A água que não falta na sua casa

Alguns Estados do Brasil já vivenciaram a falta que a água potável faz. E isso é só o começo.


Michele Coronetti

Ao abrir uma torneira ninguém imagina de onde vem a água. As pessoas estão tão acostumadas com o conforto de ter esse recurso sempre disponível que só param pra pensar quando a torneira está vazia.

Esse problema é constante em algumas pequenas cidades do país, porém em pequeno número. Mas quando o fio d’água seca na cidade brasileira mais populosa a preocupação se instala.

Há muitos séculos um jovem interpretou um sonho de um soberano e a decisão foi simples: aproveitar a época de fartura para armazenar o alimento que faltaria na escassez. Com esse processo vidas foram salvas, mesmo naquela época precária.

Hoje com todos os recursos da modernidade, usar esse exemplo para manter o lar com as necessidades básicas disponíveis torna a atitude mais sensata. O armazenamento doméstico poderá salvar a vida de familiares em casos catastróficos ou simplesmente na falta de certo produto no mercado.

Abordando especificamente a armazenagem da água, seguem algumas ideias:

  1. Em locais onde há espaço disponível, reservatórios grandes podem ser construídos ou instalados. Um de 16 mil litros serve uma família de 5 pessoas (apenas para beber e cozinhar) pelo tempo de 6 a 8 meses. Se a água for utilizada para outros fins como a higiene, durará menos tempo.

  2. Para quem não tem espaço e mora em cidades, a água pode ser guardada em garrafas de plástico tipo pet e o cálculo é basicamente este: 8 litros de água por pessoa, para higiene pessoal, alimentação e bebidas. Claro que tudo com muita economia, diferente do que acontece quando as torneiras estão jorrando normalmente.

    Advertisement
  3. Para uso geral, inclusive cozinhar, a água pode ser guardada até 6 meses em garrafas pet de 2 litros que foram higienizadas da seguinte forma: Coloque 4 colheres de sopa de cloro inodoro em 3 litros de água. Depois de higienizadas com esta solução, enxágue a garrafa muito bem e preencha com água da torneira. Acrescente 4 gotas de cloro inodoro antes de fechar a garrafa e não se esqueça de etiquetar a data do procedimento.

  4. As garrafas podem ser guardadas durante os 6 meses em local seco e ventilado, longe da luz e do calor. Utilizar e substituir a água será necessário ao final do prazo, acrescentando novamente as gotas para novo armazenamento.

  5. Água mineral pode ser guardada para consumo respeitando seu prazo de validade e armazenada corretamente, como citado no item 4. O tipo de embalagem altera em muito na sua conservação, sendo as garrafas de vidro as que têm maior durabilidade do produto.

  6. Se a água ficou guardada por muito tempo e ficar a dúvida quanto à sua integridade, se a embalagem foi violada, o local não estava de acordo ou qualquer outro motivo, o melhor é ferver e acrescentar algumas gotas de água sanitária sem perfume (8 para cada 2 litros). A água armazenada da forma do item 3 também pode ser consumida caso este segundo processo seja realizado.

Além de manter estoque pessoal para eventuais emergências, é de bom senso utilizar a água com prudência. As antigas e sempre atuais recomendações de banhos rápidos, lavar carros e quintais com baldes, fechar bem as torneiras após o uso, não mantê-las abertas durante a escovação dos dentes ou lavagem da louça ou mãos, devem ser respeitadas.

Um dos maiores bens da humanidade pode estar sempre ao alcance, mesmo em tempos de escassez, através da prevenção e armazenagem correta.

Leia também: 6 atitudes sustentáveis no ambiente urbano

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.