Evite a epidemia em sua área: Protegendo sua casa contra dengue

O grande problema do combate ao mosquito Aedes aegypti é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente com água parada, tanto em áreas sombrias como ensolaradas.


Beth Proenca Bonilha

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 e 100 milhões de pessoas se infectem anualmente em mais de 100 países e em quase todos os continentes. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem. No Brasil, as condições socioambientais favorecem a dispersão do mosquito, desde sua reintrodução em 1976 início da proliferação da doença.

O combate à dengue é uma responsabilidade dos órgãos públicos, mas especialmente de toda a população. Os órgãos públicos devem instruir e promover ações de combate, além de dar assistência de saúde. Já à população, cabe a parte principal do combate que é justamente evitar meios de proliferação do mosquito.

O Aedes aegypti se reproduz em qualquer lugar que houver condições propícias, seja água parada, limpa ou pouco poluída.

A conscientização e atitude correta de cada indivíduo é de fundamental importância para a redução e, quem sabe, a erradicação dessa doença.

Dia 19 de Novembro é o Dia Nacional de Combate à Dengue. Mais um meio que o poder público e as organizações envolvidas nessa luta encontraram para conscientizar a população sobre os perigos e meios.

Ações para proteger sua casa:

  • Evite deixar objetos fora de uso em locais que acumulem água. Como pneus, latas, garrafas e vasos.

    Advertisement
  • Esteja atento ao acúmulo de água na laje e calhas, para isso mantenha os locais limpos de folhas, galhos que possam impedir o escoamento da água da chuva.

  • Vasos com plantas que possuem suporte para reter a água devem ser mantidos secos ou com areia.

  • Caixas d’água devem ser limpas periodicamente e mantidas sempre fechadas. Se a tampa tiver algum orifício ou parte quebrada deve ser substituída ou vedada.

  • Vasilhas de água dos cães e gatos não devem ficar com água por mais de um dia sem que seja trocada. O ideal é que sejam lavadas com esponja e sabão.

  • Para quem tem piscina, mesmo as pequenas infláveis, devem ter todos os cuidados com o tratamento da água, usando cloro e se possível mantendo-a coberta nos períodos em que não estejam em uso. Ao esvaziar, certifique-se de que a piscina esteja completamente seca.

  • Garrafas que possam acumular água devem ficar de cabeça para baixo ou se não estiverem em uso podem ser embrulhadas em sacos plásticos bem vedado.

  • Não descarte o lixo em terrenos baldios e mantenha o local onde os acondicione sempre seco e fechado.

  • Flores e plantas, mesmo que não estejam em vasos, devem ser observadas constantemente, pois algumas acumulam água entre suas folhas e pétalas. Entre elas estão as Bromélias, Palmeiras baixas, entre outas. A sugestão para evitar que o mosquito use essas plantas como criadouro é regá-las com uma mistura de 1 litro de água e uma colher de água sanitária.

Dicas importantes:

  • O período em que há maior proliferação do mosquito Aedes aegypti é o verão, pois com as altas temperaturas intensificam-se as chuvas e com elas o acúmulo de água parada acaba sendo maior. Por isso deve-se estar mais atento nesse período do ano.

    Advertisement
  • As larvas do mosquito NÃO se desenvolvem só em água limpa. Agua parada com alguns resíduos de sujidade também são ambientes para seu desenvolvimento.

  • Os ovos do mosquito NÃO morrem quando o objeto em que foram depositados estiver seco, ao contrário, ficam hibernando e assim que tiverem água novamente voltam a se desenvolver.

  • Ao contrário do que se pensava há alguns anos, o ar condicionado e ventilador NÃO espantam o mosquito ou evitam seu ataque.

  • Repelentes, velas de citronela ou andiroba, como alguns pensam, NÃO têm efeito no combate à dengue, pois seu efeito é temporário.

  • O mosquito é atraído de acordo com a respiração e o gás carbônico exalado pela pessoa. Quando esta ingere vitamina B, alho ou cebola, produtos que têm cheiro eliminado pela pele, pode afastar o mosquito, mas isso não dura muito tempo.

Sempre que observar alguma situação de risco favorecendo a proliferação da dengue, seja em sua casa ou de vizinhos e familiares, aja como agente de informação e transformação, tomando as ações cabíveis para eliminar ou evitar o foco.

Caso a situação esteja fora de sua capacidade de ação, avise imediatamente um agente público de saúde para que uma medida eficaz seja tomada. Cuidar da segurança de sua vida e a de sua família é sua responsabilidade e como cidadão deve agir em favor da comunidade também.

Toma un momento para compartir …

Beth Proenca Bonilha

Graduada em Administração de Empresas com MBA em Empreendedorismo. Casada mãe de 6 filhos, avó de 2 netos. Atua profissionalmente como Analista Instrutora da Educação Empreendedora no SEBRAE - SP. Como hobby gosta de artesanato, música e leitu