Como preparar (e ajudar) a sua filha para sua primeira menstruação

Preparar a sua filha para o seu primeiro período menstrual não é apenas uma grande oportunidade para a ensinar, é o início de uma relação de confiança e amor.

Emma E. Sánchez

Vou começar com alguns números interessantes: uma mulher, em média menstrua 3.000 dias em sua vida, isto é, mais de 8 anos de sua vida vivendo com sua menstruação diariamente!

A menstruação é um sinal de boa saúde, o que é uma boa notícia. Todos nós estamos neste planeta porque a menstruação existe, caso contrário, a vida e a reprodução não existiriam.

Há muitos anos e, infelizmente, hoje em algumas culturas, a menstruação é sinônimo de vergonha, de preocupação, inclusive de desqualificação ou até mesmo um incapacitante para a mulher, quando justamente é o contrário.

Quis começar com estas palavras porque, para minha tristeza, ideias muito estranhas e até retrógradas continuam prevalecendo entre os seres humanos, privando as mulheres de oportunidades de desenvolvimento e autonomia.

Decidi escrever este artigo a pedido de professores que atendem pré-adolescentes e até de um guia de acampamentos que, como ele diz: coube a ele atender “surpresas” e, claro, a pedido de mães cujas filhas não demoram a apresentar sua primeira menstruação, mas que sentem uma carga demasiado pesada, explicar-lhes o tema, não sabem como fazê-lo ou não querem dizer-lhes, pois tiveram uma má experiência nestes assuntos e hoje é algo esmagador.

Advertisement

Então, se algo assim lhe acontecer ou se você quiser simplesmente preparar-se para ajudar a sua filha, deixe-me partilhar essas ideias:

Há muitas lições prévias

Algumas pessoas erradamente acreditam que, até que sua filha comece a menstruar, não se deve falar com ela sobre o tema ou qualquer outro relacionado a sua sexualidade. Isso é considerado um erro porque sua filha vai experimentar e viver muitas situações que exigem informações corretas, inclusive, antes de sua primeira menstruação, adiar tal conversa pode gerar outras problemáticas, por certo, desagradáveis.

A todos os seus filhos, sejam homens ou mulheres, deve falar desde pequenos sobre o cuidado de seu corpo, sobre quem pode ou não os tocar.

Eles devem aprender que:

Suas partes do corpo que alguém pode tocar são: suas mãos, sua cabeça ou seu braço. Quem pode tocá-los nessas partes? Seus colegas de classe, seus amigos, professores.

As partes que podem tocar com permissão: seu tórax (barriga), suas pernas ou pescoço; por exemplo quando vai ao médico, ele deve lhe pedir permissão ou avisar que vai examinar sua barriga, isto é muito importante, é uma mostra de respeito.

Advertisement

As partes privadas que ninguém deve tocar: entre suas pernas, seus genitais e seios.

O cuidado com o corpo, sua higiene e segurança se ensinam desde pequenos e continua até sua adolescência. Cada vez seus filhos vão entender com maior clareza as razões de tais cuidados.

Lembre-se: a prevenção do abuso infantil começa por essas instruções, essa preparação não pode ser adiada.

A grande conversa

Sempre digo aos pais: observem os seus filhos. Não os olhem de forma equivocada diante do grande amor que sentem por eles, não, observe-os com atenção e verão como seus corpos começam a mudar, mas, antes disso, como sua mente começa a transformar-se, eles se tornam irritáveis, teimosos, têm mais sono, suas filhinhas começam a mudar diante dos olhos e num piscar de olhos, dormem meninas e acordam moças.

Todos os anos, precisam rever cuidadosamente os livros de ciências naturais que seus filhos levam para a escola, que é um guia magnífico para os temas que trabalharão no ciclo escolar. Sim, e que obedece ao desenvolvimento da criança nesse ano. Reveja os temas que tratam e a partir daí e o que você observa em seu filho podem ir conversando, conversando! Não repreendendo nem condenando.

Advertisement

Se você ver que lá fora, por volta da quarta série, onde as crianças têm entre 8 e 9 anos, sua filha em particular está aumentando um pouco de peso ou está crescendo, já é hora de falar sobre menstruação.

A abordagem pode ser desde uma dessas conversas de mesa supernormais que algumas mães iniciam o tema falando de sua própria menstruação, isto é, comentar que está em seu período, o que acontece e instruí-la de maneira indireta, repito, algo muito casual.

Uma amiga me compartilhou que sua “grande conversa” começou no supermercado no corredor de produtos para a higiene e ela me contou que foi o mais agradável porque iam fazendo as compras e a menina perguntava. Ela via um produto, revisava-o e lhe dava tempo de pensar em sua resposta. Dizia-me que estavam tão à vontade, que logo era só dar voltas pelos corredores para que a menina não deixasse de fazer perguntas.

O que quero dizer é que não é necessário fazer uma grande reunião formal e dar toda uma palestra sobre o tema, verá que o momento menos esperado resultará o melhor, e a outra, é que esse é o pretexto para iniciar uma série de muitas, muitas conversas.

O canal de comunicação

Falar desse tema de uma maneira tranquila, sem preconceitos nem visões arcaicas, permitirá iniciar um canal de diálogo que, se cuidado e alimentado, irá acompanhá-los por toda a vida.

Advertisement

A menstruação é um processo natural e normal da vida, e se não podemos falar dela com tranquilidade e normalidade, o que acontecerá com os assuntos verdadeiramente complexos que virão? Qualquer filho, e em especial as filhas, devem ter confiança suficiente para dizer a seus pais o mal que possa lhe ocorrer, ela saberá que, ante o mais grave que possa passar, sempre terá um lugar para onde retornar onde sempre será bem-vinda.

Um passo de cada vez

Primeiro, cuidado e limpeza de nosso corpo, em seguida, prevenção do abuso ou sequestro de crianças, em seguida, menstruação e o seguinte pode ser gravidez. Mais tarde prevenção e atuação ante uma violação.

Sim, já sei, aqui nosso coração se parte, mas é uma realidade incontornável abordar estas questões com nossos filhos, meninas e meninos, e por igual. É nosso dever ensiná-los para que possam tomar as melhores decisões porque nós não estaremos sempre com eles.

Um passo de cada vez, siga instruindo-os, procure informações, supere seus próprios medos e desafios, porque quando chegar a hora, devemos agir corretamente.

Quando chega o grande dia

Se você já segue estes passos e tem conduzido o processo com naturalidade, o dia que chegar sua primeira menstruação será um dia feliz para todos.

Advertisement

Dentro da preparação prévia, você deve ensinar a sua filha o que fazer se isto ocorrer na escola ou em uma viagem. Aqui, passo o que para mim, como mãe de três filhas, funcionou: depois da grande palestra e depois de observar que o tempo se aproximava, a cada filha dei uma pequena bolsa com dois absorventes, lenços umedecidos e um chocolatinho que, quando abria, dizia parabéns! O chocolate nunca chegou ao grande dia, a propósito.

O que vem depois é a parte mais importante

Esta vida é tão bela, que nos vai dando o que precisamos para enfrentar cada etapa e cada momento, se começamos a tempo, tudo irá fluindo; e se não foi assim hoje, podemos corrigir e fazer o que nos faltou.

Convido-a a estabelecer uma boa relação com os seus filhos e filhas fazendo algo significativo por eles hoje.

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa do original Cómo preparar y ayudar a tu hija para su primer período

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.