Das latas de lixo para a faculdade: Um lindo legado de dedicação e progresso

Conheça a história de Maria de Nazaré, uma catadora de lixo que provou que nunca é tarde para tornar os sonhos em realidade.


Marcia Denardi

Qual é a primeira imagem que lhe vem à cabeça quando você pensa em um campus universitário, especialmente na faculdade de Direito? Será que uma mulher de 55 anos e que ganha a vida juntando lixo reciclável se encaixa no perfil que você imaginou? Pois bem, a catadora de material reciclável Maria de Nazaré dos Santos é atualmente uma estudante de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF). E apesar de ter tido uma vida muito difícil, ela transpôs os obstáculos e conquistou um objetivo considerado impossível para muitos.

Poucos imaginam que alguém, como Maria de Nazaré, que foi privada de estudar desde os 16 anos para ser empregada doméstica e babá, poderia chegar tão longe: ser uma estudante de Direito em uma renomada universidade federal brasileira. A questão é que embora a mineira, nascida em Viçosa, tenha largado os estudos cedo, ela não deixou de batalhar, e usou um dos momentos de maior dificuldade de sua vida como uma oportunidade de se aperfeiçoar.

Um exemplo de perseverança

Depois que seus pais se separaram, Maria foi para Volta Redonda (RJ) com a avó materna. Mas morou em muitas outras cidades do Rio de Janeiro e até em Praia Grande (SP). Trabalhou por um tempo, mas depois passou quase dez anos lutando contra a depressão, o que dificultou sua busca por trabalho. Nesse período, Maria andava sem rumo, mas foi aí que ela buscou interagir com outras pessoas e realizar cursos gratuitos. Fez curso de garçonete, costureira, serigrafia. E também se deparou com uma clínica da prefeitura, onde buscou tratamento para a sua doença, fez terapia de grupo e consultas psiquiátricas. Apesar de não ter se adaptado com os medicamentos receitados, Maria deu a volta por cima, começou a se recuperar sem eles, e voltou a trabalhar.

O trabalho de catadora surgiu depois de reparar que muitas pessoas ganhavam dinheiro com reciclagem. Porém, ao invés de gastar com drogas e álcool como muitos faziam, Maria passou a se sustentar com o que ganhava. Não gostou muito de revirar o lixo para recolher o material, então usou a persuasão, convencendo os moradores da comunidade onde morava a fazer a seleção do lixo, e depois entregar para ela. Eles perceberam que as enchentes diminuíram e passaram a ajudar Maria com mais dedicação.

Retomando os estudos

Depois de quase 30 anos longe das salas de aula, Maria se matriculou em uma escola de educação para jovens e adultos. Iniciou os estudos desde o Ensino Fundamental, e quatro anos depois, em 2010, formou-se no Ensino Médio. Nos dois anos seguintes, organizou uma cooperativa de catadores de lixo. E em 2013, decidiu fazer o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), mas não acreditou muito que havia passado. No entanto, suas duas horas diárias de estudo surtiram efeito, porque, apesar de não ter feito cursinho, e ter estudado por conta própria, com muitos livros que ela encontrava em meio aos materiais recicláveis, e tomando nota de dicas de outras pessoas a respeito do funcionamento das provas do ENEM, ela conseguiu ser aprovada, e hoje é, quem sabe, uma das mais admiradas e peculiares estudantes da UFF. O mais bacana é que os estudos iam até o início da madrugada, e às 6 horas da manhã, ela já estava de pé para trabalhar.

E sabe qual é o principal objetivo de Maria com a faculdade de Direito? Lutar pelos direitos dos catadores de lixo. Sendo que seu ingresso na faculdade motivou outras mulheres da cooperativa de catadores, a qual Maria coordena. Ela não tem dúvida de que vai se formar, afinal, a nova universitária, que acredita nunca ser tarde demais para mudar de vida, tem plena consciência de que o sacrifício e o estudo são necessários para alcançar o sucesso.

Fonte da Imagem: Diário do Vale

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Marcia Denardi

Márcia Denardi é jornalista, musicista e uma mãe e esposa loucamente apaixonada pelos filhos e pelo marido. Tem como objetivo profissional usar a informação para fortalecer as famílias. Curta a fan page www.facebook.com/blogmarciadenardi.