7 pecados mortais em um relacionamento

O conhecimento é a alavanca da mudança, conhecer ações que prejudicam seu relacionamento é a forma mais rápida e eficaz de evitá-las.


Suely Buriasco

Todo casamento tem suas alegrias e tristezas, isso é comum nos relacionamentos, o que faz a diferença é a maneira como os cônjuges lidam com isso, as prioridades que dão e o quanto são comprometidos.

Leia: 7 características comuns nos casamentos felizes

Buscar conhecimento é uma ação inteligente que, muitas vezes, proporciona a inspiração que os cônjuges precisam para manter seu relacionamento sadio. Nesse sentido, conhecer algumas ações totalmente desaconselháveis pode ser um diferencial importante.

Vamos a algumas:

1- Cultivar ressentimento

Esse é um sentimento venenoso com ação contínua e silenciosa, muitas vezes você nem percebe quanta mágoa guarda até que um dia você “explode” e traz à tona situações mal resolvidas de muito tempo atrás que, certamente, surpreenderão também o seu cônjuge. O ressentimento precisa ser resolvido assim que detectado, primeiro porque mágoa só traz sofrimento, segundo porque esse sentimento se transforma em desprezo que é fatal no relacionamento.

2- Perder o controle do ciúme

Pessoas excessivamente ciumentas têm grande dificuldade em controlar os seus impulsos, suas reações costumam ser impensadas e depois causam grande arrependimento. Quando o ciúme se transforma numa necessidade de controlar o cônjuge, provoca brigas desnecessárias e causa sofrimento para ambos. Ciúme descontrolado revela grave problema de insegurança, sendo recomendável buscar ajuda profissional.

Leia: Ciúme exagerado: 5 conselhos simples que ajudam

Advertisement

3- Criar expectativas irreais

Quase sempre os cônjuges alimentam grande expectativa entre si, o que é garantia de muitas decepções através do tempo. Nem você, nem seu cônjuge são perfeitos e não se pode exigir o que o outro não pode dar. Pior ainda quando não se diz claramente o que se quer e espera ser atendido(a). Eu costumo dizer aos meus clientes que amor não tem nada a ver com bola de cristal.

4- Não priorizar o tempo juntos

A relação perde o viço quando deixa de ser prioridade para os cônjuges, este problema acontece muito quando os filhos chegam, mas também é comum que se gaste tanto tempo com o trabalho que não sobre nada para desfrutar com o cônjuge. Casais que não cultivam o hábito de ficar sozinhos acabam se afastando.

5- Falta de comunicação

Quando a comunicação do casal é ineficaz todos os problemas se avolumam e os conflitos eclodem. Falar sobre as necessidades, desejos e sentimentos é essencial para a harmonia do casal, mas é preciso saber falar com clareza e afetividade, sem brigas ou cobranças. Não se esquecendo que uma boa comunicação acontece quando se está disposto também a ouvir e compreender o outro.

6- Não valorizar o cônjuge

Pequenos gestos de reconhecimento são importantes para que o cônjuge se sinta reconhecido e motivado em seus esforços. A gratidão é alavanca importante para a saúde do relacionamento, provocando grande satisfação. Todo mundo gosta de sentir que agrada e que é reconhecido por isso. Portanto, um simples “obrigado”, um elogio, um abraço fazem prodígios na relação.

7- Falta de afeto

O amor, bem como a sua demonstração são o tônus vital do casamento. Um casamento sem afeto anda à deriva e pode sucumbir a qualquer momento. Por isso não se pode acreditar que os sentimentos são óbvios para o cônjuge, ser afetuoso todos os dias é uma forma segura de manter a relação viçosa e feliz.

Esses são sete erros graves que podem ser facilmente evitados, basta que os cônjuges se coloquem atentos e priorizem a vida a dois.

Leia também: 10 pequenas coisas que tornam o seu relacionamento superforte

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.