5 passos para falar sem ferir

Aprender a se comunicar bem é garantia de pacificação e harmonia em todos os tipos de relacionamento. Algumas técnicas facilitam esse aprendizado.


Suely Buriasco

Não são poucas as vezes que uma simples palavra se transforma em grande conflito, pois a maneira como se pronuncia uma frase pode ter efeito devastador. Todo relacionamento, em algum momento, sofre os efeitos da comunicação truncada e a ineficácia na forma de se manifestar provoca grandes desentendimentos.

Leia: A relação conflito e comunicação

Claro que existem coisas que nada acrescentam e, portanto, é melhor nem dizer. Entretanto, muitas situações exigem uma manifestação pontual e, nesse caso, a opção pelo silêncio é muito prejudicial. É preciso procurar uma forma sadia de se comunicar; ouvir e ser ouvido na busca do entendimento.

Em momentos assim, vale observar esse passo a passo:

1- Analise a necessidade de abordar a questão

Conforme o dito popular: “Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. É importante analisar se o assunto é relevante e merece ser abordado. Pense nas consequências e avalie se existe real necessidade de falar e só vá para o próximo passo se você estiver certo(a) que sim.

2-Faça observações e não críticas

Quando a pessoa se sente criticada tende a se defender e, normalmente, vai responder de maneira ríspida, a partir disso o conflito pode ser desencadeado. Mas quando o tom é de observação você inspira uma reflexão e a pessoa pode mudar a sua ação.

Exemplo

Observação: “Da minha mesa posso ouvir sua música enquanto trabalha”.

Advertisement

Crítica: “No trabalho não é lugar de ouvir música”.

Leia: Você é um pacificador ou um criador de contenda? Seu exemplo está sendo observado

3- Manifeste seus sentimentos

Quando você fala do que sente em relação ao que observa, convida o outro a ser solidário com a sua causa. Isso é muito importante, porque na maioria das vezes, as pessoas não agem para nos incomodar ou ofender, elas simplesmente não sabem que estão causando isso em você. Fale de seus sentimentos de forma clara e amigável, completando a sua fala.

Exemplo

“Da minha mesa posso ouvir sua música enquanto trabalha, tenho grande dificuldade em me concentrar assim”.

4- Faça pedidos

O próximo passo é falar de suas necessidades. Tenha em mente que a simpatia abre portas e a empatia escancara portões. Assim manifeste suas necessidades de maneira empática e gentil; falar sorrindo é uma dica muito boa. Mas não se esqueça que a sinceridade é fundamental também para a eficácia da comunicação.

Exemplo

“Da minha mesa posso ouvir sua música enquanto trabalha, tenho grande dificuldade em me concentrar assim, tudo bem se você usar um fone?”.

5- Ouça e promova o entendimento

Ainda de forma empática, demonstre atenção ao que a outra pessoa diz e se disponha a compreender o lado dela. Pode ser que ela esteja com tantos problemas que só a música afasta os pensamentos para conseguir trabalhar; pode ser que ela simplesmente goste de música e assim por diante, pois, as possibilidades humanas são incontáveis. Você só vai entender se tiver disposição para ouvir, certo? Então você precisa dar um tempo para que a pessoa processe a sua fala e emita uma resposta. O mais comum é que ela se desculpe e acate o seu pedido, mas caso isso não aconteça, pergunte a ela como vocês podem fazer para que tenham uma boa convivência.

O exemplo acima pode ser usado em qualquer tipo de dificuldade em todos os relacionamentos.

Leia também: Aprendendo a se comunicar melhor: 10 dicas para ser mais assertivo

Aprendendo a se comunicar melhor, os conflitos se dissipam antes de tomarem proporções maiores, pois as pessoas começam a considerar o outro e suas necessidades. Isso provoca o entendimento necessário!

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.