7 ingredientes no relacionamento que são como fermento estragado, fazem a relação desandar

Temos a tendência de minimizar a gravidade de determinadas "manias" no relacionamento. Saiba que qualquer dose desses ingredientes estragarão de vez a receita de um namoro ou casamento feliz.

Erika Strassburger

Você, principalmente se for mulher, já deve ter passado pela decepção de ver seu delicioso e aparentemente lindo bolo, que parecia estar crescendo tão bem, abatumar de repente. O que aconteceu? O fermento estava vencido? Algum ingrediente estragado? É uma pena, uma frustração total, ter de jogar tudo fora, não é?

Da mesma forma – e, obviamente, não na mesma intensidade – ficamos tristes, e até chocados, quando ficamos sabendo que aquele relacionamento, que parecia um exemplo de união e felicidade, acabou desandando. “Como assim? O que aconteceu para não ter dado certo?”, é o que todos se perguntam. E quando acontece conosco, ficamos inconsoláveis.

Algumas doses de determinados ingredientes, que inicialmente podem parecer incríveis ou inofensivos, fazem desandar qualquer relacionamento em pouco tempo, até mesmo aquele que tem tudo para dar certo.

Veja quais ingredientes destrutivos são esses e mantenha-os LONGE da sua receita de relacionamento feliz.

1. Aquele ciuminho fofo

Muitas pessoas acham fofo doses homeopáticas de ciúme no relacionamento. “Olha como ele gosta de mim!”, pode pensar a moça. “Sou insubstituível”, deve pensar o rapaz. No início pode parecer fofo, e até engraçado, mas com o passar do tempo, se não for colocado um freio, muitos ciúmes tornam-se o principal inferno da relação. Leva à desconfiança, brigas, podendo chegar à violência e morte. Para evitar destruir sua relação, elimine esse ingrediente destrutivo.

Advertisement

2. Aquela mentirinha inofensiva

Dizem por aí que uma mentirinha não faz mal a ninguém. Mentira! Toda mentira é prejudicial, principalmente em um relacionamento conjugal. Aliás, se vocês ainda estão namorando e você já pegou-o(a) mentindo algumas vezes, saiba que isso não vai parar depois que estiverem casados. Muito pelo contrário, tende a se agravar.

3. Aquele choppinho de cada dia

Há vícios que são percebidos facilmente, como beber e fumar. Outros acabam se revelando com o tempo, como os vícios em pornografia ou em jogos. Todo vício, independentemente de qual seja, causa muito dano, tanto para a própria pessoa quanto para todos à sua volta.

Ter um vício indica que a pessoa não tem domínio sobre o próprio corpo e mente. Essa falta de autocontrole é um ingrediente que destrói qualquer receita de boa convivência.

4. Aquela maniazinha de se colocar em primeiro lugar

Ficamos felizes em ter ao nosso lado alguém com uma autoestima elevada, que se cuida e luta pela própria felicidade. O que nos deixa chateados é a pessoa colocar-se sempre em primeiro lugar, deixando os restos para aquele que diz amar. O egoísmo é um dos piores ingredientes. Não tem como uma relação evoluir se não for abolido completamente.

Leia: 5 atitudes egoístas que precisam ser abolidas do casamento

Advertisement

5. Aquele “não posso viver sem você” lisonjeante

Quem neste mundo não quer se sentir amado e necessário na vida da pessoa que ama? O problema é quando a pessoa amada leva a frase acima ao pé da letra. Assim com o ciuminho, o apego exagerado parece fofo no início. Com o tempo se torna sufocante e insuportável.

Além disso, há pessoas tão apegadas emocionalmente, que são capazes ferir, inclusive de matar (principalmente se houver intolerância à frustração e outras variáveis relacionadas), a qualquer indício de que serão abandonadas. O apego excessivo é um ingrediente que não faz bem a qualquer relação.

6. Aquele “eu e você, você e eu” encantador

É incrível ter uma pessoa com quem dividir a vida, companheira para todos os momentos. Mas a vida é feita de também outros momentos, além dos relacionados à vida a dois. Há momentos em que você quer estar com seus pais, com seus irmãos, familiares e amigos. Se a pessoa ao seu lado tentar privá-lo(a) da companhia das pessoas que você gosta, ou pior, obriga você a ficar apenas com ela, aí está um ingrediente que vai fazer sua “receita” desandar antes mesmo de ir para o “forno”.

7. Aquela disposição altruísta de aceitar tudo e ceder sempre

É muito lindo ver o altruísmo em ação no relacionamento, ser capaz de abrir mão de uma vontade ou desejo em prol daquele que ama. Isso santifica o ser humano. O problema está em abrir mão de coisas importantes, e até fundamentais, para contentar a pessoa amada ou para não contrariá-la.

Muitas pessoas rebaixam seus padrões de comportamento, linguajar ou vestimenta, abrem mão de uma carreira, desistem de ter filhos, abandonam sua fé para se tornarem a “companhia perfeita” para seus namorados e cônjuges. Chutam seus valores para escanteio, perdem a individualidade. Isso gera desrespeito e aniquila o amor-próprio.

Advertisement

Assim que perceber qualquer desses comportamentos, corte imediatamente o mal pela raiz. É imprescindível estabelecer regras claras e invioláveis para um convívio saudável.

Se vocês ainda não são casados, dê um tempo considerável, antes de se casar, para constatar que as devidas mudanças aconteceram. Se nada mudou, minha sugestão é que parta para outra.

Há casos em que tais atitudes são apenas reflexo da personalidade da pessoa. Em casos assim, é importante considerar seriamente a busca de ajuda psicológica ou psiquiátrica (para o outro ou para você). Há situações que, com um bom acompanhamento e terapias, podem ser resolvidas ou amenizadas.

Leia também: Amor ou vício? Quando o amor e carência excessivos não passam de dependência emocional

Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.