10 razões pelas quais eu preferiria ficar sozinho a ter um cônjuge infiel

A maioria das pessoas afirma que deixaria seus parceiros em caso de traição, geralmente essa é a decisão certa quando a situação acontece, pois foi tomada sem o calor da emoção.

Stael Ferreira Pedrosa

A maioria das pessoas afirma que deixaria seus parceiros em caso de traição, isso antes mesmo de que tal situação lhes suceda, ou seja, sem o calor da emoção.

Geralmente quando estamos de cabeça fria tomamos as decisões certas, por isso damos conselhos quando o problema não é nosso, pois quando não emocionalmente envolvidos podemos ver o quadro inteiro e de maneira mais clara.

Mas, a questão é que sempre somos melhores em dar conselhos que aplicá-los a nós mesmos.

Leia: O melhor conselho sobre casamento que você jamais receberá

Enquanto o perdão deva ser usado abundantemente no casamento, há situações em que além do perdão, devemos também dar a nós mesmos uma chance de ser feliz – é o caso de um cônjuge que trai repetidas vezes. Muitas vezes isso implica em perdoar e seguir em frente, para longe do traidor.

Advertisement

Essa é a parte mais difícil para quem ainda ama e está profundamente magoado. A razão nos diz que devemos nos afastar de uma fonte contínua de mágoa e decepção. A emoção nos diz que ainda temos condições de perdoar mais uma vez, dar mais uma chance, tentar recomeçar. O resfolegante nariz e as lágrimas do traidor nos convencem mais uma vez que isso nunca mais acontecerá novamente.

Mas, quando você quer dar um basta, uma sensação conhecida pode paralisá-lo: O medo. Medo da solidão, medo do arrependimento, medo de estar tomando a decisão errada e aí você aceita, dá mais uma chance e se acomoda. Daí a pouco a dor se atenua, raiva e mágoa são varridas para debaixo do tapete e a vida parece voltar ao normal.

Leia: Divórcio: Quando é a hora de dizer basta

Então acontece novamente e nos vemos arrastados para dentro do ciclo vicioso da dependência e do autoengano de que um dia as coisas vão ser diferentes.

A dor, a vergonha e a sensação de fracasso tomam conta e nesse ponto a autoestima praticamente não existe mais. Assim os anos vão passando.

Advertisement

Se você pode ver a si mesmo vivendo nesse ciclo e sentindo a vida esvair-se, veja a seguir por que é preferível ficar sozinho a viver com um infiel:

  1. Um relacionamento saudável deve ser baseado na confiança, respeito e consideração mútua. Ninguém deve merecer menos que isso.

  2. Casamento é compromisso com a felicidade do outro. Se seu cônjuge não almeja a sua felicidade assim como você tenta fazê-lo feliz, não há motivos para continuar com ele.

  3. Alguém que escolhe trair repetidamente é alguém sem firmeza e que não sabe discutir e enfrentar os problemas e tende a fugir deles. É um comportamento de longo prazo e que certamente não mudará.

  4. Os pais são modelos para os filhos. É esse comportamento que você quer que seus filhos aprendam?

    Advertisement
  5. Manter um cônjuge traidor em sua vida é um fardo que o impede de cuidar de si mesmo. Livre-se do traidor e comece a cuidar de si mesmo.

  6. Ao enfrentar seus medos e inseguranças e tomar a decisão de cuidar de si mesmo e encontrar novo rumo na vida, você se sentirá mais seguro e com forças renovadas.

  7. Menor risco. Ter relacionamentos extraconjugais é insalubre; alguém que arrisca a própria saúde bem como a sua, não é alguém em quem você queira continuar colocando sua confiança.

  8. Por mais que você perdoe, em sua mente haverá sempre a esmagadora insegurança da pergunta: Por que fui trocado? Você vai questionar o próprio valor constantemente e sentir sua autoestima sendo esmagada a cada vez que você olhar para essa pessoa que não vê em você razões suficientes para permanecer fiel.

  9. Paz espiritual. A cada vez que essa pessoa o tocar, a imagem da outra pessoa (ou outras pessoas) invadirá sua mente. Sair da relação não irá realmente “limpar” essas imagens, mas lhe dará espaço (longe dos toques) para buscar a cura.

    Advertisement
  10. Autoconfiança. Ao vencer os seus medos, virar a mesa e decidir cuidar de si mesmo, sua autoconfiança crescerá. Um senso de maturidade e esperança tomará conta de você e o impulsionará em direção a um futuro melhor. O importante é aprender com a experiência e não repetir os erros do passado.

Leia: Manual de sobrevivência após um divórcio

Não existe um caminho fácil. Às vezes apenas permanecemos numa relação nociva por medo de enfrentar a realidade. Ao conscientizarmo-nos de que não merecemos menos do que alguém disposto a cuidar da nossa felicidade enquanto cuidamos da dele, que merecemos ser amados e valorizados por quem somos, estaremos no caminho de encontrar uma relação saudável, nem que seja consigo mesmo.

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.