Como ser uma pessoa bem resolvida

Para ser uma pessoa bem resolvida é preciso abandonar a ideia de que é menos do que gostaria de ser e mais do que realmente é.


Beth Proenca Bonilha

Pode parecer difícil descrever uma pessoa bem resolvida, porque definir uma coisa que contemple todos os gostos e pessoas é quase impossível. O que é belo para um pode não ser para o outro, é como diz o ditado “O que seria do azul se todos gostassem do verde!”.

É por este prisma que tentarei descrever e dar sugestões de como uma pessoa pode ser bem resolvida na vida. Sem verdades absolutas, somente refletindo sobre meu ponto de vista sobre o tema.

Imagino uma pessoa bem resolvida se ela é capaz de ser equilibrada, sem ironia e sem julgamento, se ela consegue literalmente passar pelas diferentes fases da vida sem se alterar.

Penso em uma pessoa bem resolvida aquela que é resiliente, ou seja, aquela pessoa capaz de passar por uma situação de pressão extrema e conseguir manter-se equilibrada e principalmente aproveitar a pressão para se fortalecer.

Como ser uma pessoa bem resolvida, no meio do turbilhão das tarefas do dia a dia, com tantas necessidades a serem supridas e a competitividade que o mercado e a sociedade nos impõem?

1- Aceitar a si próprio

Acredito que a autoaceitação é o primeiro passo para ser bem resolvido em vários aspectos da vida. Ser gordo, magro demais, alto ou baixo, isso deve deixar de ser um empecilho para a felicidade e passar a ser visto como realização, olhar os benefícios de ser a pessoa que é.

2- Não ter autocompaixão

A porta de entrada para justificar as angústias e tristezas é a autocompaixão. É preciso ser resiliente para ser uma pessoa bem resolvida, lembra? Com isso a autocompaixão, a figura do injustiçado, o não compreendido, o não amado, entre tantas outras afirmações negativas, devem ser eliminadas do pensamento. E fazer o que a programação neurolinguística chama de reprogramação do pensamento. Pensar positivamente sobre quem é, fará alcançar este ser bem resolvido que busca.

Advertisement

3- Usar de empatia com as pessoas

Quando conseguir deixar de sofrer pelo cabelo que é encaracolado, ou porque na escola os amigos deram um apelido que te envergonhava, vem o passo da empatia, olhar e aceitar os outros pelo que são e como são, não esperar ou tentar promover a mudança de alguém. Ter claro que a única pessoa que se tem o direito de desejar que mude é a si próprio. Empatia é desejar para o outro o mesmo que desejaria para si próprio, é sentir o que o outro sente e quando isso não for possível, por estar além de seu entendimento, simplesmente aceitar como ela é.

Não vou listar muitas ações que podem fazer uma pessoa se tornar bem resolvida, mesmo porque se conseguir atingir estas três aqui apresentadas, o restante é só consequência.

Ser uma pessoa com autoestima elevada, que não se coloca como vítima, mas como protagonista de sua vida e ainda consegue entender que o outro pode não conseguir fazer o mesmo, será inevitável ser uma pessoa que olha o lado bom de tudo, ser uma pessoa agradável de conviver, ser aquela pessoa alto astral que todos dirão: “- Nossa como você é bem resolvida!”.

Toma un momento para compartir …

Beth Proenca Bonilha

Graduada em Administração de Empresas com MBA em Empreendedorismo. Casada mãe de 6 filhos, avó de 2 netos. Atua profissionalmente como Analista Instrutora da Educação Empreendedora no SEBRAE - SP. Como hobby gosta de artesanato, música e leitu