A diferença entre distúrbio e dificuldade de aprendizagem

A especialista Sheila Leal ensina a diferença entre distúrbio e dificuldade de aprendizagem.


Roberta Preto

De acordo com a psicopedagoga, fonoaudióloga especialista Sheila Leal, porta-voz do blog Filhos Brilhantes, existem muitos pais que não compreendem a diferença entre dificuldade de aprendizagem e distúrbios.

“Enquanto a dificuldade de aprendizagem pode ser um problema passageiro, talvez até gerado pela forma como o professor ensina ou pelas relações com os amigos na escola, o distúrbio é uma questão intrínseca ligada a problemas neurológicos”. “Os distúrbios são muitas vezes genéticos, o que pode ser visto no histórico familiar”.

Alguns transtornos comuns, como o transtorno de déficit de atenção (TDA), que não chega a ser caracterizado como um distúrbio, mas gera diversas dificuldades. Para a especialista há algumas diferenças que podem ser sutis, como também há algumas confusões, mesmo entre os pesquisadores, entre os termos utilizados.

Sheila Leal aponta as grandes diferenças entre distúrbio e dificuldade e maneiras de agir para lidar com o problema.

Grau

A grande diferença entre uma dificuldade e um transtorno está no grau.

“Uma criança com o transtorno da disortografia não consegue nem mesmo compreender a ligação letra com o som que ela representa, enquanto que uma dificuldade de aprender a escrita vai resultar em alguns erros que aos poucos podem ser superados.”

Lentidão

Crianças que apresentam dificuldade de aprendizado costumam agir com uma demora exagerada, ou seja, agem com lentidão quando precisam se arrumar antes de ir à escola, também levam um tempo excessivo para fazer lição.

Advertisement

“Uma criança com distúrbio provavelmente não consegue finalizar a lição, mas uma com dificuldade pode apenas demorar mais”.

Os pais precisam observar se os filhos choram sobre todas as circunstâncias difíceis, ou fazem xixi na cama.

Atentar-se para as dificuldades emocionais dos filhos é um papel importante dos pais. Se eles estiverem passando por isso, precisam de ajuda, porque esses são uns dos muitos sinais de dificuldades emocionais. A dificuldade emocional é um problema que pode ser tratado com atendimento psicológico.

Como identificar

Os pais precisam atentar-se para atividades e detalhes da rotina da criança, essa é uma atitude favorável para auxiliar e identificar se há um distúrbio ou apenas uma dificuldade.

“A partir dos 4 anos, a criança passa a ter dominância sobre os números, letras e traços”.

Entretanto, os pais precisam observar se a criança aos 5 anos é capaz de utilizar o lápis ou giz de cera, caso ela não seja é sinal de distúrbio.

Outro fator importante é a capacidade de concentração. “Crianças com dificuldade de aprendizado podem apresentar falta de concentração nas horas de estudar e fazer a lição de casa, enquanto as que apresentam distúrbio também não conseguem se concentrar em uma brincadeira com muitas regras e jogos eletrônicos”.

O peso do rótulo

Independentemente de ter uma dificuldade ou um distúrbio, para a especialista é importante os pais tomarem cuidados com os rótulos, porque não se deve rotular um filho com o diagnóstico que foi dado a ele, ou seja, determinar para uma criança que ela tem certas limitações, ou acreditar que ela nunca será capaz de algo específico.

Não importa qual tenha sido o diagnóstico do filho, se os pais agirem dessa forma estarão escolhendo o pior posicionamento diante dos filhos.

Os filhos só serão capazes de superar seus desafios se os pais estiverem prontos para lidar com a situação de forma positiva. A melhor forma dos pais agirem é buscando ajuda nos profissionais especializados para lidar com a situação.

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Roberta Preto

Roberta Preto, 33. Formada como tradutora e intérprete, escritora, mãe. Apaixonada pela vida, em uma eterna busca por conhecimento. Espero que minhas palavras possam ser uma luz na vida das pessoas. Sonho em ajudar a humanidade a tornar-se livre da escravidão da ignorância.