5 maneiras que mães estão ensinando a suas filhas hábitos alimentares não saudáveis

Além de passar o biótipo genético a suas filhas como cor dos olhos, da pele, cabelos, etc., as mães também passam outras coisas para as filhas - ainda que inconscientemente.

Stael Ferreira Pedrosa

Em setembro de 2014 aconteceu em Nova York a Cúpula “Modelando o papel da mãe para a filha”. Esta apresentação foi organizada para explorar o impacto do modelo comportamental e a crucial ligação entre mães, filhas, alimentação e saúde.

Foi a primeira vez que um estudo desse tipo foi feito e as conclusões da cúpula foram que além de passar o biótipo genético a suas filhas como cor dos olhos, da pele, cabelos, etc., as mães também passam padrões de comportamento, hábitos alimentares e visão de si mesma mais do que percebem, o que evidencia o conceito: a filha vê, a filha faz.

O estudo concluiu também que as preferências alimentares das crianças são mais fortemente correlacionadas à mãe do que ao pai. O que pode ser muito bom ou muito ruim dependendo do que a mãe está modelando para a filha, o que vai depender de como a mãe vê a si mesma e da consciência que ela tem dessa influência sobre as filhas.

Resumindo os achados da cúpula, pode-se dizer que as filhas se tornam aquilo que suas mães são. Segundo Leann Birch, PhD, e professor de estudos sobre o desenvolvimento humano e familiar da Universidade da Pensilvânia:

“A conclusão é que, se uma mãe quer que sua filha coma alimentos nutritivos, não tome refrigerantes açucarados e evite dietas da moda, ela precisa fazer o mesmo”.

Advertisement

Baseado no que foi dito até aqui, conclui-se que as mães ensinam hábitos não saudáveis a suas filhas ao agirem como descrito:

1. Preocupação excessiva com o peso

A mãe que vive reclamando do próprio peso, que se preocupa em contar as calorias de tudo que come, está dizendo à sua filha que ela deve fazer o mesmo. E se a mãe se sente desvalorizada por estar acima do peso, sua filha vai sentir o mesmo por sua vez. Ao invés disso, procure ter um peso saudável de acordo com sua idade e constituição física. Esqueça as medidas das modelos de passarelas. Isso ajudará suas filhas a se aceitarem como são.

2. Compras de supermercado

Se você quer que suas filhas (e filhos) se alimentem bem, preste atenção ao que você está comprando. Não adianta brigar para as crianças comerem comida saudável e encher o carrinho do supermercado de biscoitos açucarados e cheios de gordura hidrogenada, chips e outros “porcaritos”, bolos industrializados, pipoca transgênica, óleos feitos sabe-se lá de quê.

Coloque no carrinho legumes, verduras, frutas – de preferência orgânicos e da estação, cereais integrais, carnes, laticínios saudáveis como leite, queijo e iogurte natural (se não puder passar sem eles), ovos, enfim, comida de verdade. E seus filhos comerão comida de verdade.

Leia: Como inserir legumes na alimentação das crianças

Advertisement

3. O que você come

Como dito anteriormente, filha vê, filha faz. Se você come um X-tudo no almoço, dificilmente sua filha se contentará com um prato de salada. Refrigerante para a mãe e suco de fruta ou água para a filha não funcionará. Seja o exemplo da alimentação que você deseja que seus filhos comam.

Na contramão da permissividade alimentar, está a vigilância em tudo que seus filhos irão comer, o que pode causar ansiedade e angústia no momento das refeições. Apenas cozinhe alimentos saudáveis, coma-os com satisfação e seus filhos farão o mesmo, não precisa ser restritiva ou fazer pressão.

Leia: 10 alimentos saudáveis que você deve inserir na alimentação de sua família

4. Seus hábitos gerais

Se você se preocupa muito com o que come e com o que os seus filhos comem, mas não se preocupa com outras fontes de problemas à saúde como o hábito de fumar, usar álcool e outras substâncias nocivas, seu discurso poderá soar vazio. A boa saúde que você modela para seus filhos deve incluir evitar substâncias nocivas, tabaco e fazer exercícios regularmente.

5. Falta de rotina

Com a saída da mãe para o mercado de trabalho, ficou um pouco mais difícil modelar cada comportamento e hábito dos filhos. Geralmente vão comer aquilo que lhes é oferecido pelos cuidadores ou na creche. Mesmo assim as mães devem tentar estabelecer ao menos uma refeição em família a cada dia. Você estará garantindo que pelo menos uma das refeições da família seja saudável e modelando também o bom hábito da família se reunir à mesa para as refeições e conversarem descontraidamente sobre seu dia. Esse não é um horário para críticas, solucionar problemas ou para usar o celular.

Advertisement

Leia: Não existem mães perfeitas, mas, existem muitas maneiras de ser uma boa mãe

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.