Relacionamento conjugal: Como conseguir celebrar Bodas de Pérola

Cinco sugestões interessantes para reforçar a união do casal e conseguir chegar a 30 anos de casamento e bem mais.


Suely Buriasco

Segundo o site “Significados”: “O termo bodas é oriundo do latim, e significa promessa. “Bodas” foi escolhido, pois refere-se aos votos matrimoniais, feitos no dia do casamento. Para cada ano de bodas existe um material que representa a nova etapa, e já é uma celebração tradicional na cultura ocidental comemorar o aniversário de bodas“. Bodas de Pérola é a comemoração de trinta anos de casamento.

Claro que uma união saudável não é medida pelo número de anos e sim pela felicidade construída nesse tempo. Para que um casamento tenha uma longevidade benéfica e emplaque os trinta anos, algumas sugestões podem ser interessantes:

1- Não espere facilidades para criar a sua pérola

O verbo “criar” não foi usado por acaso; a pérola é criada, assim como uma união duradoura. A pérola é o resultado de uma espécie de defesa do organismo do molusco a um invasor – organismo externo que pode ser desde um grão de areia até um parasita. O processo que a ostra usa para se defender da irritação provocada é que gradualmente se transformará na joia. Construir uma relação duradoura e feliz é um processo complicado que exige amadurecimento e grande empenho do casal. O casamento é um crescimento conjunto e contínuo de duas pessoas que se determinam em serem felizes juntas.

2- Aprenda a lidar com as adversidades

Muitas são as dificuldades que surgem durante o tempo de convívio tão íntimo quanto no casamento. Há que se aprender a lidar com todas as adversidades, mantendo sempre a alegria; tarefa tão difícil quanto recompensadora. Sabe-se que na natureza apenas 2% das pérolas são redondas, por isso as esféricas são tão valiosas. Não adianta criar pérolas defeituosas; o valor está no empenho de cada um em fazer com que as circunstâncias difíceis sejam harmonizadas.

3- Torne-se um artista

“Ostra Feliz Não Faz Pérola” é o título de um livro muito interessante de Rubem AlvesSim, porque se a ostra não tiver que se defender ela se mantém vazia e não agrega maior valor. A pérola é consequência do labor que transforma as contrariedades e os infortúnios não esperados em maior união e evolução dos laços que unem os casais. Não importa se vivem muitos anos juntos se não há a disposição da alegria; é, pois, imprescindível, transformar dificuldades em beleza e motivos de satisfação. No livro citado acima, Rubem Alves escreveu que: “São os que sofrem que produzem a beleza para parar de sofrer. Esses são os artistas“. Construir uma pérola no casamento é uma arte!

4- Conjugue o verbo amar

O amor é um sentimento que não se faz sozinho; é preciso grande empenho em construí-lo durante o tempo junto. Desenvolver afeto é um trabalho que compreende doação, renúncia, compreensão, tolerância e tantos mais atributos que fortalecem e enriquece quem os possui. Amar é, pois, evoluir, amadurecer, multiplicando todo o aprendizado e envolvendo-se nesse sentimento de forma tão engrandecedora que se faz possível dedicá-lo ao outro de forma efetiva e duradoura.

5- Intensifique a felicidade da vida em comum

Ao transformar sua irritação em pérola a ostra potencializa seu valor; assim também acontece com uma união que consegue incrementar as alegrias da vida. Se viver junto a alguém é difícil; dolorido mesmo é não ter com quem dividir momentos. Muitas vezes o que falta a um casal é valorizar um ao outro e a vida em comum, pois se existem adversidades; existem também alegrias. Dar valor ao que se tem e buscar a satisfação íntima que se refletirá na vida a dois é prolongar os anos juntos com amor e alegria.

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.