9 coisas que você deve saber sobre os mestres de seus filhos

Uma professora com 30 anos de profissão explica que há 9 coisas que os professores precisam que você, como mãe ou pai, saiba o quanto antes.

Emma E. Sánchez

O mês de junho é um dos meus favoritos por duas razões: onde eu vivo, começa a temporada de chuva, o que faz com que nossa cidade se refresque e todas as plantas reverdeçam, algo que dá uma atmosfera fresca e muito agradável a toda a cidade; a outra, é porque começa a época das formaturas escolares.

Assim como a chuva enche os leitos antes secos, o desfile de formandos com togas e barretes é visto por todos lados: nas praças públicas, buscando um cenário entre a vegetação para a foto da lembrança; nas igrejas onde muitas famílias se reúnem, para agradecer a Deus que os filhos completaram seus estudos; nos salões sociais, oferecendo festas, jantares, cafés da manhã e refeições para celebrar; e claro, nas escolas, onde os eventos acadêmicos são realizados para formar-se apropriadamente desde os mais pequenos até os universitários.

Por onde se vai há um ambiente festivo, de conquistas alcançadas para alunos e pais, mas também de certa forma de nostalgia para nós, professores, porque mais um ano deixamos aqueles, que na sala de aula uma vez chamamos “meus filhos”, irem felizes correndo, emocionados com seus pais para continuar seguindo adiante; enquanto nós regressamos às salas de aulas para voltar a decorá-las e preparar-nos para receber outro punhado de novos alunos que nos serão confiados para educá-los… E assim se vai a vida.

Dizem que só há três profissões baseadas na vocação

E essas profissões são os médicos, os religiosos e os professores; e acredito que há muito de verdade nisso.

Este ano, estou celebrando meus 30 anos de serviço docente; já não estou mais diante de um grupo de alunos em tempo integral, agora estou em um escritório dirigindo uma equipe maravilhosa de docentes, e então, muito do meu tempo de trabalho dedico a atender famílias, ajudá-las com seus estilos de criação, mas acima de tudo, para que compreendam que pais e escola são a mesma equipe, que não somos rivais, e que somente trabalhando juntos poderemos levar adiante e com sucesso o projeto mais importante para todos: educação e formação das nossas crianças.

Advertisement

Se este artigo lhe chamou a atenção, certamente é porque você está sinceramente interessado na educação dos seus filhos e das pessoas que os atenderão. Por isso, se me permite, vou confiar-lhe alguns dos pontos mais importantes que deve saber sobre nós, os professores dos seus filhos.

1 Somos profissionais da educação

Não somos babás, nem cuidadores, somos guias e facilitadores de processos pedagógicos, e assim como em qualquer profissão, gostamos que nos tratem com respeito e consideração.

De fato, o professor de Educação básica ainda cuida muito dos pequenos, mas pense isso: é mais fácil cuidar, criar e educar seus 3 filhos ou apenas um? Bem, o professor, em alguns casos, tem mais de 40 crianças em uma sala; imagine então seus níveis de estresse e cansaço por estar com todos os sentidos atentos a tudo o que cada pequeno faz, e você fica com raiva porque o professor “perdeu o pote de água ou o suéter” que era responsabilidade do seu filho.

2 Quando tiver alguma dificuldade ou dúvida, aproxime-se do professor

Com respeito e em bom tom, fale com o professor; acredite em mim, ele ou ela está tão interessado no seu filho quanto você, tenha apenas um pouquinho de consideração pelo seu trabalho.

3 Recebemos um salário, mas o amor que damos vai por nossa conta

Em geral, no mundo, os salários dos professores são relativamente baixos. Nos institutos privados ou públicos, o pai de família paga uma taxa ou impostos para que a criança tenha uma sala, luz, bancos, mesas e coisas assim, mas o cuidado e a atenção que recebe sua criança, isso ninguém pode pagar; isso o professor dá e não há retribuição financeira alguma que o possa cobrir.

Advertisement

4 Amamos nossos alunos igualmente

Não temos um favorito ou preferido; há crianças que se sobressaem por si mesmas e nós promovemos a luz de cada um de diversas maneiras, não pense que há um “fulaninho” que gostamos mais porque sai em todos os eventos ou porque não o repreendemos; há crianças que não precisam, enquanto há outros a quem dedicamos o dobro do tempo e atenção porque necessitam.

E você sabe disso? Os alunos mais difíceis, complicados ou com necessidades especiais são os que mais recordamos em nossa vida porque “eles são os que nos fizeram melhores marinheiros na tormenta”.

5 Nós pagamos muitos dos materiais e enfeites que você vê na sala de aula

A título de piada, os professores dizem que somos a única profissão que se “rouba” coisas de sua casa para levá-las ao trabalho e não o contrário, como acontece em outros casos.

6 Nosso trabalho não é resolver as coisas para a criança

Nossa tarefa é criar situações com tal grau de complexidade para que ele possa enfrentá-las e desenvolver-se.

E isso é em todos os sentidos. Certa vez, uma mãe me disse que por que a professora não amarrava os cadarços dos tênis para seu filho, não tomaria nem 5 minutos para fazê-lo, enquanto o deixou sem recreio castigando-o até que aprendesse a fazer o nó. O que a mãe não viu é que todo esse tempo “de castigo” foi tempo que a professora dedicou em exclusivo a seu filho a aprender algo que ela, como mamãe, deveria ter feito em casa antes de enviá-lo ao colégio. Certamente, a professora podia ter-lhe dado o nó e resolvido o problema, poupar tempo e seguir em frente, mas nesse caso, ela não teria sido uma boa professora.

Advertisement

7 A nova geração de professores acredita em disciplina positiva, diálogo e consequências naturais para a tomada de decisões

Na verdade, hoje em dia é extremamente raro um professor bater ou denegrir um aluno. Já não é costume, e sabemos que isso não acrescenta à educação, o maltrato de alguns pais é mais que suficiente e, sobretudo, a lei Pune e pune severamente.

Se o seu filho lhe fala de violência dentro da sua turma, seja entre colegas ou do seu professor, vá à escola imediatamente, mas deixe a espada em casa. Fale com o professor, os psicólogos ou o diretor, indague e aja, mas não seja você o agressor.

No início do ciclo escolar, pergunte sobre os métodos disciplinares do professor ou do instituto e verifique se ele combina com a sua maneira de pensar e educar em casa. Você não pode mandar seu filho para uma escola militar quando você não é severo, mas mais permissivo.

8 A melhor escola para seus filhos é aquela onde a filosofia e os valores comungam com sua maneira de criação

Não escolha a escola só porque é mais perto ou porque é a mais prestigiada. Hoje em dia, atrevo-me a dizer que há mesmo casos em que os filhos podem exigir metodologias educativas particulares.

9 Os professores gostam de falar com os pais

E gostamos que nos visitem na sala de aula, que nos acompanhem nas viagens e saídas, que nos ajudem com algumas coisas e que entrem em nossas aulas, porque não há nada oculto, mas, sobretudo, porque podemos ser uma equipe.

Advertisement

Ofereça-se como voluntário de vez em quando no grupo de seu filho e ajude a cuidar de todos, não só de seu filho; assista o máximo que puder aos eventos públicos tendo em mente que você vai para edificar, para contribuir para as melhorias e não para apontar o negativo ou criticar, acredite, nós percebemos os nossos erros.

Faça do professor seu companheiro de batalha, lembre-se que estamos na mesma equipe e que precisamos um do outro.

Hoje, mais do que nunca, precisamos trabalhar juntos, pois esse é o tempo em que nossas crianças são mais complexas; e quem melhor do que nós, que as amamos tanto, poderá ensiná-las a alcançar os seus objetivos?

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa do original 9 cosas que debes saber sobre los maestros de tus hijos

Toma un momento para compartir ...

Emma E. Sánchez

Casada y madre de tres hijas. Interesada en el fortalecimiento y formación de la mujer, la familia y el hogar.