Como implementar na escola a inclusão social de crianças com deficiências

Veja a importância da inclusão e do respeito dentro das escolas para a formação de uma sociedade consciente, e o que é necessário para atender as necessidades de cada criança.


Fernanda Ferraz

Para compreendermos melhor, a educação inclusiva é a ação educativa humanizada (mas não com ar de piedade) que tem como objetivo a inserção social de todos. Essa inserção das crianças com deficiência com as demais crianças possibilita:

-> Humanização.

-> Respeito e ética.

-> Melhor aprendizado.

-> Maior sensibilidade.

-> Estímulo à cooperação.

-> Construção de relações afetivas.

Advertisement

-> Ensino do não preconceito.

-> Trazer igualdade para todos.

-> Suporte social.

-> Instrução.

-> Diminuição do estresse.

-> Mais receptividade às diferenças.

Toda criança tem direito à educação. Não importa a idade, cor, classe social ou características físicas ou intelectuais, toda criança tem o direito de estudar, de brincar, de uma boa alimentação, de amor e de respeito. Em nossa cultura, ainda muito preconceituosa, verifica-se diferenciação de tratamento para cada tipo de aluno, e constata-se a exclusão da parte de alguns educadores. Infelizmente, isso é comum.

Mudança de atitudes

. A primeira coisa a ser feita é a mudança de atitude e ideias erradas sobre as crianças com algum tipo de deficiência. Muitas pessoas pensam, que por ser deficiente ou ter alguma incapacidade motora ou transtorno, a criança deveria estudar em uma escola especial, isso é completamente desnecessário. “Por que essa diferença? Só porque meu filho é diferente do seu? O que o torna diferente?” O que torna as pessoas diferentes é umas terem a sensibilidade e consciência e outras não.

Então, o que fazer para que crianças com algum tipo de deficiência tenham uma vida saudável na escola?

Preparação de professores

. Os professores devem ser treinados, capacitados, instruídos, corrigidos, incentivados a melhorarem como profissionais éticos, que respeitam e valorizam seus alunos e suas necessidades individuais.

Advertisement

Instalações escolares

. É preciso que a própria direção da escola enxergue as necessidades e façam os reparos necessários na escola para ajudar seus alunos: uma rampa, corrimões, banheiros adaptados, cadeira de rodas extra, cadeira adequada para determinados tipo de necessidades físicas, sala de recreação, enfermaria, instalações adequadas que proporcionem bem-estar e segurança aos pais e alunos, além de toda a equipe de educadores.

Reunião de pais

. É de extrema importância os pais participarem dessas reuniões, tanto ouvir o que a escola tem a dizer, como exigir ou sugerir modificações adequadas.

Eliminar o bullying

. Sabemos que o bullying é, frequentemente, utilizado para machucar verbalmente e psicologicamente uma criança ou jovem. O que a escola e profissionais devem fazer é um trabalho interno de conscientização na própria escola, com seus próprios alunos. Onde estão as aulas de ética? Não existem mais? Os alunos não estão na escola apenas para aprender o alfabeto, não. Eles estão na escola para receberem um ensino sobre respeito e educação. Se os próprios professores não exigem respeito dentro da sala de aula, fica complicado.

Em casa

. Os pais, também, têm grande influência em parte do ensino educativo dos filhos. É preciso que eles, também, conscientizem-se e lembrem que a educação começa em casa, conscientizando seus filhos sobre como respeitar o próximo e explicando que qualquer criança que tenha alguma deficiência é inteligente e faz coisas semelhantes às outras crianças. A escola é um complemento, mas, também, o ensino assertivo vale para qualquer tipo de ensino, por ser de grande importância.

Desenvolvimento e apoio pedagógico

. O apoio é fundamental. A escola deve pesquisar como melhorar o aprendizado desta criança, por exemplo, usar materiais que ajudem e facilitem o aprendizado, como: engrossadores de lápis para dar mais apoio às mãos, tesouras adaptadas, apoio nos braços das cadeiras, encosto para o tronco, quadros magnéticos, etc. O professor deve estar atento a qualquer mudança na criança, como febre, apatia, vômito, entre outros sintomas.

Essas implementações não são coisas de outro mundo e devem ser feitas. Tanto a escola como o aluno assistido só tem a ganhar com essas implementações, porque a educação é para todos!

Fonte: http://www.deficiencia.no.comunidades.net/index.php?pagina=1115276908

Toma un momento para compartir …

Fernanda Ferraz

Graduada em RH, acredito que nossa vida têm verdadeiro propósito, sou SUD, sei que toda dor e aflição é uma fonte de virtude e força espiritual, que nos molda e purifica.