Birras em público? Acabe com elas definitivamente com estas dicas

Lidar com as birras em casa já é desgastante, imagine quando elas acontecem em público. Aqui vão algumas dicas para acabar com esse problema definitivamente

Stael Ferreira Pedrosa

Os anos iniciais de toda criança são de mais puro aprendizado, como esponjas elas absorvem o que está à sua volta. Nesse processo, aprendem a lidar com o mundo da maneira que sabem – reagindo a ele. Ora vão rir e se entusiasmar com as novidades, ora chorar, aceitando ou rejeitando o que se lhes apresenta. Tudo pode ser uma aventura ou um desafio. Ao lidar com tais situações, a personalidade da criança irá se manifestar e pode não ser fácil para os pais aprenderem como “moldar” de maneira aceitável o comportamento nos três primeiros anos.

Se os pais pudessem se lembrar desse período que eles mesmo passaram, compreenderiam melhor o motivo das atitudes da criança e o quão desafiador para ela é começar a dar os primeiros passos em direção à sua independência. Isso pode ser assustador e excitante ao mesmo tempo. E uma das maneiras em que a criança manifesta seu medo, raiva ou desapontamento é através das terríveis birras.

As birras são parte normal e esperada do desenvolvimento infantil. Algumas crianças não darão birras, mas a maioria sim. Elas podem ser evitadas e mesmo controladas ou reduzidas de acordo com a abordagem correta, segundo Gina Ford, ex-enfermeira e a mais lida autora de livros sobre cuidados infantis.

Quando ignorar as birras é o melhor caminho

Segundo a autora, as birras são a maneira que a criança tem de conseguir o que quer ou precisa. São passageiras e tendem a diminuir após o terceiro ano. A maneira correta de lidar com isso é, primeiramente, ignorando a birra até que ela se acalme. Não dê o que ela deseja enquanto dá birra, ou ela repetirá sempre o comportamento para conseguir o que deseja. Depois de acalmar-se, converse com ela e deixe claro que seu comportamento é inaceitável e porque não é, e que ela não conseguirá o que deseja gritando, chorando e rolando pelo chão.

Quando não se deve ignorar a birra

Se houver risco físico para ela mesma ou agressão aos pais. Se a criança bate a cabeça no chão, paredes ou atira coisas, se corre pelas ruas ou morde a si mesma ou aos pais, nesse caso haja imediatamente, retirando-a do ambiente, mostrando sua desaprovação (sem bater!), explique os riscos a que ela estava exposta sem muitas palavras, mas frisando que é para o bem dela e tire algum privilégio, como um brinquedo, ou limite sua liberdade colocando de castigo por algum tempo – 1 minuto para cada ano de idade e sob supervisão (jamais deixe uma criança pequena sozinha).

Advertisement

Birras em público, o que fazer

Nada mais estressante para os pais que uma birra em público, seja no supermercado ou na sala de espera de um consultório, enfim, onde há pessoas que se incomodarão com o barulho e que certamente farão julgamentos. A criança já está gritando e rolando pelo chão, o que os pais podem tentar é:

1 Não entre na frequência

A criança já está nervosa e você não deve ficar também, isso só a assustará mais, piorando a choradeira

2 Retire-a do meio do público

Leve-a para um local mais tranquilo, abaixe-se e fale com ela com voz firme e calma que esta atitude não irá resolver o problema e que ela deve parar imediatamente com esse comportamento. Se ela continuar a birra apenas fique observando sem se alterar, aos poucos ela para de se agitar.

3 Seja firme, mas receptivo

Nesse momento (quando parar a birra) abrace-a e converse com ela sobre porque algo lhe foi negado ou porque não pode sair correndo pelo supermercado ou shopping, etc.

4 Dê limites

De acordo com Cris Poli (a Supernanny da TV), a partir dos 2 anos a criança já pode entender o que são regras, então deixe claro para ela quais comportamentos não serão aceitos de forma alguma, tais como: “não pode gritar, nem chorar sem motivo, se debater ou bater nos outros”.

Advertisement

O que não fazer

1 Não grite ou bata

A menos que você deseja que esse seja o comportamento do seu filho diante de problemas. Criança vê, criança faz.

2 Não ceda

Se você disse um não que originou a birra, este não deve tornar-se em um sim porque a birra terminou. Não é não e assim deve permanecer. Muitas vezes, os pais cedem por falta de paciência ou para terminar a birra. Este é um grande erro e ensina a criança que esta é a melhor maneira de conseguir o que deseja.

3 Não seja um motivo

Às vezes, a birra é o único momento em que a criança consegue total atenção dos pais. Não deixe que seja assim, é importante que os pais tenham tempo para estar com suas crianças, brincar com elas, conversar, assistir TV, enfim, toda criança precisa de um tempo exclusivo, não importa quantos filhos se tenha.

Leia: A ciência confirma: quanto mais amor você der a seu filho, mais saudável e feliz ele crescerá

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.