9 conselhos para criar filhos confiantes em si mesmos

Que atitudes devemos desenvolver para que nossos filhos cresçam felizes e confiantes em si mesmos? Permita-me dar-lhe algumas sugestões.


Maia Fernandez

Algum tempo atrás, presenciei algo que me trouxe muita tristeza. Na escola em que trabalhava como professora substituta havia um menino muito indisciplinado. Durante os intervalos, o pequeno, de aproximadamente dez anos de idade, passava batendo nas outras crianças. Nas aulas, não parava quieto e não havia maneira de fazê-lo trabalhar.

Ao perguntar a uma de minhas colegas por que ele agia assim, ela me respondeu: “É que a mãe o trata de tonto, bobo, o tempo todo diz não e que ele não serve para nada. O fato dele não receber carinho em sua casa faz dele uma criança muito insegura que expressa sua raiva e impotência batendo nos outros.”

Quando ouvi suas palavras, senti um aperto no coração e pensei: “Como podem existir pais que tratam seus filhos assim?”. Compreendi que talvez a mãe dessa criança não tivesse sido bem tratada também durante sua infância, e foi assim que ela aprendeu a agir. Eu senti pena dela. O mais triste foi pensar nesse menino crescendo sem amor, com inseguranças, com a crença de que não servia para nada. Talvez por sorte, não tenhamos chegado a esse ponto, mas é conveniente que revisemos nossas condutas, sentimentos e emoções ou crenças negativas que carregamos desde a infância. Quanto mais analíticos formos, mais poderemos compreender nossos medos e dificuldades. Conhecer a nós mesmos profundamente nos ajudará a ser conscientes de que exemplo estamos dando aos nossos filhos e a procurar ferramentas para ajudá-los a ter uma autoestima elevada.

Que atitudes devemos desenvolver para que nossos filhos cresçam felizes e confiantes em si mesmos? Permita-me dar-lhe algumas sugestões:

1. Valorize seu ponto de vista

quando éramos crianças, diziam-nos: “Silêncio! Porque os adultos estão conversando.” As crianças precisam aprender a respeitar, mas é importante também dar-lhes espaço para se expressarem livremente. Isso lhes dará muita confiança.

2. Não as ridicularize

apesar de serem pequenas e terem muito o que aprender, é importante que respeitemos suas emoções, anseios e desejos. Por exemplo, eu conheço o caso de uma adolescente que foi contar aos pais que estava apaixonada. Eles responderam rindo ironicamente: “E o que você sabe sobre o amor?”

3. Dê-lhes ferramentas para se expressarem livremente

a arte é o caminho mais eficaz para que as crianças (e pensando bem, para todo ser humano, é claro) se expressem. Através da música, da dança ou do desenho, as crianças podem ver sua criação terminada, apreciar seus esforços, expressar suas emoções, e isso não é somente saudável, mas também as ajudará a desenvolver uma elevada autoestima ao ver que cumpriram suas metas. Outra grande ferramenta de expressão é ter um diário onde possam escrever tudo o que acontece com elas.

Advertisement

4. Não compare

se tiver vários filhos, não cometa o erro de compará-los dizendo por exemplo: “Se você fosse como seu irmão…”. Isso só criará grandes complexos e rivalidades, especialmente se há pouca diferença de idade entre eles.

4. Não classifique

quando dizemos: “Joãozinho é terrível, é travesso, etc.” estamos consolidando traços de sua personalidade que logo se desenvolverão. Isso acontece porque a criança acaba acreditando que é daquele jeito e cumpre esse papel.

6. Corrija com amor e ensine a aprender com os erros

ajude seus filhos a ver cada dificuldade da vida como uma oportunidade para aprender, para se superar e melhorar como pessoa. Dê-lhes coragem diante dos erros, dando-lhes confiança de que poderão superar todos os obstáculos.

7. Valorize seus esforços

acompanhá-los em cada uma das etapas de sua aprendizagem é fundamental. Mostre sua alegria diante de seus triunfos. É importante verbalizar essa alegria parabenizando-os e dando-lhes um grande abraço.

8. Mostre-lhes seu amor

muitas vezes, nós, pais, amamos nossos filhos, mas não demonstramos, porque podemos pensar erroneamente que eles sabem. Mas é muito importante expressar amor em todos os nossos relacionamentos. Podemos demonstrá-lo com palavras, um sorriso, escutando atentamente suas necessidades, seus medos, seus desejos, com um abraço, com um “te amo”.

9. Nunca lhes diga “O que as pessoas vão pensar se te virem fazendo isso?”

certamente, todos nós quando crianças ouvimos essas palavras. Ou então também: “Tem gente olhando, comporte-se!”. Isso cria insegurança. Como adultos, devemos ensiná-los a se comportar bem, porque é o correto, e explicar-lhes o porquê. Dessa forma, os pequenos se comportarão bem, mas não por medo de “o que vão dizer”.

É fundamental que, além dos pontos citados acima, esforcemo-nos para demonstrar segurança nas decisões como pais, e nos mostrarmos firmes ao decidirmos sobre sua educação. Que possam nos ver tranquilos ao enfrentar os problemas, felizes ao dormir e acordar. Dessa forma, seremos o exemplo para que nossos filhos cresçam com confiança, segurança e autoestima, tornando-se pessoas felizes, que conhecem suas virtudes e defeitos e que são capazes de superar todas as pedras em seu caminho.

Compartilhe essas sugestões, se tiverem sido úteis e, se quiser, você pode nos contar as coisas que você e sua família fazem para transmitir segurança e confiança a seus filhos.

Traduzido e adaptado por Sarah Pierina do original 9 consejos para criar hijos con confianza en sí mismos, de Maia Fernandez.

Toma un momento para compartir …

Maia Fernandez

Maia Fernández mora na Argentina. Considera fundamental a educação das crianças e a arte como parte insubstituível disso.