Enxaqueca, dor de cabeça: qual a diferença?

Enxaqueca também é uma dor de cabeça. Mas por que ela é tratada de forma diferente das demais dores de cabeça? Quais a diferenças?


Mayara Tomie Dourado Taguti

Não existe nada mais desagradável que sentir dor, ainda mais sendo dor de cabeça. Parece que todo o corpo fica mal junto, o dia fica ruim e não importa onde estamos, se sentirmos dor, acaba com tudo: passeios, conversas, jantares, ritmo de trabalho, etc.

Mas qual a diferença entre uma dor de cabeça comum com a enxaqueca? Existe realmente alguma diferença entre elas?

Leia: Dor crônica, o que é e o que fazer

Vamos então aos pontos relevantes

Se você sente qualquer tipo de dor, significa que algo não está normal em seu organismo. Não se alarme! Na maioria das vezes não é nada de grave, apenas alguma situação que precise de cuidado específico.

Referente à dor de cabeça em si, existem inúmeras situações que a disparam: sinusite, rinite, problemas no fígado, estresse, tensão muscular, falta ou excesso de sono, mudanças climáticas bruscas, algumas doenças (como dengue, por exemplo) e até mesmo causas alimentares (que pode ser desde intoxicação alimentar até mesmo a certo grau de intolerância a determinado alimento).

No caso da enxaqueca, ela não é o sintoma de uma outra doença, ela é a própria doença – costuma ser latejante e atingir um dos lados, varia de intensidade média a forte, e luzes, claridades e movimentos tendem a piorar a dor. A única forma de diagnóstico é uma conversa com seu médico, que irá analisar suas condições através de entrevistas para descobrir se não é um sintoma de fato.

Diagnóstico

Não existem exames laboratoriais para se diagnosticar uma enxaqueca, durante a análise também pode-se chegar às causas que levaram a desenvolver a enxaqueca (ou a dor de cabeça) e quais as melhores formas de tratamento a serem adotadas para lhe ajudar com seu problema. Por isso a consulta médica é primordial para que seja diagnosticado de maneira correta, e, a total honestidade do paciente é fundamental para que o médico o auxilie de maneira apropriada.

Advertisement

Leia: 10 tipos de dores no corpo que o médico precisa saber

Tenha sempre em mente o mais importante: jamais se automedique. Mesmo que a dor seja grande, a automedicação pode ser perigosa e até mesmo agravar a dor, dependendo do caso. E, sempre procure um médico quando aparecer qualquer sintoma.

Toma un momento para compartir …

Mayara Tomie Dourado Taguti

Mayara Taguti é graduada em Direito pela Anhanguera Educadional, ama livros, música e cinema. É professora de inglês básico para alunos de todas as idades e ama o que faz. É curadora social e escritora para o site Familia.com.br.