corrida nos distraímos, esquecemos que o contágio continua e nos contagiamos pondo em risco a nossa vida e a dos que amamos.

É preciso tanta ou mais disciplina e força mental para subir a montanha quanto para conseguir descer em segurança. E o mesmo acontece com o fim do distanciamento.

1. Ouça as indicações oficiais de sua cidade e estado antes de sair para correr, ir a uma academia ou piscina

Não se pode simplesmente sair como se nada tivesse acontecido, você deve verificar se na sua região já esteja permitido, por exemplo, correr ou caminhar, e os horários para fazê-lo. As unidades esportivas, ginásios ou piscinas também já devem contar com a licença e as medidas sanitárias para recebê-lo com segurança e evitar um contágio.

2. Nenhuma atividade aeróbica é realizada com máscara

No início, foi a grande batalha para todos; e agora que já é um hábito medianamente bem-sucedido entre os atletas e o público em geral, temos de perceber que fazer uma atividade física com uma máscara que cobre nariz e boca impede a oxigenação normal do corpo.

Advertisement

É como se estivéssemos nos exercitando a 3 mil metros acima do nível do mar, consegue imaginar isso?

Quando se trata de exercícios não aeróbicos, isto é, que não exigem esforço respiratório maior, como levantar pesos, por exemplo, pode-se usar uma máscara de microfibra que permite a transpiração, permite a quem usa respirar, mas, acima de tudo, cuida de outras pessoas que estão sob o mesmo teto e próximas.

3. Você deve ser cauteloso para não se machucar

Nosso corpo perde a condição física depois de 15 dias de inatividade; triste, mas a verdade é que se perde mais rápido do que se ganha.

Então, se o seu caso é parecido com o meu e você passou muito mais que 15 dias sem atividade física e até ganhou peso durante a o confinamento, tem que ir com calma.

Trace um plano de recondicionamento, você pode começar seus treinamentos três vezes por semana e com uma carga leve, e ir aumentando cada semana, pouco a pouco. Ouça o seu corpo e não o pressione.

Advertisement

Pense em quanto tempo demorou a chegar onde estava antes e comece “a subida da sua montanha” novamente.

4. Cuidado para não ficar doente

Isso é muito importante: continue praticando o distanciamento social, distancie-se pelo menos três metros do corredor que vai na sua frente e não corra em equipe. Distancie-se dois metros de qualquer um no ginásio ou vestiários.

Tente não sair à mesma hora que todos, evite aglomerações em todos os sentidos. Nunca cuspa na via pública, imagine que você está doente, mas é assintomático, o que faz de você um foco de contágio para espalhar o vírus!

5. Trabalhe em alongamentos e não chegue ao ponto da dor em suas primeiras semanas

O alongamento prepara seus músculos e não chegar à dor ajudará a mantê-lo trabalhando e não desistir.

Já umas e outras vezes o conseguiu, esta será uma delas, apenas tenha paciência e logo estará retomando seu ritmo habitual.

Advertisement

Durante este tempo de confinamento nos vimos na necessidade de desenvolver a paciência, a esperança e a não nos deixar vencer pelos pensamentos negativos e pessimistas que a visão do mundo em certos momentos nos causa.

Certamente, você já passou por momentos complicados e em alguns até sentiu que não havia futuro ou que se houvesse, teríamos um mundo em crise e caos, mas verá que amanhã quando sair para exercitar-se ou simplesmente para uma caminhada, vai sentir-se muito melhor e sentirá em si uma esperança renovada.

Esta noite, tire seus tênis do armário e deixe-os prontos… porque amanhã estará de volta.

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa do original Entrenar después del confinamiento, ¿por dónde empezar?

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.