6 coisas a lembrar quando perder um ente querido

A única certeza que temos na vida é a morte. Mas o que fazer quando nos deparamos com a morte de um ente querido?


Mayara Tomie Dourado Taguti

Uma coisa é certa: um dia todos iremos morrer. Pode parecer muito chocante, mas é uma realidade. Podemos até viver tempo suficiente para vermos outras pessoas que amamos irem antes de nós.

Este é um fato que muitas vezes nos assusta, mas podemos (um dia) estar enfrentando exatamente esta situação.

Pensar nela nos entristece e amedronta, mas ainda existe outra possibilidade: de alguém próximo de nós estar passando exatamente por esta situação.

Quem quer que seja que esteja passando por esta situação, não é nada fácil, mas estes seis passos podem ajudar a passar por este período difícil, lembrando daquilo que é mais importante referente à pessoa que nos deixou.

Leia: Superando a perda de entes queridos

1. Coisas que mais gostava

Não existe outro meio de se lembrar de uma pessoa que se ama, se não se lembrar de todas as coisas que fazem parte dela.

Os gostos da pessoa é o que fazem dela um ser especial, e é assim conosco também.

Advertisement

Mas quando se trata da pessoa que nos deixou, nos agarramos a cada mínima lembrança: música favorita, a cor que mais agradava, o perfume predileto, a roupa que mais gostava de usar em casa ou o sapato eleito como o mais bonito ou até mesmo o mais confortável.

2. Momentos marcantes

Sempre há um momento em nossas vidas em que esta pessoa que nos deixou, nos marcou de maneira tão significativa e profunda que ficou impresso de uma maneira forte em nossa memória.

As vezes não é nada de heroico ou que exigisse muita bravura, mas muitas das vezes é uma conversa solta ou um carinho bem-vindo num momento mais que oportuno, fazem toda a diferença.

Palavras e atitudes positivas podem ser o maior presente que a pessoa pode ter nos deixado.

Leia: 6 importantes conselhos para quem perdeu um ente querido

3. Memórias compartilhadas

Cada pessoa tem uma história de vida, e ao conhecer a cada um, acabamos conhecendo um pouquinho das suas origens e de sua jornada. Nossa história e nossas atitudes são reflexo do que nos tornamos.

Essas histórias podem ser uma excelente lembrança da pessoa que nos deixou, pois elas são os motivos pelos quais ela foi como foi e fez o que fez.

Leia: Como é que é? Dicas de como preservar memórias engraçadas

4. Qualidades e defeitos

Todos somos compostos de qualidades e de defeitos, e mesmo que sejam os mesmos nem sempre são na mesma intensidade.

Lembrar de cada um deles e a intensidade que cada um tinha é a melhor forma de se lembrar de como a pessoa realmente era.

Advertisement

5. Sonhos e realizações

Todos almejamos algo na vida, sonhamos e desejamos que esses sonhos e objetivos se realizem. É claro que a pessoa que nos deixou também era constituída de sonhos e desejos que se realizaram ou não.

Lembrar dos momentos de felicidade onde a pessoa realizou cada sonho é cultivar as melhores memórias, mas tente não se apegar as que a pessoa deixou de fazer pelo tempo que não conseguiu viver a mais.

Leia também: Como sobrepujar a morte de um ente querido

6. Desejos

Acredito que se todos tivessem a chance de dizer uma última recomendação a nós antes de partir seria apenas uma: SEJAM FELIZES.

Quando amamos as pessoas de todo o coração, desejamos que elas sigam a vida felizes, mesmo que sem a nossa presença.

Acredito que esse seja o desejo unânime de todos, e deveria ser o maior objetivo dos que ficam, para que as memórias sejam doces com o passar da dor da perda, para que a vida continue repleta de novos começos e novas oportunidades de felicidade.

Quem quer que seja que esteja passando por esta situação, não é nada fácil, mas estes seis passos podem ajudar a passar por este período difícil, lembrando daquilo que é mais importante referente à pessoa que nos deixou.

Toma un momento para compartir …

Mayara Tomie Dourado Taguti

Mayara Taguti é graduada em Direito pela Anhanguera Educadional, ama livros, música e cinema. É professora de inglês básico para alunos de todas as idades e ama o que faz. É curadora social e escritora para o site Familia.com.br.