8 coisas que você precisa saber sobre traição

Sendo o traído ou o traidor este artigo fará com que você reflita sobre o futuro de seu casamento.


Suely Buriasco

Ouço muito as pessoas dizerem: “traição não tem perdão” e “para mim é o fim”; algumas até fazem comentários agressivos nos artigos que tratam do tema, mas o fato é que quando uma pessoa se depara com a infidelidade precisa reavaliar muitas coisas. O fim do casamento, a destruição da família, o divórcio, os filhos e tudo o que está envolvido são situações e sentimentos sempre muito difíceis de lidar.

Quando o cônjuge infiel se mostra arrependido, cheio de remorsos e devotado à mudança o divórcio não é a solução.

Aqui estão algumas coisas que você precisa saber se estiver lidando com as consequências da infidelidade em seu casamento:

1- A traição tem sentido amplo

As pessoas discutem o que é ou não é, mas traição é todo ato que burla o compromisso assumido. Assim, relacionamentos extraconjugais, envolvendo sexo ou não, reais ou virtuais, paqueras e até mesmo mentiras, enganações e omissões são traições.

2- A infidelidade não é o fim do relacionamento

Muitas pessoas pensam na traição como sendo o último suspiro da relação, mas na prática não é assim. A maioria das pessoas mantém o casamento, enfrentando até mesmo o julgamento alheio, porque avaliam que existe outras questões muito relevantes.

Leia: Relacionamento amoroso: É possível perdoar uma traição?

3- Toda relação é um “pacote”

Quando se está apaixonado o foco se prende no lado admirável da pessoa, mas com o tempo ela se mostra como realmente é, com qualidades, mas também com defeitos. Esse tipo de frustração é muito comum no relacionamento extraconjugal, levando o traidor a grande arrependimento.

Advertisement

4- A traição provoca grande estresse

Inúmeros depoimentos dão conta do grande sofrimento que representa a infidelidade, bem como de seu potencial destruidor para a relação. Alguns especialistas chegam a comparar com o luto e é, realmente, uma perda muito grande.

5- Ser traído não é humilhante, trair é

É comum o cônjuge traído se retrair, isolar-se por se sentir humilhado e rejeitado, uma gama de emoções destrutivas que podem culminar em depressão e outros distúrbios. Orgulho ferido é motivo de grande sofrimento, mas o fato é que humilhante é faltar com o compromisso, enganar e mentir.

6- O casamento está doente

Nada justifica a traição, se o casamento estava doente, a infidelidade o comprometeu de forma crônica e precisa de ajuda. É muito difícil reconstruir uma relação tão machucada sem ajuda de especialistas, portanto o melhor é buscar ajuda profissional o quanto antes.

7- A cura leva tempo

Claro que ninguém gosta de sofrer e é normal querer se livrar desse sentimento o quanto antes, mas desejar curar tão rápido tamanha dor pode ser outro motivo de frustração. Melhor encarar a realidade de que é preciso de ajuda e tempo para livrar-se dos sentimentos e emoções destrutivas.

8- Conte com os altos e baixos

Pode parecer que tudo esteja bem, mais em algum momento algo vai trazer à tona os acontecimentos e isso será inevitável. Traição se perdoa, mas não se esquece, portanto, o melhor é aceitar e aprender a lidar com as oscilações de humor.

Se você traiu, está arrependido(a) e quer manter seu casamento as considerações acima podem ajudá-lo(a) a refletir sobre os sentimentos que sua ação provocou e o que precisa ser feito para salvar seu casamento.

Leia: Traição x Carência: Fortalecendo a autoestima e o autocontrole

Se você foi traído(a) reflita muito e não tome nenhuma decisão de ímpeto, não aumente seu sofrimento com arrependimentos tardios.

Leia também: 5 passos essenciais para se recuperar de uma traição

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.