6 mitos sobre a sexualidade feminina que está matando sua vida sexual

Você precisa parar de acreditar nestes mitos! Eles estão envenenando a sua vida sexual.


Melinda Fox

Talvez estejamos presos em uma espécie de Era Vitoriana em relação à sexualidade feminina, pois há algumas ideias falsas sobre a mulher e o sexo que se recusam a expirar. Acreditar nelas pode ser prejudicial à sua saúde mental e à vida sexual.

Aqui estão seis mitos sobre os quais a sociedade continua discutindo, e você pode jogá-los no lixo:

1. As mulheres querem sexo menos que os homens

Por alguma razão, o mito de que os homens são loucos por sexo enquanto as mulheres não gostam muito, ainda está vivo. No entanto, foi repetidamente comprovado que é falso. As mulheres pensam em sexo tanto quanto os homens (e até mais, em alguns estudos), e gostam de sexo. Você é uma mulher normal se ama sexo, e mesmo se não ama. Saiba que você não é biologicamente predeterminada a não gostar de sexo devido a seu gênero; encontre algo que funcione para você.

Leia: 4 componentes para um sexo incrível e saudável no casamento

2. É responsabilidade do homem fazê-la atingir o clímax

Se deseja ter um sexo satisfatório, você precisa assumir o controle de si mesma. Você não pode esperar que seu marido saiba como satisfazê-la. Conheça seu próprio corpo e diga a ele o que você gosta.

3. As mulheres não ficam viciadas em pornografia

A pornografia é tão viciante quanto as drogas pesadas e produz os mesmos efeitos nocivos no cérebro. Por alguma razão, nossa cultura decidiu que os homens amam pornografia e as mulheres estão imunes. Essa crença, contudo, é falsa e pode causar danos às mulheres que caíram na armadilha tóxica da pornografia. Elas podem achar desafiador encontrar a ajuda que precisam. Como uma mulher declarou: “Eu não procurei ajuda para o meu vício porque me senti como uma aberração da natureza, porque tinha certeza de que eu era a ÚNICA mulher lutando contra uma doença de homem.”

A pornografia NÃO é normal para homem nem para mulher.

Advertisement

4. Não devemos falar sobre isso

Conversas sobre sexo são consideradas como uma espécie de gafe. Enquanto, definitivamente, há linhas que você não pode cruzar, porque o sexo é algo íntimo entre você e seu cônjuge, deveríamos criar uma cultura de ter conversas saudáveis sobre o tema. Falar mais abertamente sobre sexo poderá evitar que as crianças acabem buscando informações em fontes incultas e inapropriadas, além de parar de cultivar o medo do desconhecido.

Além disso, não há razão para você e seu marido não conversarem regularmente sobre sexo. Comuniquem um ao outro o que gostam ou não. Pode ser estranho, mas isso definitivamente fará seu relacionamento progredir emocional e fisicamente. Casais que conversam sobre sexo gostam mais de sexo, e evitam cair em um casamento sem sexo.

Leia: 5 dicas para falar de sexo com o seu cônjuge

5. Ser bom de cama é algo que acontece naturalmente

Muitas pessoas esperam que o sexo seja ótimo desde o início, mas é uma habilidade que se aprende. Você precisa conhecer seu corpo e o de seu marido, como as coisas funcionam e o que você e ele gostam. Por haver uma curva de aprendizado, está tudo bem se levar algum tempo para o sexo se tornar tão incrível como todo mundo diz ser.

6. Mais sexo irá deixá-la mais feliz

Muitas pessoas acreditam que uma vida repleta de sexo é uma vida feliz. Por exemplo, pesquisadores da Universidade de Carnegie Mellon achavam que se os casais duplicassem a quantidade de sexo que eles estavam fazendo, seriam mais felizes. Essa hipótese caiu por terra. Aumentar a quantidade de sexo que vocês fazem apenas por aumentar não mudará sua satisfação com o relacionamento nem o seu nível global de felicidade. A qualidade do sexo, e do seu relacionamento de maneira geral, é um melhor indicador de felicidade.

Traduzido e adaptado por Erika Strassburger do original 6 myths about female sexuality that are killing your sex life.

Toma un momento para compartir …

Melinda Fox

Melinda Fox é graduada em Inglês. Ela trabalha com o time de conteúdo do FamilyShare.com.