7 tipos de pais que vocês devem evitar ser

A infância dura por um momento na vida de uma criança, portanto, evite ser estes 7 tipos de pais.


Roberta Preto

O mundo precisa de homens bons. As famílias precisam de pais zelosos e os filhos precisam de laços firmes que possam firmá-los quando os vendavais da vida tentarem arrastá-los para fora de seus lares.

O lar é o lugar mais seguro e melhor para os filhos estarem e cabe aos pais proporcionarem essas coisas a eles. Os filhos precisam encontrar no lar a disciplina adequada que os corrijam e os tornem melhores e só assim serão adultos fortes e preparados para enfrentarem os desafios da vida.

Existem 7 tipos de pais que devemos evitar ser:

1. Exagerados

Os pais exagerados procuram ser os melhores “pais do mundo” na vida dos filhos, tentam protegê-los de tudo e todos, cuidam a ponto de sufocar os filhos.

A intenção desses pais é verem os filhos fortes e felizes, sem nenhum ferimento. Entretanto, para serem felizes e fortes, os filhos precisam aprender pelo erro e pela dor (algumas vezes são inevitáveis), nesse processo de aprendizado. Também precisam sentir a tristeza para só então valorizar a alegria. Portanto, cabe a nós permitir que nossos filhos caiam, mas precisamos estar sempre por perto para lembrá-los de que eles podem e devem se levantar.

2. Autoritários

O autoritarismo está bem longe do amor, por mais que os pais tentem oferecer o melhor cuidado aos filhos, se abusarem de sua autoridade como pais, irão somente afastar os filhos deles.

A educação é para ser ensinada e não imposta; se os pais não educarem com amor, os filhos só irão temê-los, ao invés de respeitá-los. O respeito é parceiro inseparável do amor, enquanto que o autoritarismo é parceiro do medo.

Advertisement

3. Negligentes

Os pais negligentes são aqueles que fogem de suas responsabilidades de pais. Eles acreditam que os parentes, a escola ou a igreja são responsáveis pela educação e cuidado de seus filhos. Além de serem irresponsáveis, são também egoístas, não se importam com as necessidades e bem-estar dos filhos, apenas com suas próprias vidas.

É importante lembrar que a educação começa dentro das paredes do lar, casa dos parentes, amigos, escola ou igreja é apenas o complemento, o principal, cabe aos pais ensinar.

4. Críticos

Se para os adultos é difícil lidar com as críticas, imagina como deve ser para uma criança, quando essa é criticada todos os dias por seus pais. Infelizmente, muitos pais acreditam que se forem duros e críticos, farão de seus filhos “homens fortes”.

O único meio de tornar uma criança em um adulto forte é através do amor. Expressar e enaltecer suas virtudes só irá aumentar suas qualidades.

5. Tímidos

Os pais tímidos são aqueles que por despreparo ou vergonha não conseguem lidar com assuntos específicos como sexualidade, drogas e muitas outras coisas que os filhos precisam aprender pelos pais e não por estranhos. Os pais querem o melhor para seus filhos, já um estranho pode não ter uma boa intenção.

Vivemos numa época que se aprende quase tudo em questões de segundos, devido aos meios de comunicação e profissionais especializados nos assuntos. Buscar ajuda com pesquisas e especialistas pode ser um ótimo passo para os pais estarem preparados quando surgir oportunidade de falar e esclarecer assuntos importantes para os filhos.

6. Agressivos

A agressividade nunca tornou uma criança num adulto bondoso, corajoso e amoroso, ao contrário disso, ela a torna um “nada”. Corrigir um filho é diferente de espancá-lo, como muitos pais o fazem. A violência verbal ou física aos filhos debilita sua confiança e autoestima, destrói todos os sonhos deles e os diminui.

Os pais que usam de violência estão aleijando os filhos na alma para toda vida, esses pais não são dignos de sua família e devem ser denunciados.

7. Ausentes

Enganam-se os pais que acreditam que o sacrifício de trabalhar dia e noite e até finais de semana é a fórmula para a felicidade e bem-estar da família. Claro, filhos possuem necessidades básicas de alimento, vestimenta e outras coisas, porém, há uma necessidade que dinheiro nenhum pode suprir, a presença dos pais na vida deles e essa começa na infância e dura por toda vida.

Os filhos crescem e casam-se, adquirem suas próprias famílias, no entanto, os conselhos e apoio de pais bondosos e amorosos tornam-se laços eternos. Eles nunca deixam de ser filhos e nós nunca deixamos de ser pais, ambos possuem chamados eternos.

Advertisement

Lembre-se que a infância é apenas uma etapa e a mais importante na vida dos filhos. Ali forma-se o caráter deles e suas prioridades. Se você quer ser prioridade na vida adulta dos seus filhos, faça da infância deles sua prioridade.

Toma un momento para compartir …

Roberta Preto

Roberta Preto, 33. Formada como tradutora e intérprete, escritora, mãe. Apaixonada pela vida, em uma eterna busca por conhecimento. Espero que minhas palavras possam ser uma luz na vida das pessoas. Sonho em ajudar a humanidade a tornar-se livre da escravidão da ignorância.