Pesquisa comprova: metade dos divorciados se arrependem da decisão

No momento até parece uma boa decisão, mas depois o arrependimento acaba pesando.


Michele Coronetti

Que os números de divórcio nas estatísticas são altos não é novidade. Mas como se sentem os indivíduos depois da separação? A informação de que a metade das pessoas divorciadas se arrepende da decisão tomada pode ajudar casais que não estão muito bem a refletirem se realmente vale a pena seguir com o divórcio.

Leia: Razões para evitar o divórcio

Um estudo feito no Reino Unido mostrou essa triste realidade. Os motivos do arrependimento são muitos e os principais apontados pela pesquisa incluem:

Saudade do ex-cônjuge

A maioria dos pesquisados apontou este motivo para o arrependimento do divórcio. Tanto que 42% afirmaram pensar na hipótese de dar outra chance ao ex-cônjuge e 21 % retomaram o relacionamento.

Sentimento de fracasso

56% dos entrevistados afirmou só ter percebido o quanto valorizavam seu casamento depois da separação.

Ainda estar apaixonado pelo ex – cônjuge

Apreciar ainda mais aquele que foi escolhido para o matrimônio depois da separação aconteceu com 46% dos inquiridos.

Notar que não foi uma decisão razoável

Um em cada 5 dos entrevistados afirmou ter sentido arrependimento imediato. Outros 19% em uma semana. Houve ainda maior arrependimento quando a partilha de bens e outras decisões judiciais entraram no processo.

Advertisement

Sentimento de solidão

Entre os entrevistados, 79% afirmaram não ter buscado ajuda ou aconselhamento profissional antes da decisão do divórcio.

A descoberta de que “a grama do vizinho não é mais verde que a própria

O conhecimento de que o ex-cônjuge já tem outra pessoa

61% afirmaram não terem tido arrependimentos quanto a decisão do casamento apesar do divórcio posterior.

A percepção de que ambos são melhores juntos que separados

Ter o relacionamento com os filhos afetado

Perceber que a vida dos filhos foi prejudicada

Um terço dos divorciados sentiu pesar pela separação ao perceber o impacto que a mudança causou nos filhos. Relatos sobre as transformações comportamentais dos pequenos inclui alteração negativa no estado emocional (32%), piora no desempenho escolar (22%) e comportamento geral deteriorado (17%).

Ao ser perguntado sobre cursos de relacionamento conjugal antes e durante o casamento, a maioria das pessoas afirmou desconhecer a existência deles.

O casamento ainda é para a maioria das pessoas o evento mais importante de uma vida. Utilizar recursos disponíveis, informação, aconselhamento profissional e religioso para salvar a união pode evitar o arrependimento posterior, além de toda dor e sofrimento causados durante o processo.

Leia: 5 ações para evitar um divórcio e outras considerações

Motivos para o divórcio são apontados por vários cônjuges insatisfeitos. Assim como a decisão do matrimônio deve ser muito bem ponderada, o divórcio deveria ser ainda mais justamente por envolver mais pessoas que foram inseridas na família – os filhos.

E quando não há outra alternativa, o melhor a ser feito é sem dúvida aceitar e buscar a felicidade apesar de todo o ocorrido, preservando os filhos e mantendo um bom relacionamento com o ex-cônjuge.

Leia: 5 lições que o divórcio me ensinou

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.