7 razões porque o sódio está literalmente destruindo o seu corpo

O que a pressão alta, a esclerose múltipla e a aparência da sua pele têm em comum? Leia e descubra.

Stael Ferreira Pedrosa

O sódio é uma substância que está presente no sal de cozinha (40%) e em vários temperos. Usado também como conservante, pode ser encontrado em produtos como glutamato monossódico, em enlatados, alimentos industrializados, pães e até em refrigerantes.

Esse mineral está associado a várias funções no organismo. É responsável pela condução dos impulsos nervosos, contração muscular e evita a desidratação.

Ao ser ingerido, o sal vai para a corrente sanguínea que o leva às células. Dentro das células, o sal controla a entrada e a saída de líquidos. Regula a função do hormônio antidiurético e evita a câimbra e a hiponatremia (baixo nível de sal no organismo que pode afetar os músculos e nervos). A quantidade normal de sódio no organismo nunca é consenso entre médicos e nutrólogos que situam a quantidade ideal entre 2 a ½ colher de café por dia – abaixo disso, há o risco de hiponatremia.

Onde está o perigo?

1. Força o coração

Quando há excesso de sal, os vasos sanguíneos se contraem e o coração tem mais esforço em bombear o sangue e pode vir a ser lesionado, aumentar de tamanho e levar à insuficiência cardíaca.

2. Danifica os vasos sanguíneos

O excesso de sódio faz o corpo reter água, provoca a vasoconstrição (estreitamento dos vasos sanguíneos) e consequentemente hipertensão (pressão alta) que leva a muitos e graves problemas de saúde como: derrame, aneurisma, infarto, demência, Alzheimer, etc.

Advertisement

3. É um inimigo silencioso

Celso Amodeo, especialista em pressão arterial e médico do Hospital do Coração (HCOR) alerta: “A hipertensão é uma doença crônica, de causa multifatorial e genética. Acomete os vasos do organismo produzindo dano aos vasos e aos órgãos por eles irrigados. Na maioria das vezes, nãoapresenta sintoma e o diagnóstico se dá pela medida da pressão”.

4. Pode lesar os rins

Quando o sódio ingerido é maior do que o ideal, o primeiro sinal visível é o inchaço dos tornozelos, pés, mãos e face. Os rins, responsáveis pela filtragem do sangue e eliminação do excesso de sódio, simplesmente não conseguem eliminar totalmente os resíduos, com isso são lesados e, ao serem afetados, têm mais problemas para filtrar o sangue, caindo em um ciclo vicioso e levando a doenças renais crônicas e à hipercalemia.

5. Doenças autoimunes

Doenças autoimunes, como a esclerose múltipla, a diabetes tipo 1 e a artrite reumatóide aumentaram muito nas últimas décadas. Estudos com ratos têm apontado a relação entre o sal e essas doenças.

6. Osteoporose

Estudos feitos no Japão e nos EUA relacionaram o excesso de sal na alimentação com o surgimento da osteoporose. Foram pesquisadas mulheres na menopausa e constatou-se que aquelas que consumiam maior quantidade de sal, tinham mais disposição à osteoporose.

7. Acelera o envelhecimento

O excesso de sal causa a desidratação celular, que torna o metabolismo da célula mais lento e gera o envelhecimento precoce.

Advertisement

O que fazer?

O Ministério da Saúde e a Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) lançaram em 28/08/2012 a terceira etapa de um programa para redução de sódio em produtos processados no Brasil que, entre outros, inclui a diminuição desse mineral em produtos como caldos, sopas, temperos e margarina.

A expectativa é da redução de 8,8 mil toneladas de sódio nos alimentos até 2020. Nas etapas anteriores, foram definidas as metas de redução de sódio em produtos como macarrão instantâneo, pães, chips e biscoitos. Enquanto isso, medidas podem ser tomadas individualmente e em família para evitar o excesso de sódio em sua casa.

  • Diminua a quantidade de sal na comida. Use no máximo uma colher de chá para toda a alimentação diária. Não utilize saleiro à mesa e não acrescente sal no alimento depois de pronto.

  • Tome mais água. A água dilui a urina e ajuda o organismo a eliminar o excesso de sal.

  • Use alimentos que neutralizam os efeitos do sódio no organismo, como: banana, linhaça, uva e suco de uva, iogurte desnatado, melancia, laranja e cebola.

    Advertisement
  • Evite enlatados, embutidos e defumados.

  • Prepare os alimentos em casa, tais como: hambúrguer, pães (um pãozinho de sal tem quase o total de sódio que a pessoa deve ingerir durante todo o dia), biscoitos, batata frita, macarrão, extrato de tomate e pipoca.

  • Evite refrigerantes, mesmo os dietéticos, pois têm ainda mais sódio devido aos adoçantes. Adoçantes têm altos níveis de sódio.

  • Não abuse de queijos.

  • Use temperos alternativos ao sal, como ervas finas, alho, cebola, cebolinha, salsa, manjericão, folhas de louro, pimenta, alecrim, curry, hortelã, caldos de frutas cítricas, vinagre, azeites e limão. Limão ajuda muito na substituição do sal.

    Advertisement
  • Lembre-se, antes de colocar sal no alimento, de que é mais fácil colocar sal do que tirar depois. Vá colocando aos poucos, e menos é sempre mais.

  • Consuma ômega 3.

Leia também: 3 maneiras de limitar o consumo de sal de sua família

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.