Como ajudar uma pessoa a ter alegria na vida

Sua melhor amiga está com depressão. Como ajudá-la? Dicas de atividades prazerosas que aliadas ao tratamento médico, atenuam sintomas e resgatam a alegria de viver.


Malu Castelo Branco

Primeiramente, é importante lembrar que depressão é uma doença, e, portanto, deve ser tratada pelo médico especialista. A função dos amigos, em momentos difíceis, é amenizar os sintomas colaborando para que a pessoa reencontre a alegria de viver. Toda a ajuda dos amigos e família é essencial, mas não substitui o acompanhamento médico.

Diversos problemas mentais, dentre eles a depressão acometem 350 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em especial as mulheres. (UOL Notícias/Saúde – Depressão)

Os principais sintomas são alterações de sono e apetite, desânimo, falta de interesse pelas atividades cotidianas, introspecção exagerada, diminuição da autoestima, falta de atenção/concentração, déficit de memória, lentidão ou agitação.

Estes sentimentos, presentes durante um longo período, trazem enorme sofrimento e, muitas vezes, precisam ser tratados com terapia psicológica, além de medicamentos receitados por um psiquiatra.

No entanto, amizade e amor são duas ferramentas poderosas para levar conforto e alegria aos que necessitam de ajuda. Com dicas práticas, você poderá ajudar um amigo nesta situação a superar obstáculos. Lembre-se que ter paciência é fundamental!

Mexa-se

Você pode sugerir ao seu amigo que ambos frequentem uma academia de ginástica ou que façam caminhadas regulares durante a semana. Você será um motivador para aqueles dias em que sair da cama é a tarefa mais difícil do dia. Movimentar-se alivia as tensões, e o cansaço físico proporcionado pela malhação ajudará a ter um sono mais equilibrado e repousante.

Ocupe a mente

Minha avó já dizia: “cabeça vazia, oficina do diabo”. Portanto, é hora de procurar aulas de trabalhos manuais como pintura, mosaico, jardinagem, marcenaria, culinária, entre outros. Manter-se ocupado, ajudará a criar novos círculos de amizade, espantando o isolamento, além de despertar interesse por novos assuntos. Você poderá ajudar fazendo a busca para encontrar atividades de interesse para seu amigo.

Advertisement

Alimentos saudáveis

Os vegetarianos e adeptos da alimentação macrobiótica pregam que alimentos orgânicos e naturais têm poder curativo. Sem radicalismos, mostre ao seu amigo que incluir mais legumes, verduras, peixes, frutas e cereais às refeições dará sensação de leveza, refletindo diretamente no estado geral de ânimo. Visitar feiras orgânicas é uma boa pedida para passar momentos agradáveis.

Saia da rotina

Nada melhor que um mergulho no mar para esfriar a cabeça. Proponha um passeio diferente como uma visita ao jardim botânico, zoológico, parque temático ou um simples piquenique no campo. O importante é a companhia e a descontração. Prefira passeios ao ar livre, pois os raios solares promovem a produção de serotonina, o hormônio responsável pela sensação de prazer.

Pet de estimação

Cuidar de um filhote pode motivar seu amigo a sair do estado de prostração. Apesar do trabalho de domesticar e ensinar as regras da casa ao filhote, a alegria de conviver com um bicho de estimação certamente alivia as tensões.

Crie um ambiente alegre

Flores, música, luz e cores têm o poder de transformar um ambiente sombrio em local agradável. Ajude seu amigo a sentir-se bem no próprio lar. Decorar a casa com flores, pintar uma parede em tom acolhedor ou ouvir boa música, resgatando aqueles discos de vinil há tempos esquecidos é tarefa prazerosa para fazer com a turma.

Terapias alternativas

Mesmo fazendo tratamento médico convencional, muitas terapias alternativas podem colaborar para atenuar os sintomas. A prática da yoga, meditação, shiatsu, reiki, watsu (trabalho corporal, semelhante aos shiatsu, praticado dentro da água aquecida), quiropraxia, entre outros, traz sensação de relaxamento e equilíbrio. (mdemulher/saúde-1 tipos de terapias alternativas)

E não esqueça, confundir tristeza passageira com depressão é um erro comum. Tudo depende da intensidade e da duração dos sintomas. Alguns casos mais brandos podem ser tratados sem medicamentos, sendo vital a ajuda de amigos e parentes para a melhora. No entanto, nas formas moderada e grave, a pessoa precisa de atenção redobrada com medicação na hora certa e tratamento profissional.

Toma un momento para compartir …

Malu Castelo Branco

Malu Castelo Branco é jornalista, fotógrafa, corredora e mãe de gêmeos.