A relação entre desodorantes antitranspirantes e câncer de mama

Estudos explicam qual a relação dos dois.

Stael Ferreira Pedrosa

Algum tempo atrás houve um flood de e-mails e postagens nas redes sociais falando da relação entre os desodorantes antitranspirantes e câncer de mama. Muitas pessoas se abalaram e compartilharam exaustivamente a publicação, o que fez com que muita gente parasse de utilizar desodorantes, inclusive famosos como Cameron Diaz, conforme relatado na foxnews. A publicação viral se baseou em uma pesquisa de 2004 que correlacionaria o desenvolvimento de câncer de mama com os parabenos. Nesse artigo, eram levados em conta os xenoestrogênios fracos, encontrados em desodorantes.

Mas, antes de jogar seus desodorantes fora, melhor ler este artigo até o fim.

Não são muitas as pesquisas sobre o assunto e as poucas que existem se mostraram inconclusivas. O Dr. Manny Alvarez publicou em sua página na internet um estudo sobre o assunto, que foi publicado no Journal of Applied Toxicology. O estudo utilizou quatro amostras de tecido mamário de 40 mulheres que sofreram câncer. Os resultados apresentados fazem pensar a respeito do produto que foi encontrado em todas elas, nas amostras de tecidos e que está presente em 90% dos artigos de higiene pessoal: o parabeno.

De acordo com os relatos dos pesquisadores, o parabeno foi encontrado em 99 por cento das amostras de tecido. Foram encontrados também 5 tipos de parabenos em 60 por cento das amostras. Também se apurou que parte das pacientes tiveram a formação inicial do câncer de mama na área das axilas, enquanto outras não.

O que é o parabeno?

É um composto químico utilizado largamente na indústria como conservante. Principalmente em produtos de higiene pessoal, mas podem ser encontrados em medicamentos e alguns alimentos também. Os tipos mais comuns são o metilparabeno, o propilparabeno, o etilparabeno e o butilparabeno.

Advertisement

Os parabenos são absorvidos pela pele e caem na corrente sanguínea. Pesquisadores da American Cancer Society concluíram que o parabeno está presente no corpo de 99% das pessoas nos EUA.

Alguns estudos apontam que o consumo de produtos que possuem parabenos pode causar alergias cutâneas e o envelhecimento precoce da pele. Isso porque os parabenos possuem atividade estrogênica (hormônio feminino), e que mesmo em doses pequenas podem causar problemas de saúde e ao meio ambiente.

Pesquisas anteriores

Um estudo, publicado em 2002, baseado em entrevistas com 813 mulheres com câncer de mama e 793 mulheres sem histórico deste câncer, comparou o índice de risco de câncer de mama entre as mulheres que relataram:

  • Usar antitranspirante ou desodorante comum nas axilas depilando ou não as mesmas

  • Usar lâminas de barbear e antitranspirante ou desodorante comum nas axilas

    Advertisement
  • Usar lâminas e em seguida usar antitranspirante nas axilas.

O resultado entre todas as comparações não mostrou aumento do risco de câncer em nenhuma das situações.

Um estudo retrospectivo (baseado no passado de um desfecho que já se apresenta) de 2003 examinou a frequência da depilação das axilas e uso de antitranspirante / desodorante em 437 sobreviventes de câncer de mama e o achado mostrou uma relação entre menor idade no diagnóstico de câncer de mama para mulheres que usaram antitranspirantes / desodorantes com frequência ou que começaram a utilizá-los após depilação. Devido ao estudo ter sido feito com mulheres que venceram o câncer e estavam saudáveis, os resultados não são conclusivos.

Outro estudo publicado em 2006 também não encontrou associação entre o uso de antitranspirante e o risco de câncer de mama, embora incluísse apenas 54 mulheres com câncer de mama e 50 mulheres sem câncer de mama.

Enquanto as pesquisas trazem acentuado grau de incerteza – já que não foi provada a relação direta entre o parabeno e o câncer de mama, os achados mostram que são necessárias mais pesquisas antes de declarar o parabeno inocente ou culpado.

Advertisement

Por todos os motivos expostos acima – incerteza quanto ao seu teor cancerígeno, causador de alergias, envelhecimento da pele, atividade estrogênica e danos à saúde e meio ambiente – é de se considerar a opção de não usar tal substância, ou seja, utilizar produtos livres de parabenos que estão disponíveis no mercado. Afinal, em se tratando de uso de produtos para o corpo, quanto mais natural, menos mal faz.

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.