7 dicas eficazes de dominar o ciúme antes que ele domine você

Essas dicas vão ajudar você a vencer esse "demônio" interior que está acabando com sua autoestima e paz de espírito.

Erika Strassburger

Os especialistas, em geral, afirmam que é normal sentirmos um pouco de ciúme das pessoas que amamos, sejam elas nossos pais, cônjuge ou namorado(a),  filhos, irmãos e até mesmo amigos. Embora tenha origem na insegurança e no egoísmo, esse ciúme dito “normal” é aceitável e faz e parte do cuidado que damos a um relacionamento que é importante para nós. É uma forma de proteger as pessoas que amamos. Além disso, de acordo com o psiquiatra Paulo Belmonte de Abreu, chefe do departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da UFRGS, ele “cumpre um papel importante no amadurecimento emocional, pois faz parte do processo de formação e manutenção dos vínculos afetivos”.

Níveis de ciúmes

De acordo com um artigo publicado no site Psicologado, o ciúme, segundo diversos autores, pode ser classificado em três níveis:

Normal

Ocorre quando, eventualmente, por uma situação real – ou seja, a pessoa amada “dá motivo” para o ciúme – a pessoa se sente excluída da relação de alguma forma, ou se sente ameaçada de exclusão.

Neurótico

Neste nível de ciúme, a pessoa se sente constantemente angustiada, insegura em relação ao outro e a si mesma, e tem a sensação de que o relacionamento pode acabar a qualquer momento. Ela precisa se certificar de que não está sendo traída, mesmo que o parceiro não lhe dê motivos. Ela sabe que seu ciúme é exagerado, ainda assim, não consegue controlá-lo.

Delirante ou Paranoico

É o tipo mais grave de ciúme. A pessoa não apenas acha que pode estar sendo traída, mas, sem nenhum fundamento, tem certeza de que isso está acontecendo e de que será abandonada. Ela é dominada por pensamento delirante, travando uma grande batalha interna.

Advertisement

Ciúmes que requerem atenção

Tanto o ciúme neurótico quanto o delirante são considerados patológicos. O ciumento trata a pessoa amada como  posse, tentar exercer controle sobre seus sentimentos e atitudes, age de forma inaceitável, podendo usar de violência como forma de controle. Além disso, apresenta autoestima baixíssima e altos níveis de insegurança. Ambos requerem acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Antes que seu ciúme “normal” avance de nível, coloque em prática as dicas abaixo. São formas de dominá-lo antes que ele domine completamente você.

1. Trabalhe a autoestima

A principal razão para uma pessoa sentir ciúme é a insegurança em relação a si mesma. Talvez ela não se ache tão bonita, atraente (ou até inteligente) quanto se achava antes, ou quanto aquela pessoa para quem o parceiro dá uma atenção especial. E a melhor forma de resolver isso, antes que se agrave, é ela internalizar que é, sim, uma pessoa bonita e atraente, e que se o parceiro ainda está com ela é  porque consegue enxergar essas qualidades que ela tenta ofuscar.

Outras maneira eficaz de aumentar a autoestima é praticando exercícios físicos. Além de melhorar a saúde, eles são capazes de ajudá-la a ter uma imagem melhor de si mesma.

Você também pode recorrer a tratamentos, como os dentários ou dermatológicos, por exemplo, que poderão ajudá-la a melhorar em alguns aspectos.

Advertisement

2. Ocupe seu tempo e sua mente

Sabe aquela velha máxima, “mente vazia, oficina do diabo”? Nada é tão real quanto isso. Quando você está ociosa, tem mais tempo para imaginar coisas. Quando ocupa seu tempo e mente com algo produtivo, o tempo passa mais rápido e você se sente realizada e feliz por ter feito algo bom. Portanto, se lhe sobrar tempo depois dos trabalhos rotineiros, depois de se dedicar à relação, use-o lendo bons livros, escrevendo, participando de obras de caridade, pintando, fazendo um curso de línguas ou qualquer outra coisa de seu interesse.

3. Busque a cura na fé

A fé opera grandes milagres, pode acreditar! Portanto, coloque diante de Deus esse fardo pesado que você leva, pedindo que Ele o tire de você. Ore sinceramente, explicando a Deus como você se sente, como sua mente, seu coração e seu relacionamento estão sendo afetados por esse ciúme. Leia muito as escrituras sagradas, buscando conforto e respostas. Faça orações e jejum. São armas poderosas para destruir esse sentimento traiçoeiro.

4.  Analise bem a situação

As pessoas costumam tirar conclusões precipitadas daquilo que veem. E, como dizem por aí, nossos olhos podem nos enganar. Então, em vez de ficar chorando pelos cantos, achando que foi traída e que será abandonada, você precisa investigar melhor, tentar enxergar todo o panorama. Mas não deixe isso virar obsessão. O passo seguinte é essencial para concluir essa análise.

5. Mantenha o canal de comunicação aberto

A pessoa enciumada que desconfia de uma traição tende a tratar mal o parceiro, ficar emburrada pelos cantos e cortar a comunicação. A chave é justamente o contrário. É chamar o outro para conversar e expressar seus sentimentos, sem qualquer acusação. As acusações porão tudo a perder.

Quanto mais o casal conversar, sobre tudo – a desconfiança em si, trabalho, faculdade, amigos, família, preferências, esporte, política, notícias em geral – maior será o vínculo afetivo entre os dois.

Advertisement

Dependendo do resultado da conversa que tiverem sobre as razões do seu ciúme e desconfiança , vá imediatamente para o ponto seguinte, ou então para o último ponto.

6. Dê um voto de confiança

Se depois da conversa você perceber que foi tudo coisa da sua cabeça, dê a ele um voto de confiança. Assim como você se sente digna de confiança, ele sente-se também. A confiança é essencial para a felicidade a dois. Neste ponto, vocês podem definir o que é aceitável ou não em se tratando do nosso relacionamento com outras pessoas. Por exemplo, vocês podem acordar que nenhum dos dois ficará a sós com alguém do sexo oposto em situações de risco, ou que não deve haver muita proximidade física com o outros, ou que não vão trocar mensagem no privado, e outras coisas do gênero.

Ao fazerem isso, você vai tirar um peso dos ombros. Você se sentirá segura por ter esse acordo e menos propensa a sentir ciúme.

7. Não mendigue amor

Algo essencial para se livrar do ciúme é sentir-se segura em seu relacionamento. Então, se na conversa que tiverem ele revelar que está envolvido físcia ou emocionalmente com alguém, é hora de dar um destino definitivo à relação. Isso não pode ser adiado. Se ainda há chances de salvá-la, tracem juntos um plano efetivo para recuperar o amor e a confiança. O artigo abaixo poderá ajudar.

Leia: 5 ações para evitar um divórcio e outras considerações

Advertisement

Mas se você perceber que não há mais amor nem interesse da parte dele, não force as coisas. Além de não funcionar, isso arrasará com sua autoestima. O máximo que você pode fazer é dar um prazo para ele pensar. E se for feito isso, esse prazo precisa ser cumprido. Pode ser de um dia ou de uma semana. Esse prazo pode ser benéfico quando o outro tem dúvida sobre seus sentimentos. Ele terá tempo para analisar os prós e os contras do término do relacionamento e avaliar melhor seus sentimentos.

Senão, aceite a perda e saia do relacionamento de cabeça erguida. Você obviamente irá sofrer por um tempo, mas vai acabar se recuperando. O tempo é um santo remédio! Permanecer em um relacionamento em que você não é amada nem respeitada só agravará seu ciúme e destruirá de vez sua paz de espírito.

Como já foi dito, se o seu ciúme é sem fundamento, incontrolável e obsessivo, não demore para buscar ajuda psicológica ou psiquiátrica. Uma terapia adequada poderá lhe dar uma nova vida.

Leia também: 21 dicas infalíveis para descomplicar uma relação amorosa    

Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.