Como escolher uma profissão?

Veja o que precisa ser feito antes de fazer uma escolha tão importante como esta.

Erika Strassburger

“O que você vai ser quando crescer?” É uma pergunta que todos os meninos e meninas ouvem em algum momento de sua infância. As respostas são dadas, em geral, com rapidez e segurança: “Médico!” “Professora!” “Motorista de caminhão!” “Dentista!” “Astronauta!” As crianças adoram brincar de “gente grande”, principalmente quando o assunto é profissão. O lema é: quanto mais desafiadora e emocionante, melhor.

O tempo passa e as emoções da infância precisam dar lugar à razão. Ao serem questionados sobre seu futuro profissional, na fase da adolescência, os jovens percebem que dar uma resposta concreta não é tão simples assim. É o seu futuro que está em jogo. A dúvida e insegurança imperam, principalmente no último ano do ensino médio. “E se não der certo?” “E se eu não gostar?” “Será que dá dinheiro?” Estes são os seus maiores questionamentos sofre o futuro profissional.

Aliada à pressão de ter que passar no vestibular, ainda há, em alguns casos, aquela velha pressão familiar para que o jovem escolha uma profissão que lhe permita trabalhar na empresa da família, ou para que siga a tradição profissional da família, ou, ainda, para que ele realize os sonhos dos pais. Ao tomar qualquer decisão sob pressão, o risco de cometer um erro é bem grande. Não é raro ver universitários desistindo ou trocando de curso na metade do caminho.

Para evitar desperdício de tempo, de esforços e de dinheiro, aqui vão algumas dicas do que pode ser feito antes de decidir-se por uma carreira profissional:

1) Faça uma autoavaliação

Analise sua personalidade, as coisas que você gosta de fazer e as disciplinas que mais lhe atraem e nas quais você se sai melhor.

Advertisement

2) Faça uma relação das profissões que você admira

Além das que você já conhece e admira, há muitas outras profissões sobre as quais talvez você nunca tenha ouvido falar. Seria interessante conhecê-las. Você pode obter uma lista das profissões existentes no Brasil no Portal do Trabalho e Emprego.

3) Converse com profissionais dessas áreas

Após alistar as profissões que mais lhe atraem, converse com os profissionais sobre os prós e contras destas profissões. Pergunte como está o mercado de trabalho, quais as etapas a serem galgadas até chegar a exercer a profissão de fato e quanto tempo isso pode levar. Alguns profissionais precisam fazer estágios ou começar em funções mais simples até chegar onde desejam. Se desejar, pode informar-se sobre a remuneração.

4) Faça um teste vocacional

Se você desejar, pode fazer mais de um. Há vários sites com testes vocacionais on line. Veja alguns:

Guia do Estudante, Mundo Vestibular, Guia de Carreira.

5) Comece a eliminatória

Depois de conversar com os profissionais e identificar, através dos testes vocacionais, uma ou mais profissões que têm a ver com você, vá eliminando aquelas que você julga estarem mais longe do que você deseja. Por exemplo, uma moça pode admirar a medicina e ter facilidades nas disciplinas relacionadas a essa profissão. No entanto, ao conversar com algumas médicas, ela percebe que essa profissão exige muita disponibilidade de tempo, pois é necessário que se faça plantões noturnos em hospitais. Ela chega à conclusão de que esta carreira pode atrapalhar outros projetos futuros, como a maternidade.

Advertisement

6) Verifique quais universidades oferecem o curso

Ao ter uma ou mais profissões em mente, procure saber quais universidades oferecem o curso, o quanto custa, quais os gastos extras que teria. Se for uma universidade pública e você precisasse mudar de cidade, informe-se sobre o custo de moradia e transporte. Veja a lista de universidades existentes no Brasil. Neste site você encontrará também as faculdades.

7) Não busque só a remuneração

O interessante é escolher uma profissão que lhe satisfaça e, ao mesmo tempo, remunere bem. Não planeje ser rico, planeje ser um bom profissional. Dessa forma, sua ascensão acabará sendo uma consequência natural.

Jovens, informem-se o máximo que puderem sobre os possíveis caminhos a serem trilhados. Ao fazerem sua escolha, vocês terão mais argumentos para apresentarem a seus pais, caso eles estejam fazendo qualquer pressão. Conversem também com seus professores. Eles podem dar muitas orientações.

Pais, em vez de pressionarem seus filhos, orientem-nos em suas escolhas. O apoio de vocês é primordial nessa fase da vida. Mediante tanta insegurança e incerteza, sua atitude pode trazer conforto e segurança. Desejem a felicidade de seus filhos acima de tudo.

Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.