8 causas de infecções urinárias e como evitar e tratar

Por que as mulheres são as mais afetadas por esse mal? Como evitar e como tratar? Conhecimento ainda é o melhor meio.

Stael Ferreira Pedrosa

O que as palavras pielonefrite, cistite e uretrite têm em comum?

São nomes diferentes para o mesmo problema: Infecção urinária. O nome muda de acordo com a altura do trato urinário onde a infecção se encontra. Se atingir os rins é chamada de pielonefrite, que é uma infecção grave. Na bexiga, cistite e se estiver somente na uretra, uretrite.

Leia: 7 sinais de câncer do colo do útero que as mulheres precisam obsevar

“É a infecção mais comum no ser humano. Perde apenas para as gripes, que são causadas por vírus e não bactérias”, explica o urologista Conrado Alvarenga, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

O inimigo mora ao lado

Por incrível que pareça, o causador desta infecção em 90% dos casos, vive mais perto que pensamos. Seu nome é Escherichia coli, e é uma bactéria benéfica da flora intestinal humana. Embora outras bactérias também possam causar a infecção, porém mais raramente. O problema é a migração da bactéria do intestino para o trato urinário.

Advertisement

Fatores de risco:

1. Ser mulher

As mulheres são mais propensas devido a fatores anatômicos como a posição da uretra próxima à entrada da vagina onde proliferam bactérias normais para esta região. Outro fator é a uretra mais curta que a masculina. O que facilita o acesso da bactéria à bexiga.

2. Estase urinária

Urina estagnada ou prender a urina por muito tempo é um fator relevante para o desenvolvimento da doença. O ideal é esvaziar a bexiga a cada 3 horas e não segurar urina por muito tempo. Algumas pessoas devido a outros fatores têm dificuldades para esvaziar completamente a bexiga e correm o risco de infecções.

3. Infecções ginecológicas

(Aumento da flora bacteriana local devido a vários fatores inclusive DST ou variações do pH da região). Uso contínuo de absorventes diários pode provocar também infecções ao dificultar a oxigenação da vagina.

4. Diabetes

devido ao aumento de açúcar na urina e baixa defesa imunológica comum ao diabético.

5. Doenças que causam problemas imunológicos

Tais como AIDS, câncer e diabetes. Além de fatores genéticos.

Advertisement

Leia: Mioma, pólipo ou cisto no útero – Como afetam a saúde da mulher

6. Gravidez

Devido ao aumento de progesterona que causa um relaxamento maior da bexiga e consequentemente a estase urinária. Além do estado geral do organismo de defesa mais baixa.

7. Climatério

Quadro geral de sintomas que antecedem e acompanham a menopausa.

8. Má higiene local

Principalmente hábitos errados de limpar-se após defecar. O uso do papel higiênico deve ser no sentido de frente para trás e não ao contrário.

Outros fatores que estão associados à infecção urinária são: uso de espermicidas, cálculo urinário, múltiplos parceiros sexuais e instrumentação da uretra como uso de sondas.

Advertisement

Sintomas

  • Desconforto abdominal. Dor ou mal-estar no baixo-ventre.

  • Ardência ao urinar.

  • Dor após urinar seguida de espasmos da uretra.

  • Dificuldade para urinar.

  • Urina em pouca quantidade e necessidade contínua de urinar.

    Advertisement
  • Em alguns casos dor de cabeça e febre.

  • Urina com cheiro forte e alguns casos com sangue.

Diagnóstico

O médico certamente pedirá um exame para verificar a flora e aspectos da urina, tais como cor, densidade, pH, se há sangue, se há açúcar na urina entre outros. O exame de urina mostra o grau de infecção e em alguns casos é aconselhado fazer o antibiograma (exame para identificar a bactéria e facilitar a prescrição correta do antibiótico). Porém o médico já pode prescrever o tratamento baseado na sintomatologia do paciente, que é típica. Em crianças e pacientes com histórico de infecções reincidentes podem ser necessários exames mais detalhados como ultrassom ou raios x com contraste.

Tratamento

O tratamento geralmente é com antibióticos e a duração é de acordo com o tipo de bactéria. É importante seguir o tratamento correto tomando o antibiótico receitado pelo médico e durante o tempo necessário sem interrupção. Interromper o tratamento pode fazer com que a infecção volte ou crie resistência ao antibiótico e da próxima vez terá que tomar outro mais forte.

Alguns cuidados

Geralmente o paciente não tem grandes problemas em trabalhar e levar vida normal, porém se os sintomas são mais graves ou trazem prostração é aconselhável repousar.

Advertisement

Ingerir bastante líquido. Nos casos menos graves ingerir mais de 2 litros de água ao dia resolve até 70% dos casos.

Como evitar a infecção urinária?

  • No geral a principal dica é beber muita água – verifique se sua urina está límpida ou turva.

  • Urinar após a relação sexual e fazer higiene local caso haja histórico anterior de infecção urinária.

  • Não segurar urina por muito tempo.

O urologista Conrado Alvarenga também indica ter uma boa qualidade de vida. “Manter a imunidade preservada também é muito importante, com boa alimentação, bom sono e menos estresse.

Advertisement

Leia também: 10 exames que toda mulher precisa fazer periodicamente

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.