10 coisas que eu gostaria de saber quando tive meu primeiro filho

Tornar-se pais pode ser um desafio imenso, mas também pode trazer grande contentamento.


Michele Coronetti

Gerar uma vida é um dos maiores presentes da humanidade! Da gestação ao nascimento, mães e pais realmente curtem cada momento, cada novidade, cada movimento do seu bebê. O sentimento de uma mãe ao dar à luz um filho é indescritível!

Depois do nascimento tudo muda, nasce também uma mãe e um pai. A rotina e o foco da vida são alterados igualmente. Muitas coisas que os pais imaginavam antes de ter um filho é modificado pela experiência real. Algumas coisas que eu gostaria de saber antes do meu filho ter nascido:

1. Os primeiros meses são em sua maioria centralizados em suprir necessidades básicas

Trocar fraldas, amamentar, trocar fraldas, preparar alimentos com regras específicas, trocar fraldas, banhar, trocar fraldas, ajudar a adormecer… Bebês são completamente dependentes e necessitam estar limpos e alimentados para sentirem-se bem. Haverá dor, incômodos, reações estranhas, porém o básico mesmo serão as tarefas acima. Estar preparados para estas tarefas exaustivas e repetitivas ajuda a evitar o desânimo.

2. A forma como cuidamos do bebê se reflete no decorrer da vida dele

Cuidar com amor e carinho, demonstrar isso em todos os gestos fará com que o bebê cresça sentindo-se amado e cuidado. Evitar exageros também é importante.

3. O amor sentido por este ser indefeso é imensurável

Estar preparada pra sentir isso é difícil. Pessoalmente não fazia ideia de que o amor pudesse ser tão grande! Manter este sentimento evitando decepções ao longo dos anos é um desafio. Amor é um sentimento complicado e maravilhoso.

4. Pais aprendem muito mais do que ensinam aos filhos

Enquanto filhos crescem e vencem barreiras, pais estão crescendo e aprendendo em conjunto. Algo será aprendido no olhar de agradecimento ou de tristeza da criança, com suas palavras, suas decisões. E a vida continua sempre ensinando a cada instante.

5. Eles não falam, interagem pouco, mas sabem exatamente como os pais se sentem

Especialmente quando os pais estão de mau humor. Enquanto trocam fraldas e pensam que não suportam mais esta tarefa. Quando os deixam em frente da telinha pra fazer outras coisas mais interessantes. Eles sempre sabem.

Advertisement

6. Depois das necessidades básicas, o tempo com eles é o mais importante

Bebês reconhecem e são gratos pela pessoa cujas mãos os protegem e cuidam. Querem retribuir com seu sorriso celestial, tocando o rosto dos pais com suas mãozinhas, requerendo mais um pouco da atenção deles. Se fosse possível umas 12 horas por dia estaria bom.

7. O ambiente familiar é o maior influenciador do comportamento deles

Um ambiente ansioso deixará a criança inquieta. Um ambiente calmo e cheio de amor ajudará imensamente em um bom comportamento.

8. Eles crescem muito mais rápido do que se possa imaginar

Tudo passa muito depressa. Eles deixam as fraldas, as sopinhas, ganham dentes, começam a ir à escola. Estar preparados para não lamentar o tempo perdido é importante.

9. A liberdade de escolha deles deve ser respeitada desde cedo

Eles já nascem com personalidade e estão aqui pra aprender como qualquer outra pessoa. Respeitar a individualidade sem deixar de orientar é um equilíbrio saudável.

10. Princípios vividos no lar desde cedo muito provavelmente estarão presentes na vida futura dos filhos

Quando pais vivem de acordo com o que acreditam, os filhos tendem a viver da mesma forma. Regras éticas ou religiosas relembradas no ambiente familiar pelo preceito e exemplo continuarão ao longo do desenvolvimento das crianças e talvez por toda sua vida.

Leia: A importância de viver por princípios

As agradáveis surpresas que acompanham a paternidade são inesgotáveis. É difícil estar preparado sempre, mas antever um pouquinho do que poderá acontecer ajuda a tornar esta tarefa única em algo mais memorável do que já é.

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.