Respeitando a intimidade do cônjuge

Nosso cônjuge é o “guerreiro” mais próximo a nós, e devemos dar-lhe respeito e o honrar se quisermos o mesmo como retorno, ou o contrário também ocorrerá.


Beth Proenca Bonilha

No decálogo que Deus deu a Moisés no Monte Sinai há normas de conduta para que as pessoas possam viver em harmonia. Uma dessas normas nos diz que devemos “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos”.

Analisando quem é este próximo a quem Deus se refere, podemos descrever várias pessoas. Mas hoje vamos focar em nosso cônjuge, ou seja, o marido ou esposa, como sendo o próximo a quem Deus se refere.

Meu cônjuge, meu próximo

Baseado na proposta de Deus para que possamos ter um convívio melhor com as pessoas, Ele diz que devemos amá-las como a nós mesmos. Com isso podemos entender que precisamos saber o que queremos e esperamos que o outro faça por nós.

Em uma relação de amor não quero ser desrespeitada, traída ou ofendida. Talvez você tenha outras coisas que não deseje para si em sua relação amorosa. Faça uma lista de tudo o que você não quer que alguém faça a você em um relacionamento.

Além de situações que não desejo, existem algumas que espero em um relacionamento. Quero ser amada, elogiada, respeitada e valorizada. Faça sua própria lista de como quer ser tratada por seu cônjuge.

Sabendo o que você quer e o que não quer em seu relacionamento, e que seu próximo é seu cônjuge e que deve amar o próximo como a si mesmo fica fácil saber como deve agir com seu esposo ou esposa: da mesma maneira que espera ser tratado(a).

Como lidar com as diferenças

É fato que cada um tem sua própria personalidade e gostos pessoais. É o que podemos chamar de individualidade. Segundo o dicionário, “Individualidade é o conjunto de atributos que constituem a originalidade, a unicidade de uma criatura, e que a distingue de tantas outras”.

Advertisement

Sabendo que se deve amar o próximo e que esse próximo é nosso cônjuge, devemos ter em mente que somos diferentes na forma de ver o mundo, nas ações e que as pessoas têm desejos e expectativas distintas. Só nos resta aprender a respeitar a intimidade de nosso cônjuge.

  • Aceite seu cônjuge como ele é. Não procure modificá-lo, mas respeite sua natureza e contribua para seu desenvolvimento com amor e paciência.

  • Estabeleçam uma rotina em que cada um tenha seu espaço, ou seja, que possam fazer as coisas que gostam. Não necessariamente separados, mas um respeitando o momento do outro.

  • Mantenham o diálogo. Não deixem de conversar a respeito de suas individualidades. Aliás, vocês devem conhecer bem o que o outro deseja e suas preferências.

A premissa de uma relação é o amor. Alimentem o amor com bom humor e momentos especiais. Só com o amor o relacionamento superará as diferenças e os desafios da vida a dois.

No filme “300” o rei Leônidas ensina seu filho que “A força do espartano está no guerreiro próximo a ele. Dê respeito e honra a ele, e isto lhe será dado como retorno”.

Da mesma forma devemos lembrar-nos que nosso cônjuge é o “guerreiro” mais próximo a nós e devemos dar-lhe respeito e honra se quisermos o mesmo como retorno. O contrário também ocorrerá. Por isso, respeitar a intimidade do cônjuge é um ato de amor para si e para o outro.

Toma un momento para compartir …

Beth Proenca Bonilha

Graduada em Administração de Empresas com MBA em Empreendedorismo. Casada mãe de 6 filhos, avó de 2 netos. Atua profissionalmente como Analista Instrutora da Educação Empreendedora no SEBRAE - SP. Como hobby gosta de artesanato, música e leitu