Como tratar a febre de forma adequada

Seu filho está com febre? Que bom! Isso significa que seu corpo está reagindo a um agente agressor. Conheça e saiba como tratar a febre com algumas dicas.


Stael Ferreira Pedrosa

Nosso corpo tem um termostato natural chamado hipotálamo. O hipotálamo é localizado no centro do cérebro e sua função é controlar diversas funções do organismo entre elas a temperatura corporal.

A temperatura normal de nossos corpos é entre 36 e 37,5º. A temperatura pode oscilar normalmente durante o dia, sendo mais baixa de madrugada e mais alta no fim da tarde. Exercícios físicos, calor, excesso de roupa ou alterações hormonais femininas podem alterar a temperatura. Também o ponto do corpo onde é feita a medição faz variar a temperatura:

Temperatura axilar – normal até 37,2ºC.

Temperatura oral (boca) – normal até 37,5ºC.

Temperatura timpânica (ouvido) – normal até 37,5ºC.

Temperatura retal (ânus) – normal até 38ºC.

A febre pode ser boa ou ruim para o corpo dependendo do modo como a tratamos e das condições do paciente. É bom ressaltar que febre não é doença. É um sintoma de que o organismo está reagindo à ação de um invasor. Algumas verdades sobre a febre:

Advertisement
  • Febre alta ou baixa não significa doença mais ou menos grave, ou seja, doenças graves podem apresentar febre baixa como o câncer ou doenças autoimunes.

  • Aproximadamente 90% das febres são causadas por infecções virais que não precisam de tratamento médico, como gripes ou resfriados. Basta controlar a febre e deixar o organismo agir.

  • O aumento da temperatura faz com que os glóbulos brancos (leucócitos) do sangue (que são os defensores do organismo) reajam e ataquem o agente agressor.

  • As dores, mal-estar e perda de apetite são para que o paciente procure descanso. O organismo já está comprometido na luta contra o agressor e não pode despender energia com brincadeiras, vídeo game, trabalho braçal ou intelectual e nem digestão.

  • A febre baixa, entre 37,2 e 37,8º, é chamada febrícula. Não deve ser interrompida, mas observada.

  • A febre só deve ser reduzida acima dos 39° exceto se o paciente apresentar problemas de saúde anteriores ou problemas crônicos, tais como: hipertensão (pressão alta), histórico de convulsões febris ou epilepsia, problemas cardíacos e respiratórios.

  • Algumas pessoas dizem que estão com febre interna e por isso o termômetro não detecta. Se o termômetro não mostra, é porque não há febre.

  • Não tome antibióticos em caso de febre. Felizmente os antibióticos foram proibidos de venda sem receita médica. Seu uso incorreto e indiscriminado cria bactérias super-resistentes, pois o paciente não sabe a dose certa, a indicação do antibiótico e tampouco o tempo que deve ser usado. Só o médico pode indicar o uso de antibióticos. Importante: Antibióticos matam bactérias. Não têm qualquer ação sobre vírus. Portanto, não servem para gripes, resfriados, dengue, e outras viroses.

Para tratar adequadamente a febre

, deve-se levar em consideração o estado geral do paciente e a temperatura em que o corpo se encontra. Devemos baixar a temperatura:

  • Quando ela atinge mais de 39º

    Advertisement
  • Na gravidez, a febre alta pode causar má formação fetal.

  • Em pacientes cardiopatas (que têm doença do coração).

  • Nas doenças crônicas debilitantes como hipertireoidismo, diabetes, tuberculose.

  • Se o paciente sofre de epilepsia.

Tratamento para baixar a febre

Normalmente usam-se medicamentos analgésicos (que combatem a dor), antipiréticos (baixam a febre) e ou anti-inflamatórios intercalados a cada 6 horas. Estes medicamentos não atuam sobre a doença em si. São paliativos e não contribuem para a cura. Normalmente os médicos recomendam a dipirona e o paracetamol. Aspirina e qualquer outro medicamento que contenha AAS (Ácido acetilsalicílico) são bons antipiréticos e anti-inflamatórios, mas como têm ação anticoagulante, são contraindicados em caso de dengue, cataporas, ou se o paciente estiver com algum tipo de hemorragia. Portanto, só use medicamentos se o médico assim os indicar. Caso o paciente já tenha usado antes, pode-se medicar se a febre estiver acima de 38,5 acompanhada de dores. Nesse caso evite os medicamentos que contêm AAS. Todo medicamento tem efeitos colaterais e interações medicamentosas. Alguns graves. Prefira o tratamento natural até que o paciente seja medicado:

Repouso

Evite atividades físicas, intelectuais, motoras e alimentar-se. A febre já acelera normalmente os batimentos cardíacos, forçar o corpo trará desconforto maior.

Hidratação do paciente

Não em excesso, mas deve-se oferecer líquido com frequência ao paciente e este deve ingeri-lo de acordo com sua demanda de sede.

Refrescar o paciente

Não o agasalhe, o objetivo é baixar a temperatura. Use roupas leves de algodão.

Compressas frias

(nunca geladas) e úmidas no tronco e membros

Banho morno

(nunca frio). Pelo tempo que o paciente desejar.

Ajuda médica

Encaminhe o paciente ao médico para investigação da causa da febre.

Febre não é um bicho de sete cabeças. Não é necessário entrar em pânico quando a febre se apresenta. Fernanda Zicolloto, pediatra paulista, no site mdemulher avisa: “A febre é sempre um bom sintoma”. Basta não se apavorar com ela e averiguar o que a provoca antes de partir para qualquer medicação.

Toma un momento para compartir …

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.