Davi e Golias: um roteiro de fé para tempos difíceis

A história de Davi, o rapazinho que venceu o gigante pode ser um roteiro inspirador para lutar contra o que lhe afronta nesse momento. Tenha fé.

Stael Ferreira Pedrosa

Conta a história bíblica que a guerra entre Israel e o povo filisteu se estendeu por mais de três séculos disputando o território de Canaã. Os filisteus, no relato bíblico, são considerados um povo primitivo e brutal, já que cultuavam vários deuses e comiam carne de porco – o que era considerado uma abominação pelos israelitas.

A belicosidade entre os dois povos chegou a provocar milhares de mortes. Desde os tempos de Sansão (cerca de duzentos anos antes do tempo de Davi), esses dois grupos já se “engalfinhavam” diversas vezes. Os filisteus chegaram até a roubar a arca da aliança e depositá-la aos pés de um de seus deuses (Dagom) a quem creditavam sua vitória sobre Israel.

No entanto, o castigo que caiu sobre eles, uma dolorosa doença que se acredita ser a peste bubônica, fez com que devolvessem a arca para o povo israelita (I Samuel 4:7).

Nessa época, nas guerras, era comum um exército ter o seu “campeão” – um homem forte cuja função era solucionar a pendência entre apenas dois contendores numa batalha campal. O resultado da prova determinava quem era o vencedor da batalha. Durante o episódio que será tratado, o campeão dos Filisteus era um gigante de nome Golias, cujas medidas citadas na Bíblia faz crer aos estudiosos que media cerca de três metros de altura. Estima-se que somente sua lança pesava 68 quilos e apenas a ponta pesava de 6 a 12 quilos.

Diante de tal estatura, não havia soldado em Israel que desejasse ser o campeão opositor.

Advertisement

Davi era um pastor adolescente, filho de Jessé, e descrito nas escrituras como “pequeno e ruivo” – que havia sido ungido, ainda menino, para ser rei de Israel, pelo profeta Samuel – viria a escrever seu nome na História ao enfrentar o campeão dos filisteus e vencê-lo.

A narrativa é um exemplo da forte fé de Davi, que havia sido introduzido no reino de Saul, rei de Israel, como tocador de harpa, pois sua música acalmava o rei conturbado.

Davi era também o moço de armas de Saul, o que fazia com que tivesse acesso ao campo de guerra. No entanto, sua habilidade guerreira consistia em apenas saber atirar com a funda – uma espécie de boleadeira que os pastores usavam para espantar animais que ameaçavam atacar o rebanho – onde se colocava pedras e girava até alcançar velocidade, atirando as pedras velozmente rumo ao alvo.

Ao ver o gigante Golias afrontando os exércitos de Israel e o medo dos soldados, Davi se irritou profundamente e se dispôs a enfrentar o campeão dos filisteus. Seus irmãos mais velhos se irritaram com ele e o mandaram para casa, no entanto, o rei Saul deu-lhe uma armadura que, de tão grande e pesada, não deixava o garoto se mover. Davi deixou a armadura e armou-se apenas de sua funda e algumas pedras.

Vendo aquele garoto desarmado e pequeno aproximar-se dele, o gigante gargalhou e Davi armado da sua confiança e fé em Deus, disse: “Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo: porém eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos a quem tens afrontado. Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão, … e toda a terra saberá que há Deus em Israel… porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão” (I Samuel 17: 45-47).

Advertisement

Assim aconteceu. Golias estava com uma armadura que protegia todo seu corpo, no entanto, no meio da testa havia um espaço não coberto. Davi mirou aquele ponto e atirou com a funda uma pedra que entrou pelo espaço descoberto ferindo Golias e fazendo com que caísse. Davi, então empunhando uma espada cortou-lhe a cabeça vencendo o campeão inimigo.

O que aprendemos com a história de Davi e Golias

1. Não existe crise que a fé não possa amenizar

Vivemos em uma época difícil e conturbada. Nossa guerra não é contra um determinado exército, mas contra dificuldades trazidas pela pandemia e seus desdobramentos. A população enfrenta luto, dificuldades de saúde, desemprego, insegurança sanitária e alimentar. Parece que a solução para a covid-19 se aproxima, com a vacinação, mas as variantes acabam trazendo ainda preocupações e desesperança de tudo voltar ao normal.

Viver nesse tempo é um desafio pessoal e familiar. Sentimos como se o gigante das dificuldades estivesse a nos afrontar e rindo de nós. Então, não sejamos como os amedrontados soldados israelitas diante do tamanho do inimigo. Sejamos como Davi, que embora fosse quase um menino pequeno e sem traquejo na guerra, armou-se com o que tinha e com sua fé para vencer um obstáculo impossível na visão alheia.

2. Deus capacita aqueles a quem chama

O Senhor fortaleceu Davi, mas não fez tudo por ele. Davi se tornou habilidoso no uso da funda e procurou as pedras adequadas para enfrentar o gigante. Ele se preparou o melhor que pôde e Deus fez aquilo que parecia impossível – acertar aquele pequeno espaço entre os olhos do gigante? Não sei, Davi era habilidoso o suficiente para acertar aquele ponto. O grande milagre que Deus fez foi dar a Davi a autoconfiança e fé necessária para ir adiante e enfrentar aquele imenso problema.

Existe um ditado popular que diz: “não diga a Deus que você tem um grande problema, mas diga ao seu problema que você tem um grande Deus”. Embora possa parecer apenas uma frase feita, quando confiamos que Deus nos ajudará a enfrentar os problemas pelos quais passamos, nós nos revestimos de toda “armadura de Deus” (Efésios 6:11), que nos protegerá e nos dará confiança na luta.

Advertisement

Se você é um pai ou mãe, lembre-se de que esse é seu chamado e que prover para seus filhos e cuidar deles é sua obrigação. Deus capacita aqueles a quem chama, portanto, exerça seu chamado na certeza de que Deus o proverá o necessário, desde que você faça a sua parte. Isso se aplica em todas as esferas das ações humanas, seja você um pai de família, um profissional da saúde, um professor, etc. Deus o capacitará. Confie nele.

3. Podemos pedir e receber ajuda diante dos desafios

Davi, antes de enfrentar o gigante, disse ao rei Saul: o Senhor me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai, e o Senhor seja contigo (I Samuel 17:37). Davi reconheceu que já havia sido abençoado por Deus antes, e sabia que o abençoaria novamente. Isso é gratidão.

Deus se agrada das pessoas gratas. O apóstolo Paulo, em suas cartas aos Tessalonicenses, diz: Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco (I Tessalonicenses 5:16-18). Portanto, não pense apenas em pedir, seja primeiramente grato por tudo com que Deus tem lhe abençoado.

Se você tem dificuldades ou acha que não recebe nenhuma bênção, meu conselho, se é que posso fazê-lo, é que você faça uma lista de tudo que tem na vida e que lhe permite viver, tal como ter amanhecido sem doença, ter seus entes queridos por perto, ter alimento, ter pessoas que lhe ajudam, ter um lugar para dormir, enfim, pelas coisas que você considera até mesmo pequenas, e verá o quanto Deus multiplicará o que você tem.

Espero sinceramente que a história de Davi, o rapazinho que venceu o gigante de 3 metros, inspire-o a lutar contra o que o afronta nesse momento. Lembre-se de praticar a gratidão, a oração e cultivar a sua fé. Você verá que, mesmo pequeno aos olhos do mundo, será capaz de fazer até o impossível.

Advertisement

Duas pessoas podem fazer o impossível, quando uma delas é Deus.

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.