10 dicas para ser bom pai de uma menina

Criar meninas é um desafio para os homens. Saiba como agir para fazer de sua filha um adulto maravilhoso.


Fernanda Ferrari Trida

Nossos bebês nascem indefesos e ingênuos, dependendo totalmente de nossos cuidados. À medida que vão crescendo, passam a demonstrar as peculiaridades ligadas ao sexo e a sua personalidade. Meninos tendem a ser mais inquietos e um tanto brutos no tocar e no agir. Já as meninas se mostram mais sensíveis, podem ser acalmadas com mais facilidade e são mais sociáveis.

Todas as diferenças biológicas entre meninos e meninas podem ser amenizadas ou fortalecidas pelo comportamento dos pais e de todo o ambiente. Afinal, a criança é como uma tela em branco que irá adquirir as cores com que as pintarmos.

Há bons livros para ajudar os pais e mães a serem cada vez melhores no trato com suas filhas que funcionam como uma espécie de dicionário que esclarece quaisquer dúvidas que venhamos a ter com relação à criação de nossas bebezinhas, menininhas e mocinhas. De qualquer forma, espero que este artigo seja útil para o papai que se encontra inseguro sobre a criação de sua filha.

1. Exerça sua autoridade

As meninas têm um jeito todo especial de pedir o que querem a seus pais. Estes “se derretem” e realizam todos os seus desejos. Agir assim não vai fazer de sua filha um adulto equilibrado e capaz de enfrentar o mundo. Dizer “não” quando couber e “sim” se o pedido for cabível é papel do pai e da mãe. Basta explicar o porquê de sua atitude.

2. Aceite o “não” da criança

Se você pode dizer “não” a sua filha, também deve permitir que ela o faça. Por exemplo, se ela não quiser vestir determinada blusa ou não quiser cumprimentar uma pessoa com a qual não tem empatia. Ela deve ter essa liberdade, mas se algum “não” dela for incabível para você, não a repreenda, apenas explique suas razões para discordar. Isso gera liberdade no relacionamento de vocês e quando ela for adolescente e tiver seu primeiro namoradinho, vai se sentir a vontade para lhe fazer perguntas e contar como está se sentindo.

3. Ajude sua filha no momento em que ela precisar se desligar da mãe

Tanto meninas quanto meninos precisam, em algum momento de suas vidas, abandonar a relação estreita com suas mães e passar a desenvolver sua própria personalidade. Essa separação ocorre mais cedo para o sexo masculino do que para o feminino e a criança precisa saber que a independência da mãe não a deixará desamparada e é parte de seu crescimento. Portanto, a presença do pai se faz de uma importância sem igual, já que ele deverá cercá-la de cuidados e atenção para facilitar esse processo. Esse processo ocorre normalmente e é importante que, como pai, você não faça-a transferir a dependência para você, mas aprender a ser autossuficiente emocionalmente.

4. Você é o exemplo

Tenha em mente que tudo o que você fizer e disser afetará a personalidade de sua filha. Ela, assim como qualquer criança, aprende através dos exemplos vindos das pessoas em quem confia. Se houver violência doméstica, ela vai aprender que isso é normal; se houver animosidade entre os parentes, ela achará que pode destratá-los também, e assim por diante. Procure fazer de sua filha uma pessoa melhor que você. Não será a escola, amigos, avós ou professores os responsáveis por isso, mas sim o pai e a mãe.

Advertisement

5. Ouça desde sempre

De acordo com dados científicos, 50% das meninas de 16 meses entendem 206 palavras. Enquanto que o mesmo percentual de meninos entende somente 134. Aos 18 meses de idade, elas têm um vocabulário de 56 palavras e eles de apenas 28. Somente aos 20 meses, a maioria dos meninos se iguala às meninas.

Mas o que quero dizer com isso? Que as meninas falam e prestam atenção em muito mais coisas do que os meninos, desde que nascem. Assim, o pai precisa saber ouvir. Não impeça sua filha de se expressar, de se abrir com você, mesmo que ela esteja falando somente sobre o que sua boneca fez durante o dia.

Mais para frente, ela também vai se sentir segura para falar com você sobre o que suas amigas adolescentes e ela fazem quando saem sozinhas. Uma relação assim é construída com o tempo, mas precisa ser iniciada o quanto antes na vida da criança.

6. Brinque com sua filha

Não é por ser do sexo feminino que sua filha não gosta de correr, pular, jogar bola, andar de bicicleta, brincar com barro e areia ou se lambuzar de tinta ao pintar um quadro. Essas são atividades que o pai pode propor. Momentos de interação entre pai e filha, que envolvem atividades lúdicas, são ótimos para fortalecer os laços entre eles. Mas se sua filha quiser brincar de boneca com você, por que não se divertir também? Deixe o machismo de lado, pois não há nada de errado em fazer isso.

7. Proteja sua filha

A melhor maneira de proteger sua filha é ensiná-la a confiar em seu próprio valor. Ajude sua menina a se considerar uma pessoa corajosa, independente, capaz e dona de seus sentimentos e de seu corpo. Assim, ela poderá desbravar o mundo sem se submeter ao que fere sua personalidade e suas crenças. Se uma menina se sentir sempre amada e respeitada por seu pai, conseguirá trilhar seu caminho sem arrependimento ou auto-repreensão. Enfim, ela será um adulto completo.

8. Ensine sua filha que mulheres não são fracas

Esse ensinamento deve se iniciar logo cedo na vida da criança. Incentive sua filha a alcançar seus objetivos: se ela pedir um brinquedo, diga que ela consegue ir buscar; se quiser colocar um sapatinho, diga que tente antes de se oferecer para calçá-lo. Mas lembre-se: atente sempre para as limitações relacionadas à idade e não force uma situação que a criança não está pronta para encarar, pois em vez de incentivá-la, você estará reafirmando que ela é incapaz de fazer qualquer coisa sem a sua ajuda.

9. Deixe o ciúme de lado

Você é pai, mas também deve ser amigo de sua filha. Não a repreenda quando ela lhe contar algo que você não quer ouvir. Se ela lhe falar de seu interesse recente por meninos é porque está crescendo e precisa entender como agir diante dessa novidade. Uma pessoa do sexo masculino pode ser fonte de informações valiosas em se tratando de relacionamentos entre meninos e meninas. Respeite os sentimentos de sua filha. Ensine sua mocinha a escolher bem com quem ela se relaciona. O ciúme não te ajudará em absolutamente nada nesta hora, a não ser que você esteja procurando se distanciar para não ter que encarar que as pessoas crescem e seus interesses mudam.

10. Você não é um super-herói

Você é um ser humano como qualquer outro, com suas características peculiares, defeitos, vícios, manias e qualidades. Nunca tente passar uma imagem do que você não é para sua filha. Mostre a ela que você erra e acerta. Todas as mocinhas querem se casar com um príncipe encantado igual a seus pais, não dê a ela expectativas que provavelmente nunca irão se realizar. Ensine que todo mundo, inclusive você e sua esposa, cometem enganos e aprendem com eles. Sua filha crescerá mais segura de si e entenderá que a perfeição é algo utópico.

Toma un momento para compartir …

Fernanda Ferrari Trida

Fernanda Trida é jornalista, médica veterinária, dona de casa, esposa, mãe de Marcela, com três anos, e de João, com um ano de idade.